Vôlei Osasco-Audax não resiste à regularidade do Dentil/Praia Clube

A equipe de Osasco fez três sets equilibrados, mas o líder invicto da Superliga foi superior  / Foto: João Pires / FotojumpA equipe de Osasco fez três sets equilibrados, mas o líder invicto da Superliga foi superior / Foto: João Pires / Fotojump

Osasco - O Vôlei Osasco-Audax não conseguiu derrubar o líder invicto da Superliga. Na noite desta sexta-feira (21), no José Liberatti, a equipe da casa foi superada pelo Dentil/Praia Clube, que venceu por 3 sets a 0, parciais de 25/23, 25/21 e 25/21, em 1h22min. 
 
A oposta Hooker e a meio Carol foram as maiores pontuadoras com 16 acertos cada. Agora, Walewska, Camila Brait, Angela Leyva, Mari Paraíba e cia. só voltam a jogar em 2019. A competição faz uma pausa para as festas de final de ano e a equipe osasquense volta à quadra dia 8 de janeiro, contra o Curitiba Vôlei, no Paraná.
 
Carol Albuquerque reforçou que o time precisa evoluir. “As parciais foram apertadas, o que mostra que fizemos um jogo equilibrado contra uma equipe forte como o Praia. Acho que melhoramos um pouco, mas temos muito a evoluir. Não acabamos o jogo do jeito que queríamos, claro, mas temos que seguir em frente, trabalhando cada vez mais”, avaliou a levantadora. “É o momento de sermos mentalmente fortes e mantermos a união do grupo. Agora vamos aproveitar esse recesso para continuar trabalhando, especialmente a parte física, para começar 2019 com tudo”, completou.
 
O jogo – O Vôlei Osasco-Audax fez um primeiro set na base da recuperação. Saiu atrás no placar, mas não se entregou. Hooker explorou o bloqueio para reduzir a vantagem do rival para um ponto (11/10). Na sequência, o Praia voltou a abrir e Luizomar pediu tempo quando as mineiras fizeram 18/13. Na reta final, com uma boa sequência de saques de Angela Leyva, as donas da casa voltaram a encostar. Com um ace, a peruana deixou seu time de novo a apenas um ponto (23/22). Porém, a equipe de Uberlândia conseguiu manter a vantagem e fechou por 25/23.
 
Disposto a empatar a partida, o Vôlei Osasco voltou aceso para o segundo set. Mari Paraíba, da entrada de rede, fez 7/5. Mas, apesar do bom volume de jogo das donas da casa, as adversárias encostaram no 8/8 e equilibraram a partida. Quando o Praia abriu quatro pontos, Luizomar pediu tempo para acertar sua equipe. Deu certo. Camila Brait fez grande defesa e Mari aproveitou o contra-ataque. Na sequência Lorenne marcou na bola de xeque, após bom saque de Leyva e a vantagem do rival caiu para apenas um ponto (21/20). Contudo, a reação não avançou e as mineiras fecharam em 25/21.
 
O terceiro set começou complicado para o Vôlei Osasco. O Praia conseguiu manter uma vantagem média de três pontos no placar. Sem baixar a cabeça, as donas da casa seguiram lutando, ponto a ponto, até empatar no 14/14. O jogo esquentou e Mari desceu o braço para fazer 16/16. Na reta final, o time de Uberlândia voltou a comandar o marcador, chegando a 24/20. Apesar do esforço de Paula Pequeno, que entrou em quadra na metade da parcial, de Mari paraíba, Hooker e suas companheiras, o Praia fez 25/21 e definiu o jogo.
 
O Vôlei Osasco-Audax entrou em quadra com Claudinha, Hooker (16), Walewska (2), Nati Martins (3), Mari Paraíba (13), Angela Leyva (8) e a líbero Camila Brait. Entraram: Carol Albuquerque, Lorenne (3), Kika, Natasha (1), Paula Pequeno (1). Técnico: Luizomar de Moura.
 
O Dentil/Praia Clube entrou em quadra com Carli Lloyd (2), Fawcett (15), Fe Garay (7), Rosamaria (11), Carol (16), Fran (10) e a líbero Suellen. Entraram: Ananda, Paula Borgo (2). Técnico: Paulo Coco. 
 
Equipe para a temporada 2018/19 - O Vôlei Osasco-Audax reformulou seu elenco para a temporada 2018/19. Reuniu três campeãs olímpicas – Paula Pequeno, Walewska e Carol Albuquerque -, além de contar com atletas que jogaram na Seleção Brasileira recentemente – Claudinha e Lorenne - e jogadoras que já defenderam seu país em competições internacionais – Mari Paraíba, Camila Brait, a norte-americana Hooker e a peruana Angela Leyva. Também tem no grupo as centrais Natasha, Nati Martins e a ponteira/oposta Domingas. A equipe osasquense investe ainda na nova geração do esporte. Renovou os contratos da líbero Kika e da levantadora Gabriela Zeni, e trouxe a ponteira Vivi e a central Mayara.
 
Veja Também: 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 
 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook