Brasil alcança quatro finais olímpicas no primeiro dia da ginástica

Arthur Zanetti - Seleção Brasileira de Ginástica Artística / Foto: Ricardo Bufolin/CBGArthur Zanetti - Seleção Brasileira de Ginástica Artística / Foto: Ricardo Bufolin/CBG

Tóquio - O Brasil conseguiu classificação para quatro finais olímpicas no primeiro dia de disputas de Ginástica Artística Masculina no Centro de Ginástica Ariake, em Tóquio. Arthur Zanetti, que luta para tentar se tornar o primeiro ginasta do mundo a conquistar medalhas nas argolas em três edições consecutivas da Olimpíada, foi para a final desse aparelho, na quinta colocação, com a nota 14,900, atrás do grego Elefhterios Petrounias (15.333), do chinês Liu Yang (15.300), do francês Samir Ait Said (15.066) e do turco Ibrahim Colak (14.933).
 
“Estamos felizes. Toda a equipe competiumuito bem”, disse o medalhista olímpico. O Brasil ficou em nono lugar na competição por equipes e não vai à final. A Ginástica Artística é o primeiro esporte em que o Brasil avança a finais.
 
Caio Souza foi o 18º no individual geral, com a nota 84.298, o que o coloca entre os 24 melhores generalistas do mundo, os finalistas. O ginasta também conseguiu vaga na final do salto – sua média foi 14.700, o que lhe deu a sétima colocação. “Estou muito feliz. Passamos por muita coisa na pandemia. Treinos em casa, depois tive a sorte de participar da Missão Europa, graças ao COB e à CBG. Posteriormente o ginásio abria, fechava. Por isso, ao final de tudo isso, tenho o sentimento do dever cumprido”, disse o ginasta, que foi finalista no salto no Mundial de Doha-2018.
 
O experiente Francisco Barretto contribuiu para os resultados do Brasil na disputa por equipes e somou mais de 80 pontos (80.699), apresentando regularidade.
 
Arthur Nory, atual campeão mundial na barra fixa, cometeu alguns erros e ficou fora da final desse aparelho. No solo, sofreu uma queda e também se afastou da briga por medalha.
 
“A saída é um momento chave, é o que define no final, muitas vezes. Acabei dando um puxão para trás. Erros acontecem, faz parte. Agora é treinar. Este ano ainda tem Campeonato Mundial, e a próxima Olimpíada é daqui a três anos. Estamos aqui para aprender e estar melhor amanhã e ainda melhor depois de amanhã”.
 
O jovem Diogo Soares teve excelente performance. Com muita personalidade, foi o primeiro ginasta brasileiro a iniciar suas séries em vários aparelhos. Não sofreu quedas e normalmente cravava ao finalizar. O resultado disso tudo é que somou 81.332 – 24ª posição no individual geral. Como há um limite de dois ginastas por país na final, conseguiu uma vaga.
 
“Esta é a minha terceira competição adulta. Não tenho como explicar o que estou sentindo. Este sempre foi o meu sonho. Treinei bastante para isso, tentei fazer minhas séries, aparelho por aparelho. O resultado é consequência de tudo”, afirmou o ginasta piracicabano.
 
Equipe Brasileira – Ginástica Artística Masculina
 
Arthur Nory
Caio Souza
Diogo Soares
Francisco Barretto Júnior
Ginasta Individual
Arthur Zanetti
 
Chefes de Equipe
Juliana Fajardo e Henrique Motta
Coordenador e Treinador:
Marcos Goto
 
Treinadores:
Cristiano Albino
Ricardo Yokoyama
 
Programação :
Horários (de Brasília)
Classificatória Masculina – 24/07 – 2h30
Classificatória Feminina – 25/07 – 8h20
Final por Equipes Masculina  - 26/07 – 7h
Final Individual Geral Masculina – 28/07 – 7h15
Final Individual Geral Feminina – 29/07 – 7h50
Finais por Aparelhos – 01/08 – 5h
Finais por Aparelhos – 02/08 – 5h
Finais por Aparelhos – 03/08 – 5h
 
Veja Também: