Caio Bonfim faz história na marcha e Rosângela avança no Mundial | Esporte Alternativo - O site de quem pratica esportes !

Caio Bonfim faz história na marcha e Rosângela avança no Mundial

O marchador brasiliense Caio Bonfim / Foto: Wagner Carmo / CBAtO marchador brasiliense Caio Bonfim / Foto: Wagner Carmo / CBAt

Pequim - O brasiliense Caio Bonfim conquistou na manhã deste domingo (dia 23), em Pequim, na China, o melhor resultado de um marchador do País, na história do Campeonato Mundial. Caio ficou em sexto lugar nos 20 km, que teve a chegada ao Estádio Nacional, o Ninho do Pássaro. Ele marcou 1:20:44, seu melhor tempo em 2015.
 
Assim, Caio igualou o feito do catarinense Sergio Galdino, que no Mundial de Stuttgart, na Alemanha, em 1993, conseguiu a mesma posição, na prova.
 
Caio credita o bom resultado à regularidade que manteve em todo o percurso e à técnica que obteve em competições que nos dois últimos anos teve condições de fazer na Europa. "Durante a prova procurei manter um ritmo regular, de forma que pudesse chegar ao final disputando os primeiros lugares", afirmou Caio.
 
Segundo Caio, ao chegar à pista do Ninho do Pássaro, ainda dava para brigar pelo quinto lugar com o chinês Zelin Cai, que terminou dois segundos antes. "No entanto, não cometi nenhuma falta em toda a prova e decidi não arriscar uma boa performance e um bom sexto lugar por apenas uma posição", disse o atleta. Ele explicou que na reta final da prova o árbitro pode desqualificar o marchador por apenas uma falta. "Preferi a segurança e deu certo", disse.
 
O pódio em Pequim: 1º Miguel Ángel López (Espanha), 1:19:14 (recorde pessoal), 2º Zhen Wang (China), 1:19:29 e 3º Benjamin Thorne (Canadá), 1:19:57 (recorde nacional). 
 
Para o atleta, os bons resultados que tem conseguido devem-se em boa parte ao trabalho da família. "Meu pai (João Sena) é meu treinador, minha mãe (Gianetti Bonfim) é quem monta toda a estrutura de apoio e meu irmão (Evan) é o grande incentivador, é um time vitorioso", diz com orgulho.
 
João Sena e Gianetti acompanham o filho em Pequim e o pai faz parte da delegação, como responsável pelo grupo de marchadores. "Pude mandar o Caio à Europa com parte de recursos próprios, com apoio do Governo do Distrito Federal e da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt)", disse o treinador, que também é responsável pelo Clube de Atletismo de Sobradinho (CASO).
 
Caio, João Sena e Gianetti lembraram que o trabalho "agora continuar tendo em vista a participação nos Jogos Olímpicos do Rio 2016. A meta é o pódio olímpico".
 
O presidente da CBAt, José Antonio Martins Fernandes, o Toninho, mandou cumprimentos pelo bom resultado do atleta neste Mundial.
 
Rosângela em primeiro - Quem obteve um resultado muito bom também nesta etapa do Mundial foi Rosângela Santos. A velocista venceu a série 7 da fase preliminar dos 100 m, com 11.14 (-0.5), e garantiu a classificação para a semifinal da prova, prevista para esta segunda-feira (dia 24). "Fiz o que devia fazer para garantir a classificação, aí veio até o primeiro lugar da série", disse.
 
Rosângela, porém, é realista. As séries semifinais serão fortes. "Para chegar à final acredito que será preciso correr abaixo de 11 segundos, se fizer isso será meu recorde pessoal", concluiu.
 
Na fase de qualificação do arremesso do peso masculino, Darlan Romani foi o 15º na classificação geral e nono no Grupo A, com 19,86 m, e não disputará a final desta noite. "Não sei o que houve, estou bem, sem nenhum tipo de problema, mas o resultado simplesmente não saiu. Tinha esperança de ficar entre os 12 primeiros e disputar a final", comentou, ao deixar a pista do Ninho do Pássaro.
 
Nos 400 m, Hederson Estefani e Hugo Balduíno marcaram, respectivamente, 45.36 e 45.42, e não passaram à semifinal. Mas os dois fizeram a melhor marca da temporada.
 
No heptatlo, antes da disputa da última prova, os 800 m, na noite deste domingo, a brasileira Vanessa Chefer Spínola tem 4.848 pontos, após obter seu melhor resultado no lançamento do dardo (terceira em seu grupo com 43,75 m). "O resultado final certamente não será o que eu esperava, mas disputar o Mundial é importante para adquirir experiência", lembrou Vanessa.
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 
 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook