Eder Souza obtém índice olímpico nos 110 m com barreiras | Esporte Alternativo - O site de quem pratica esportes !

Eder Souza obtém índice olímpico nos 110 m com barreiras

Eder Souza durante prova / Foto: Wagner Carmo / CBAt

Rio de Janeiro - Eder Antonio Souza (Orcampi/Unimed) comemorou na tarde deste sábado (dia 16) o índice para as principais competições deste ciclo nos 110 m com barreiras, no terceiro e penúltimo dia de competições do Troféu Brasil Caixa de Atletismo, na Arena Caixa, no Centro de Atletismo Professor Oswaldo Terra, em São Bernardo do Campo, no ABC paulista. 
 
Eder venceu a segunda série semifinal, com o tempo de 13.46 (1.4) - 1 centésimo a menos do que a marca mínima exigida para o Mundial da China este ano e para os Jogos do Rio 2016. Foi o recorde pessoal do atleta paulista, de 28 anos, que demorou a crer no feito. 
 
"Terminei a prova muito bem, achando que poderia ter feito melhor", lembrou. "Só acreditei quando vi o resultado no site da CBAt. Estou muito feliz e agora tenho de organizar minha vida em função do resultado", prosseguiu o barreirista, qualificado ainda para o Sul-Americano do Peru e Pan-Americano de Toronto. A final será neste domingo às 11:40.
 
O objetivo de Eder depois do Sul-Americano, em junho, é disputar alguns meetings na Europa. "Quero enfrentar adversários mais fortes e, principalmente, ganhar ritmo de competição, pensando no PAN e no Mundial", completou.
 
Nas semifinais dos 200 m feminino, Ana Cláudia Lemos (BM&FBovespa) correu em 22.84, abaixo do índice olímpico (23.20), mas com vento acima do permitido (3.1). "Foi uma pena. O importante é tentar de novo na final", disse a velocista. A prova decisiva será às 10:45 deste domingo, cuja etapa será aberta às 09 horas, com a final dos 5.000 m masculino. No total, serão 15 finais.
 
Lançamento do disco - O paulista Ronald Julião (BM&FBovespa) conseguiu neste sábado a 11ª vitória seguida nesta prova no Troféu Brasil. Recordista brasileiro com 65,55 m, ele venceu desta vez com 61,55 m. "Estou feliz pela regularidade de meus resultados. É a sexta vez este ano que faço acima de 60 m", lembrou. "A obtenção de índices é questão de tempo", complementou o lançador, que tem ainda quatro vitórias no arremesso do peso no Troféu Brasil Caixa.
 
Lançamento do dardo - Jucilene Lima (BM&FBovespa) conquistou o quarto título da carreira no Troféu Brasil Caixa. Ela obteve a marca de 60,54 m. "Esperava um pouco mais, mas estou feliz com a vitória", resumiu a paraibana, que fez um camping de treinamento e de competições de dois meses nos Estados Unidos este ano, assim como Ronald Julião. "Estou bem treinada e nas próximas competições, como o Sul-Americano, PAN e Mundial, alcanço o índice para os Jogos do Rio 2016", comentou a lançadora, que recebeu a medalha de ouro das mãos da ex-recordista sul-americana Sueli Pereira dos Santos.
 
5.000 m feminino - Depois de vencer os 10.000 m na quinta-feira (14), a mineira Tatiele Roberta de Carvalho (Orcampi/Unimed) voltou para a pista da Arena Caixa e ganhou também os 5.000 m, com 16:02:41. "Em 7 anos como atleta profissional, é a primeira vez que ganho duas medalhas de ouro na mesma edição do Troféu Brasil", comemorou a corredora, que fez 15:48:78, há duas semanas, em Palo Alto, nos Estados Unidos. "Tenho índice para o PAN, mas quero melhorar mais ainda a minha marca."
 
Salto em altura feminino - Ana Paula Caetano de Oliveira, atleta de 19 anos, da Orcampi/Unimed, foi a ganhadora da prova com 1,82 m. Número 1 do Ranking Brasileiro com 1,85 m, ela está qualificada para os Jogos Pan-Americanos de Toronto e também para o PAN Juvenil de Edmonton, ambas as cidades do Canadá. "Esperava uma marca melhor, mas acho que errei na corrida para o salto", explicou a atleta, mulher de Thiago Braz, campeão do salto com vara no Troféu Brasil Caixa de Atletismo. Quem fez a premiação foi a recordista brasileira, a ex-atleta Orlane dos Santos.
 
Salto em altura masculino - Fernando Carvalho Ferreira (BM&FBovespa) ganhou o bicampeonato da prova, com 2,25 m. Ele ainda tentou três vezes passar os 2,28 m, índice para o Mundial e para a Olimpíada, mas não conseguiu. Com 20 anos, o paulista passou 2,05, 2,10, 2,15, 2,18, 2,22 e 2,25 m na primeira tentativa. "Ainda tenho tempo de buscar as marcas exigidas. Saltei há duas semanas 2,26 m, em São Paulo. É treinar e melhorar", afirmou.
 
3.000 m com obstáculos - Depois de intensa disputa com seu colega de clube (Pinheiros) Gladson Barbosa, e com Leandro Prates de Oliveira (Symap), Jean Carlos Machado Dolberth foi à frente na última volta e a 300 m do final assumiu a liderança, até vencer a prova com 8:54.17. Jean é líder do Ranking do País com 8:45.58 e espera correr a prova em menos de 8:40.00 garantirá lugar no PAN. "Estou em recuperação de uma virose e não quis forçar demais", falou o atleta.
 
Decatlo - O atleta mais completo da edição 2015 do Troféu Brasil Caixa de Atletismo já está definido: é Luiz Alberto Cardoso de Araújo, da BM&FBovespa, campeão do decatlo. Na somatória das 10 provas, Luiz Alberto somou 8.034 pontos. "Minha busca agora é chegar aos 8.100 pontos, para obter qualificação para o Mundial (em agosto próximo) e a Olimpíada (em 2016)", disse Luiz Alberto.
 
Classificação parcial - Depois de três dias de competições, a BM&FBovespa mantém a liderança na classificação geral parcial do Troféu Brasil Caixa, com 342 pontos, em busca do 14º título consecutivo. O Pinheiros continua em segundo lugar, com 260, seguido de Orcampi/Unimed (196), ASA São Bernardo/CAIXA (72,5) e Rezende Unimep Selam (41).
 
Veja Também: 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 
 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook