Vitória e liderança de Avancini e Fumic na etapa Rainha da Brasil Ride

Fumic e Avancini comemoram  / Foto: Marcelo Rypl / Brasil RideFumic e Avancini comemoram / Foto: Marcelo Rypl / Brasil Ride

Guaratinga - A etapa Rainha, considerada a mais difícil da Brasil Ride, reservou diversas emoções para os amantes do esporte na principal ultramaratona de mountain bike das Américas. Tanto na elite masculina, quanto na feminina, a camisa de líder mudou de mãos. 
 
Entre os homens, o brasileiro Henrique Avancini e o alemão Manuel Fumic, da Cannondale Factory Racing, conseguiram vencer com boa folga e agora reverteram a desvantagem para o português Tiago Ferreira e o holandês Hans Becking, da DMT Racing Team. Na feminina, as espanholas Sandra Santaynes e Anna Ramirez, da Olympia/Esteve Team venceram e também assumiram a liderança, que antes era da brasileira Jaqueline Mourão e da canadense Cindy Mountambault, Jacky & Cindy.
 
Após uma tentativa de ataque neutralizada na primeira hora de prova, quando abriram cerca de 20 segundos na liderança, Henrique Avancini e Manuel Fumic acertaram na segunda oportunidade que tiveram e obtiveram uma boa diferença para seus adversários, de quase três minutos. No fim dos 101 km e mais de 2.600 m de altimetria acumulada da etapa Rainha, Avancini e Fumic cruzaram a linha de chegada em 4h34min21seg, com folga de 2min11 para Tiago Ferreira e Hans Becking, que finalizaram em 4h36min32seg. O russo Alexey Medvedev e o italiano Francesco Failli, Specialized Itália, em 4h37min25seg, completaram o pódio.
 
"O objetivo era aproveitar algumas partes que sabíamos que o Tiago e Hans teriam dificuldade, como a Subida da Pedra da Batalha. Queríamos chegar com menos desgaste possível para estar bem para as próximas etapas. O Tiago teve alguma dificuldade no início e no final conseguimos abrir, o que foi melhor do que esperávamos.  Amanhã (quinta-feira) é um dia importante para administrar a vantagem para chegarmos bem no cross country de sexta-feira (25)”, avaliou Henrique Avancini.
 
Líder até a terceiro dia de prova ao lado de Hans Becking, Tiago Ferreira avaliou o desenvolvimento da etapa. "Tive problema com a corrente da bike e acabei parando para consertar em uma parte rápida da etapa. Tive de fazer um esforço a mais para alcançar o pelotão em uma das primeiras subidas. Quando eles forçaram o ritmo não conseguimos buscar. Para a quinta etapa, veremos o desenrolar da corrida para decidir o que vamos fazer”, despistou Ferreira. Após vencerem duas etapas em três dias, Sebastian Fini (DIN) e Martins Blums (LAT) terminaram em sexto na etapa e agora aparecem também em sexto na geral.
 
Elite feminina - A disputa entre as mulheres também teve mudança significativa na classificação geral. Antes na terceira posição, as espanholas Sandra Santaynes e Anna Ramirez tiveram o melhor desempenho da etapa Rainha e agora são líderes, com cerca de 27 minutos para Viviane Favery e Marcella Toldi, da Cannondale Brasil Women. Enquanto Sandra e Anna completaram em 6h35min24seg, Viviane e Marcella foram apenas as quinta colocadas, em 7h28min47seg. O top 3 do dia teve as brasileiras Paula Gallan e Franciele de Almeida, da Costa Rica Casco de Peba II, em 6h43min47seg, seguidas da portuguesa Ilda Pereira e da espanhola Mayalen Noriega, da Casa Myze Team, em 6h58min44seg. Líderes até a terceira etapa, Jaqueline Mourão e Cindy Mountambalt tiveram dificuldades técnicas e estão fora do top 5 geral. 
 
"Começamos muito mal, porque geralmente não aguento o primeiro dia de calor em provas de vários dias. Houve um momento em que achei que não iria conseguir suportar porque estava muito quente. A sorte foi que minha companheira estava bem e pouco a pouco fui me hidratando e recuperando, para ganhar a etapa", relatou Sandra. "Eu geralmente começo melhor do que a Sandra. Fomos regulando nosso ritmo e avaliando as demais duplas. No final, estava difícil para mim e minha parceira estava mais forte. Estamos bem e temos vontade de seguir na disputa. Porém, sabemos que falta muito pela frente e devemos viver um dia de cada vez", comentou Anna.
 
Para o mais velho, Brasil Ride é unica – O ciclista mais velho da nona edição da Brasil Ride é o cearense Alfredo Montenegro Neto. Ele tem 60 anos e está na sétima participação. Os dois últimos anos ficou fora da prova por ter feito uma cirurgia cardíaca. “Tive de colocar duas mamárias e demorei um pouco para me recuperar. Mas voltei a fazer provas menores depois de cinco meses da cirurgia e logo estava me preparando novamente para a Brasil Ride, minha prova favorita”, contou o empresário de Fortaleza.
 
Alfredo pedala desde a década de 80 e já representou o Brasil em dois Mundiais de Triathlon, nos Estados Unidos e no Caribe. Já completou quatro Ironman e depois foi para as corridas de aventura, que o levaram para as provas de mountain bike. 
 
“Daí para a Brasil Ride foi natural porque conheço o Mario Roma desde o Rio Grande do Norte e ele me convidou para a primeira edição. Não deixei de participar mais, tanto que fiz sete pódios na Grand Master nos seis anos em que participei. A prova é especial, única, com um calor humano que não encontro em outros lugares. Os organizadores passam muita confiança aos aletas, uma energia muito boa, sem contar a comida que é excepcional. Se eu tivesse que escolher só mais uma prova para fazer na vida, com certeza seria a Brasil Ride”, completa Alfredo que este ano está competindo na categoria Corporativo ao lado de Francisco Lima e Juvenal Silva.
 
Crianças visitam Vila Brasil Ride – A passagem da Brasil Ride por Guaratinga foi especial em vários aspectos. Na terça e na quarta-feira a prova passou por dentro da cidade e a Vila Brasil Ride, montada a 8 km, recebeu cerca de 500 crianças das escolas de Guaratinga. Todos passearam pela “cidade” montada numa área de pastagem do Sitio Novo. A estrutura tem 800 barracas, um restaurante que serve jantares para até 600 pessoas simultaneamente, uma carreta médica, com UTI e equipamentos cirúrgicos, além de área de descanso, massagens e banheiros. Uma pequena cidade para cerca de 1.000 pessoas que participam da Brasil Ride, entre ciclistas e staff.
 
Quinta etapa - Etapa que volta para Arraial d'Ajuda, a mais longa em distância com 140 km. Uma falsa impressão de que é só descida, com considerável altimetria, principalmente até pouco menos da metade. Até o km 50, muitas subidas e descidas, quando os ciclistas chegam ao segundo ponto de hidratação e apoio neutro da Shimano. Aí para frente, predominam as estradas de terra, onde formam-se os pelotões. Longas estradas planas, com trocas de vácuo. Por volta do km 110 é a entrada do Parque Nacional do Pau Brasil. Um dos poucos Parques do Brasil que recebem eventos esportivos no País. Finaliza o dia outra vez na praia do Parracho.
 
A ultramaratona - Considerada a Giro d'Itália do MTB mundial, a prova marcada para os dias 21 a 27 de outubro, no Extremo Sul da Bahia, oferece um desafio e tanto para os 540 atletas do mundo inteiro. Durante sete dias, os participantes têm pela frente cerca de 600 km e quase 11.000 m de altimetria acumulada, entre trilhas e estradas de terra que ligam Arraial d'Ajuda, em Porto Seguro, a Vila Brasil Ride, construída em Guaratinga. 
 
No sétimo e último dia da competição, o sábado (27), mais de 1.200 ciclistas de todo o País juntam-se às estrelas do mountain bike internacional, para a disputa da Maratona dos Descobrimentos. Uma oportunidade única de pedalar e ver de perto os melhores mountain bikers do mundo.
 
Top 5 após quatro etapas:
 
Masculino: 
1-Henrique Avancini (BRA) / Manuel Fumic (GER) - 12h39min39seg
2-Tiago Ferreira (POR) / Hans Becking (NED) - 12h40min42seg
3-Alexey Medvedev (RUS) / Francesco Failli (ITA) - 12h47min24seg 
4-Lukas Kaufmann (BRA) / Sherman Trezza (BRA) - 12h50min05seg
5- Hugo Prado Neto (BRA) / Roel Paulissen (BEL) - 12h59min01seg 
 
Feminino:
1-Sandra Santanyes (ESP) / Anna Ramirez (ESP) - 17h41min47seg
2-Viviane Favery (BRA) / Marcella Toldi (BRA) - 18h08min45seg
3-Paula Gallan (BRA) / Franciele Almeida (BRA) - 18h15min25seg
4-Ilda Pereira (POR) / Mayalen Noriega (ESP) - 18h40min12
5-Ivonne Kraft (GER) / Agnes Naumann (GER) - 19h13min17seg
 
Líderes das demais categorias - 
Américas Masculino - Lukas Kaufmann (BRA) / Sherman Trezza (BRA) - 12h50min05seg
Américas Feminino - Viviane Favery (BRA) / Marcella Toldi (BRA) - 18h08min45seg
Master - Edson Luis Corradi (BRA) / Luis Flavio Moura (BRA) - 15h21min47seg
Dupla Mista - Lyne Bessethe (CAN) / Thiago Drews (BRA) - 16h04min10seg
Grand Master - Pablo Rodriguez (ARG) / Raul Navarro (COL) - 17h54min45seg
Nelore - Regivaldo Marques Moreira / Robson Mendes - 18h53min06seg
Corporativa - Enrico Sampaio Julio / Rodrigo Fuganti / Wagner Mendes - 15h18min48seg
 
As etapas restantes da Brasil Ride 2018:
Etapa 5 - Guaratinga para Arraial d'Ajuda - 140 km e 2.336 m de altimetria
Etapa 6 - Arraial d'Ajuda - 32,4 km e 664 m de altimetria
Etapa 7 - Arraial d'Ajuda - 43,8 km e 497 m de altimetria
 

Veja Também: 

 

 
 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook