Flavia Saraiva fica no top 10 do individual geral do Mundial

Flavia Saraiva fica no top 10 do individual geral do Mundial de Ginástica Artística / Foto: Ricardo Bufolin/CBGFlavia Saraiva fica no top 10 do individual geral do Mundial de Ginástica Artística / Foto: Ricardo Bufolin/CBG

Qatar - O Brasil conseguiu um ótimo resultado nesta quinta-feira (1º), na final do individual geral do Campeonato Mundial de Ginástica Artística, que está sendo disputado em Doha, no Qatar. Com ótima atuação no salto e no solo, Flavia Saraiva terminou na oitava posição com a nota total de 54,366. Jade Barbosa, que também participou da final, ficou em 15º lugar, somando 52,866.
 
Foi o melhor resultado do Brasil no individual geral desde 2007, quando Jade Barbosa terminou em terceiro lugar no Mundial de Stuttgart (ALE).
 
A medalha de ouro acabou nas mãos da favorita americana Simone Biles (57,491), com a japonesa Mai Murakami ficando com a prata (55,798) e a americana Morgan Hurd levando o bronze (55,732).
 
Flavinha iniciou sua participação nas assimétricas paralelas, quando ficou com a nota 13,000. Na trave, ela chegou a sofrer uma queda e repetiu a nota 13,000. Foi no solo que a brasileira levantou o público no ginásio Aspire Dome, ao tirar 13,833. Em seu último aparelho, o salto, Flavinha obteve a maior nota na final, com 14,533.
 
Jade Barbosa teve nesta final as seguintes notas: 12,933 na trave; 12,100 no solo; 14,500 no salto, sua melhor nota na prova; e 13,333 nas assimétricas.
 
Após a prova, Flavia Saraiva comemorou muito sua oitava posição. “Estou muito feliz. O trabalho que estou conseguindo fazer este ano está sendo muito produtivo. Tive uma pequena falha na trave ao cair. Talvez eu tivesse um resultado um pouco melhor, mas saio desta competição muito orgulhosa e espero evoluir mais nos próximos anos”, afirmou Flavinha, que ressaltou a importância do treinador Valeri Liukin na equipe brasileira.
 
“Está sendo muito bom para a gente. Os treinos estão diferentes e estamos nos adaptando. Mas se conseguimos evoluir tanto em quatro meses, imagina durante dois anos. Agora é só focar para treinar mais e manter a mesma evolução”, completou a ginasta.
 
Mesmo com os erros cometidos no solo e na trave, Jade Barbosa viu de forma positiva sua participação no Mundial. “Hoje eu fiz um solo pior do que nos outros dias, mas acho que melhorei nos outros aparelhos. Para começar o ciclo olímpico, acho que fui bem. Espero manter esta forma física, aumentar minhas notas de partida, voltar a fazer dois saltos...estou muito feliz por mais uma vez estar integrando a Seleção Brasileira”, disse Jade.
 
Veja Também: 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook