Sesc RJ vira e leva o título do Carioca em cima do Fluminense

Equipe de Bernardinho se reinventou no jogo para fazer 3-2 e conquistar seu 14º troféu no Rio de  / Foto: Divulgação/Sesc RJEquipe de Bernardinho se reinventou no jogo para fazer 3-2 e conquistar seu 14º troféu no Rio de / Foto: Divulgação/Sesc RJ

Rio de Janeiro - Foi difícil, suado e com muita emoção. Diante de um Fluminense bem estruturado, que ofereceu muita resistência e esteve perto de ganhar o jogo, o Sesc RJ precisou se reinventar e usar o que tem de melhor para conquistar o 14º título Carioca em 15 anos de Rio de Janeiro: a união de suas jogadoras. 
 
E quis o destino que numa segunda-feira (12.11) de muito calor, uma atleta russa se sobressaísse e acabasse eleita a melhor em quadra: Tatiana Kosheleva, que colocou sua primeira medalha defendendo o time carioca no peito. Foi dela o ponto derradeiro no tie break. Um ace e 3 sets a 2 no placar (25-21, 23/25, 16/25, 25/19 e 15/12).
 
Consagrada mundialmente, Kosheleva se emocionou ao receber um singelo troféu de melhor jogadora da partida. Ela que já foi campeã do mundo com a Rússia, em 2010, eleita a melhor jogadora da Europa duas vezes e está entre as melhores do mundo, sabe o quanto tem sido importante retornar, um passo de cada vez, para as quadras.
 
“Eu me emocionei, sim. Toda a ajuda que tenho recebido das minhas companheiras, de toda a equipe, tem me ajudado a ir melhorando passo a passo. Sei que não estou nas minhas melhores condições, mas tudo o que eu consegui fazer eu fiz dentro de quadra. E isso ter ajudado as minhas companheiras representou muito para mim. Foi incrível ter essa atmosfera hoje, ver a torcida vibrando conosco. Achei incrível”, revelou Kosheleva, que retornou nesta temporada depois de sete meses em tratamento de uma lesão no joelho esquerdo.
 
Capitã da equipe e responsável por ditar o ritmo da equipe, a levantadora Roberta comemorou bastante mais um título com a camisa do Sesc RJ, mas já está de olho num bom início de Superliga.
 
“Sabíamos que seria um jogo bem complicado. E foi. Ainda erramos bastante, mas conseguimos ser melhores do que no último confronto com o Fluminense, onde não conseguimos retomar o controle do jogo e perdemos. Neste, ganhamos. E com muita luta. Isso que ficará marcado. Foi muito importante ver o querer nos olhos de minhas companheiras. E é com esse espírito vencedor que começaremos mais uma Superliga na sexta”, encerrou Roberta.
 
O próximo compromisso do Sesc RJ será na próxima sexta (16.11), já pela Superliga, às 21h30, diante do Curitiba, no ginásio do Tijuca Tênis Clube.
 
 
 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook