Vôlei Osasco-Audax recebe Barueri focado em manter retrospecto positivo

Treino físico no Liberatti  / Foto: João Pires/FotojumpTreino físico no Liberatti / Foto: João Pires/Fotojump

Osasco - O Vôlei Osasco-Audax recebe o Hinode Barueri nesta sexta-feira (8), às 21h30, no ginásio José Liberatti, com transmissão do Sportv 2. O time comandado pelo técnico Luizomar entra em quadra com o objetivo de conquistar mais três pontos na Superliga Cimed e manter o retrospecto de vitórias diante do adversário, que chega a sete resultados positivos em sete confrontos.
 
Nesta temporada, o Vôlei Osasco bateu o Hinode no primeiro turno da Superliga Cimed e nas quartas de final da Copa Brasil, ambas as partidas disputadas no ginásio José Correa, em Barueri. Ano passado, foram mais cinco resultados positivos, quatro pela Superliga 2017/18 e um na disputa por um lugar na semifinal da Copa Brasil, competição em que as osasquenses conquistaram o título.
 
Mesmo com histórico favorável, ninguém espera jogo fácil no José Liberatti. “Barueri tem um time forte e quem vem fazendo uma boa campanha na Superliga. Nós buscamos nos superar jogo a jogo e temos conseguido. Vamos para mais uma rodada unidas e confiantes. Trabalhamos muito nos treinos, estudamos o jogo delas mais ainda e esperamos conseguir colocar em prática todo esse trabalho”, explica a central Nati Martins.
 
Na tabela de classificação da Superliga, Osasco vem em uma crescente. Ganhou posições e hoje ocupa o quinto lugar, mas com um jogo a menos que os demais times. Já Barueri aparece na terceira posição. “São dois times que se conhecem bem, se enfrentaram várias vezes nas duas últimas temporadas e vamos buscar jogar o nosso melhor vôlei nessa partida, que é um confronto direto na briga pelas primeiras posições na fase de classificação da Superliga”, avalia o técnico Luizomar.
 
Eficiência individual e coletiva - Sacar bem é fundamental, garante Mari Paraíba, terceira melhor atleta da Superliga nesse fundamento, com 17 aces na temporada. “É preciso forçar o saque para dificultar o passe do adversário. Quando conseguimos, nossa relação bloqueio/defesa funciona melhor e, consequentemente, temos mais oportunidades de contra-ataques”, analisa a ponteira, que não está só nas estatísticas individuais da Superliga. Segundo dados da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), a ponteira norte-americana Hooker é a segunda maior pontuadora, com média de 4,37 acertos por set.
 
É no conjunto que o Vôlei Osasco tem se mostrado mais eficiente. No Time do Sonho, elaborado pela CBV de acordo com o desempenho de cada atleta em quadra, a equipe de Luizomar tem mantido de duas a três integrantes em todas as rodadas. A central Walewska, a ponteira Mari Paraíba e a oposta Hooker figuram na seleção A do campeonato. A ponteira peruana Angela Leyva aparece entre as relacionadas para o time B.
 
Veja Também: 
 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 
 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook