Brasileiro ganha torcida particular barulhenta na canoagem slalom

Amigos e parentes de Pepê encaram 12 horas de ônibus para ver a estreia do atleta nos Jogos Rio 2016 / Foto: Matthew Stockman/Getty ImagesAmigos e parentes de Pepê encaram 12 horas de ônibus para ver a estreia do atleta nos Jogos Rio 2016 / Foto: Matthew Stockman/Getty Images

Rio de Janeiro - Em meio aos fãs da canoagem slalom, um grupo em particular chama a atenção. Uniformizados com camisetas personalizadas, uma torcida particular para o brasileiro Pedro Henrique, o Pepê, que compete na categoria K1, faz barulho desde o aquecimento.
 
Mas o auge se dá mesmo quando o próprio Pepê sobe à arquibancada para saudar os amigos e parentes, uma turma que encarou 12 horas de ônibus desde Piraju, no interior de São Paulo, para acompanhar a prova.
 
Confiante, Pepê diz que a torcida move qualquer esportista. E ele espera retribuir o apoio dos amigos com um bom desempenho na competição. "Eles são o sentido de tudo. Sem a torcida, nada disso aconteceria. Eu não estaria aqui. Fiquei muito feliz de eles terem vindo para cá de tão longe. Vou dar o meu melhor pelos meus amigos e pelo Brasil", afirmou. 
 
Emocionado, o pai do Pepê, também Pedro, diz que o mais difícil foi sobreviver à cerimônia de abertura dos Jogos Rio 2016. Anestesiado, agora só torce pelo filho sair com uma medalha. "Achei que teria um piripaque. Mas já que sobrevivi, agora é curtir e torcer. É privilégio para poucos ter um filho disputando a maior competição esportiva do mundo. Estou muito feliz", disse.
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Curta - EA no Facebook