Em PyeonChang, Brasil tem melhor desempenho nos esportes de gelo

Bobsled 2-man / Foto: Gustavo Longo/ CBDGBobsled 2-man / Foto: Gustavo Longo/ CBDG

Coreia do Sul - Os Jogos de Inverno PyeongChang 2018 terminaram neste domingo, dia 25 de fevereiro, marcando a passagem para o ciclo olímpico de Pequim 2022. Na Coreia do Sul, o país obteve suas melhores classificações na patinação artística, indo pela primeira vez à final da modalidade com Isadora Williams, em 24º lugar, e no bobsled, que fechou a disputa do 4-man na inédita 23ª colocação.
 
"O saldo dos Jogos é positivo, com certeza. Conseguimos ter de forma mais clara o que devemos fazer nos próximos passos. Em março, temos Mundial de Patinação Artística e treinamento do bobsled em Lake Placid, nos Estados Unidos. Além dessas duas modalidades, desenvolvemos projetos específicos para os demais esportes de gelo, com o intuito de evoluir ao longo dos próximos quatro anos", afirmou Matheus Figueiredo, presidente da Confederação Brasileira de Desportos no Gelo (CBDG).
 
Em PyeongChang, Isadora Williams tornou-se a primeira atleta latino-americana a conquistar a vaga no programa longo da patinação artística e terminou na 24ª posição. No bobsled, pela primeira vez o país participou da disputa do 2-man, alcançando o 27º lugar. O 4-man ficou em 23º, melhor colocação já alcançada pelos brasileiros.
 
"Evoluímos muito neste ciclo, estamos andando perto das principais potências. Nos Jogos Olímpicos de Sochi 2014, a gente ainda ficava distante deles. Agora, isso não acontece mais. Mesmo sem ter neve, os esportes de inverno estão evoluindo a cada dia no Brasil, mostrando que temos potencial", disse Odirlei Pessoni, pusher do 4-man.
 
O calendário internacional já traz grandes competições nas próximas semanas. No dia 15 de março, Isadora Williams participará do Mundial de Patinação Artística em Milão, na Itália. Depois, em abril, Aline Lima e Marcio Cerquinho serão os representantes do Brasil no Mundial de Curling de Duplas Mistas, em Östersund, na Suécia.
 
Agora a expectativa é manter a linha de crescimento, que começou em 2014.
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook