Aos 29, Marta cogita Rio 2016 como sua última Olimpíada

Marta cogita despedida das Olimpíadas na Rio 2016 / Foto: Divulgação / CBFMarta cogita despedida das Olimpíadas na Rio 2016 / Foto: Divulgação / CBF

Rio de Janeiro – Eleita por cinco vezes a melhor jogadora de futebol do mundo, a brasileira Marta ainda é o principal nome da seleção brasileira na busca pela inédita medalha de ouro olímpica, dessa vez na Rio 2016. Mas a chance de ser campeã nos Jogos deve ser a última da atleta, que cogita parar.
 
"Pode ser que sejam meus últimos Jogos, pois estes aqui no Rio serão muito especiais. Chegamos perto da medalha de ouro em 2008, então agora tentaremos fazer o melhor possível", afirmou a jogadora, em entrevista à BBC.
 
Marta irá para sua quarta edição dos Jogos Olímpicos, depois de disputar Atenas 2004, Pequim 2008 e Londres 2012 pela seleção brasileira. No Rio, neste ano, porém, o significado será especial.
 
"É muito importante para nós porque será a primeira Olimpíada no Brasil, assim temos uma grande oportunidade para mostrar que somos as melhores. Todas as equipes do Brasil sempre sofrem muita pressão. Desta vez não será diferente", justificou.
 
Aos 29 anos, a meia atacante é uma das jogadoras mais vitoriosas da história da seleção, com uma incrível marca de 92 jogos em 95 partidas com a camisa verde e amarela. Marta joga, quando não está defendendo o Brasil, pelo Rosengard, da Suécia.
 
O clube atual da brasileira, aliás, perdeu por 3 a 1 uma partida, recentemente, contra as atletas do Manchester City. O nível apresentado pelas inglesas, que disputam a WSL (Superliga Feminina Inglesa, na tradução livre), deixou Marta com vontade de jogar por algum time de lá.
 
"Durante toda minha vida eu quis jogar no nível máximo, então, por que não? Nunca se sabe o que acontecerá no futuro. Agora estou muito contente na minha equipe, por isso não penso em outros clubes, mas nunca diria que não faria isso mais pra frente. O City me surpreendeu porque tem uma grande equipe. Nos pressionaram no campo ofensivo e foram muito bem. Isso é algo positivo para o futebol feminino, precisamos de mais clubes assim", finalizou Marta.
 
Veja Também: 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Curta - EA no Facebook