Thaisa: "Agora, sim, será a volta às quadras"

Thaisa: "Agora, sim, será a volta às quadras"  / Foto: Gaspar Nóbrega/InovafotoThaisa: "Agora, sim, será a volta às quadras" / Foto: Gaspar Nóbrega/Inovafoto
Rio de Janeiro -  Em fevereiro desse ano, todos comemoraram o retorno da central Thaisa às quadras após uma delicada cirurgia no joelho esquerdo. Depois de dez meses sem jogar, desde a última lesão sofrida no Eczacibasi Vitra, da Turquia, em abril de 2017, a atleta do Hinode Barueri disputou quatro partidas nas quartas de final na Superliga passada. 
 
Prestes a estrear na 25ª edição do campeonato, Thaisa revela que esta temporada terá um gostinho especial. O Hinode Barueri fará seu primeiro jogo no próximo dia 16, contra o Sesi Vôlei Bauru (SP), atual campeão paulista. 
 
“Estou muito feliz. Esta Superliga terá um gostinho especial porque, além de conseguir jogar a Superliga desde o início, estou bem melhor e voltando ao ritmo normal. Agora, sim, dá pra falar que será a volta às quadras. Vou estar treinando em uma sequência e poderei jogar. Estava com saudades de jogar a Superliga e estou muito ansiosa. A partir do momento em que tive a notícia de que não poderia mais jogar, estar de volta é sensacional. Quero poder ajudar a minha equipe”, afirmou a bicampeã olímpica. 
 
Conseguir fazer os deslocamentos vinha sendo uma das principais preocupações da central.  “Meu deslocamento melhorou bastante e a tendência é melhorar ainda mais. Tem dias que sinto mais dor, aí é um pouco mais complicado porque realmente me limita um pouco. Mas tenho treinado e malhado forte. O Zé Roberto e o Fernandinho (fisioterapeuta da seleção brasileira e do Hinode Barueri) têm cuidado bastante dessa questão física. Tenho dores mas estão controladas. E estou muito feliz porque achei que, sinceramente, por mais que eu me esforçasse, me perguntava: será que vou conseguir?”
 
Pentacampeã da Superliga, sendo três títulos com a Unilever (RJ) e dois com o Sollys Nestlé (SP), Thaisa comemora o fato de estar disputando a competição pela 16ª vez. 
 
“Passei para a maioria das finais nesses 15 anos que já disputei a Superliga. Mas isso não tira o gostinho de querer fazer mais e de conseguir uma performance cada vez melhor também. O objetivo esse ano é voltar na ponta dos cascos, como dizem, e voltar bem, ajudando o time que me amparou no momento mais difícil da minha vida”. 
 
Sobre o adversário de estreia, Thaisa falou sobre as dificuldades que o Hinode Barueri terá pela frente. “Será um jogo difícil, complicado pela equipe e técnico que têm, e na casa delas. O Bauru tem um time muito ajustado, com atacantes de potência e centrais atuantes. Mas estamos treinando, ficando e já estudando para fazer uma excelente partida e começar bem o campeonato”, completou. 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook