CEGIN tem Thais Fidélis, Julia Soares e Josiany da Silva no pódio do Brasileiro

Grupo no Brasileiro  / Foto: Osvaldo F./ContrapéGrupo no Brasileiro / Foto: Osvaldo F./Contrapé

São Bernardo do Campo - O Centro de Excelência de Ginástica do Paraná (CEGIN), equipe que tem sede em Curitiba, obteve boas colocações individuais no Campeonato Brasileiro de Ginástica Artística, Adulto e Infantil, realizado no Ginásio Poliesportivo Adib Moyses Dib, em São Bernardo do Campo, São Paulo, com Thaís Fidélis, a juvenil Júlia Soares e a infantil Josiany da Silva. A disputa por equipe ainda não foi concluída.
 
Na decisão por clubes o CEGIN ocupa a vice-liderança. Os quatro clubes classificados para a final são, pela ordem: 1 - Flamengo, 161.800; 2 - CEGIN, 159.050; 3 - ADC São Bernardo do Campo, 155.450; e 4 - Grêmio Náutico União, 133.450. Cada equipe terá as ginastas com as três melhores notas em cada aparelho. A disputa de medalhas, que seria no domingo (24/6/2018), foi cancelada por causa de falha na iluminação no ginásio e será retomada em outra data.
 
Na disputa do individual geral, Thaís Fidélis, de 16 anos, 4ª colocada no Mundial de Montreal/2017, com a seleção brasileira, ganhou a medalha de bronze na categoria adulto, com 54.250. Ela dividiu o pódio com duas ginastas experientes, Daniele Hypólito, 33 anos e 14º título de Brasileiro, foi a campeã e Jade Barbosa a segunda colocada.
 
"É uma competição importante tanto para nossos resultados individuais quanto para mostrar à equipe que conseguimos um bom rendimento", afirmou Thais Fidélis. Thais é o espelho para ginastas mais jovens ainda do que ela no CEGIN.
 
O título do individual geral na categoria de 13 a 15 anos ficou com Julia Soares (50.950). A garota, nascida em 23/8/2005, faz ginástica desde os 4, quando entrou na escolinha do CEGIN. Da escolinha, passou a treinar nas categorias Infantil, Pré-Infantil e Juvenil. Esteve em Jessolo, Itália, e nos campings da seleção. "Ganhei experiência e percebi que tenho de evoluir pelo sonho de ir a uma Olimpíada." E comemorou muito o título brasileiro. "Nossa, fiquei bem feliz com o título."
 
Júlia, que cursa o sétimo ano da Escola Estadual República Oriental do Uruguai, é fã de Daniele Hypólito - "ela é alegre e esforçada" - e diz que o CEGIN tem um trabalho respeitado na ginástica feminina e quer aproveitar essa vivência e aprendizado. Sua rotina é treino-escola-treino e brincar com o cachorro Toddy, um shitsu. Gosta de passear ao ar livre com a família. "Sempre vamos ao parque."
 
Campeã Brasileira aos 10 anos - O CEGIN levou medalha de ouro na trave e bronze no Individual geral com Josiany Calixto da Silva. E foi 7º no individual geral com Flávia Paesano. Os resultados do Individual Geral na categoria Infantil - 1 – Luisa Maia (ADC São Bernardo), 109.900; 2 – Gabriela Reis (ADC São Bernardo), 107.075; 3 – Josiany da Silva (CEGIN), 104.475.
 
"O Brasileiro foi minha primeira competição importante", afirmou Josiany, que nasceu em 1/8/2007, em Santo Antonio da Platina (PR). A menina fazia tae kwon do quando uma professora achou que era muito flexível e indicou a ginástica artística - foi encaminhada para a escola, em Jacarezinho, e em quatro meses de ginástica venceu um festival realizado no CEGIN e foi descoberta pela técnica Irina Ilyashenko. "Ela falou que eu tinha 15 dias para mudar para Curitiba. Minhas mãe, Terezinha, concordou, fiz o teste e passei a integrar o grupo da Carol (a treinadora Carol Molanari, que treina as categorias Pré-Infantil e Infantil). "Minha mãe mora comigo em Curitiba", conta Josi que está no sexto ano do Colégio Estillo. É fã da campeã olímpica Simone Biles, ginasta americana. "A Josi é bem talentosa. Isso não é garantia de sucesso, mas se continuar o trabalho tem condições de ser bem-sucedida. É coordenada, inteligente e dedicada nos treinamentos", afirma Carol Molinaria, ex-ginasta que trabalha com categorias de base visando ao alto rendimento. "São selecionadas e o objetivo é levar ao alto nível da ginástica."
 
O grupo técnico tem Irina Ilyashenko, como técnica chefe, Roger Medina e Carol. "A prioridade é a excelência técnica, com preparação corporal, alinhamento, preparação física... é preparar para o alto rendimento. É um trabalho de lapidar", acrescenta Carol.
 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 
 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook