Sesc RJ perde a primeira na Superliga 18/19

Equipe comandada por Bernardinho foi derrotada pelo Fluminense por 3 sets a 1 nesta sexta  / Foto: Divulgação/Sesc RJEquipe comandada por Bernardinho foi derrotada pelo Fluminense por 3 sets a 1 nesta sexta / Foto: Divulgação/Sesc RJ

Rio de Janeiro - O Sesc RJ conheceu sua primeira derrota na Superliga feminina de vôlei 18/19 nesta sexta-feira (07.12). Diante do Fluminense, o time comandado pelo técnico Bernardinho errou muito, principalmente no primeiro e quarto sets e não conseguiu superar o Fluminense que fez 3 sets a 1 (25-15, 26-24, 15-25 e 25-12) com uma atuação segura.
 
E após o primeiro resultado adverso, as jogadoras do Sesc RJ não esconderam a frustração, mais pela atuação repleta de oscilações do que pela derrota em si. No entanto, sabem que precisam olhar com carinho para a derrota para aprenderem com os erros.
 
“É muito difícil perder um jogo em casa. É claro que sentimos, mas temos que tirar coisas boas de tudo. Ainda estamos numa busca incessante por um padrão de jogo, uma regularidade. E o nível que atingimos hoje não foi suficiente para vencer o Fluminense. Temos que olhar para dentro de cada uma de nós e vermos o que podemos fazer melhor individualmente para contribuir para o grupo, para o time. E continuaremos trabalhando duro. Perdemos, mas quando ainda é possível perder”, analisou a central Juciely.
 
O próximo compromisso do Sesc RJ será diante do Barueri, em Barueri, na próxima terça-feira (11.12), às 19h30.
 
O jogo - O primeiro set começou bem para o Sesc RJ, com um ace da levantadora Roberta. Mas quem ditaria o ritmo do jogo com um bom serviço e uma grande eficiência nos bloqueios era o Fluminense. Já no início da parcial, o Tricolor assumiu a ponta do placar, após um erro de rotação do time de Bernardinho e de uma largadinha da ponteira Pri Daroit: 6-4. E a diferença no marcador só fez aumentar. Em 16-8, Bernardinho pediu seu segundo tempo, tentando evitar o inevitável: 25-15 para o Fluminense, em um ace da meio de rede Lara.
 
O Fluminense continuou sobrando na segunda parcial. Após um ataque da ponteira Peña na antena (5-2), Bernardinho precisou parar o jogo para tentar corrigir os erros do seu time. Em um ace da central Leticia Hage, o Tricolor fez 8-3, mas ainda tinha jogo. Ponto a ponto, o Sesc RJ foi tirando a diferença, que caiu para um ponto num bloqueio de Juciely em Thaisinha: 10-9. O técnico do Flu pediu tempo, mas numa jogada praticamente igual, Juciely bloqueou novamente a atacante adversária e empatou: 10-10.
 
Após ataque de Lara e um erro do Sesc RJ, o Flu voltou a abrir dois pontos. Mas teve ao longo de todo o set o time de Bernardinho na sua cola. Em um bloqueio de Mayhara, o Sesc RJ empatou 21-21. Com um ponto de Joycinha e um erro de Kosheleva, o Flu abriu 23-21, mas cedeu novo empate após dois erros de sua oposta: 23-23. Só que quando Kasiely errou um saque e o Tricolor teve a chance de fechar, fechou: 26-24 em um ataque de Ariane na saída de rede.
 
O equilíbrio do set anterior se manteve no terceiro. O Sesc RJ acordou para o jogo de vez e não deixou a empolgação do adversário tomar conta da partida. Em um ace de Juciely, o time de Bernardinho fez 4-3. O Fluminense chegou a virar, mas não conseguiu deslanchar e tomou a virada. Em um bloqueio da levantadora Roberta, o Sesc RJ fez 9-7 e o Tricolor pediu tempo. Mas de nada adiantou. A diferença no placar aumentou e chegou a 13-7 em novo bloqueio de Roberta. 
 
Sem conseguir reagir, o Fluminense tentou mexer algumas peças, entrando com a ponteira Carla e a levantadora Ju Carrijo. Mas não tinha o que fazer. Roberta, Juciely e Mayhara anotaram mais um ponto de bloqueio cada uma, Peña garantia a virada das bolas no ataque e ainda contavam com os erros do Tricolor, que arriscava mais para tentar encostar no placar: 25/15, exatamente num erro de ataque do Fluminense.
 
Avassalador, o Fluminense pareceu não sentir a derrota na parcial anterior. Voltou para o quarto set e abriu nove pontos rapidamente (12-3), obrigando Bernardinho a gastar seus dois pedidos de tempo. Com tamanha vantagem, o Tricolor só precisou manter a tranquilidade para fechar e vencer o jogo. E foi exatamente isso que aconteceu: 25-12 em um ace de Pri Daroit.
 
Veja Também: 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 
 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook