Scheidt retoma classe star para disputar o SSL Finals nas Bahamas

Bicampeão olímpico interrompeu o ciclo olímpico visando Tóquio 2020, mas segue como um dos grandes nomes do iatismo mundial. Próximo desafio começa dia 4 de dezembro, em Nassau / Foto: DivulgaçãoBicampeão olímpico interrompeu o ciclo olímpico visando Tóquio 2020, mas segue como um dos grandes nomes do iatismo mundial. Próximo desafio começa dia 4 de dezembro, em Nassau / Foto: Divulgação

Bahamas - Robert Scheidt anunciou recentemente o encerramento do ciclo olímpico visando os Jogos de Tóquio, em 2020, mas garantiu não se tratar de uma aposentadoria do iatismo. Ratificando a palavra empenhada, o bicampeão olímpico volta a competir na SSL Finals, entre 4 a 9 de dezembro, em Nassau, nas Bahamas. Esta será a quinta edição do evento final da Star Sailors League, na qual o brasileiro vai em busca do segundo título após ter sido campeão logo no ano de estreia.
 
Scheitd formará dupla com Henry Boenning, o Maguila. Juntos, conquistaram a medalha de bronze no ano passado. Do total de quatro edições disputadas até agora, o bicampeão olímpico competiu em três. Além do título em 2013, conquistado ao lado de Bruno Prada, e do bronze no ano passado com Maguila, Robert foi quinto colocado em 2014, também com Prada.
 
O prêmio geral em Nassau é de US 200 mil, mas a motivação do iatista brasileiro vai além dos ganhos financeiros. “O SSL Finals é uma competição de alto nível e que cresce a cada ano, reunindo alguns dos melhores do mundo. É sempre muito bom participar. Vamos ver como vou me sair na star, depois de passar esta temporada inteira me dedicando a 49er”, afirma o bicampeão olímpico de 44 anos, que tem patrocínio do Banco do Brasil e Rolex e apoio do COB e CBVela.
 
Retornar à classe que lhe rendeu duas medalhas olímpicas e três títulos mundiais é sempre uma alegria para Robert, que retomou os treinos na star para se competitivo em Nassau. Scheidt pretende chegar às Bahamas alguns dias antes do início da competição para completar o treinamento e fazer os ajustes finais na própria raia onde serão disputadas as regatas.
 
Despedida olímpica - Scheidt tomou a decisão de deixar a 49er por motivos profissionais e pessoais. “Não é fácil começar do zero, aos 43 anos, em uma categoria que exige muito do físico. Sofri com algumas lesões nessa temporada e o período de recuperação não é mais o mesmo. Eu precisaria de muito mais tempo de treino para chegar competitivo em 2020 e, nessa altura da vida, não quero abrir mão da família. Tenho dois filhos pequenos, minhas maiores medalhas, e estar com eles e com minha mulher é muito importante”, esclareceu o iatista de 44 anos, sobre sobre Erik, de oito anos, e Lukas, de quatro, fruto do casamento com a lituana e também velejadora Gintare.
 
Robert Scheidt tem duas medalhas de ouro olímpicas (Atlanta/96 e Atenas/2004)e uma prata (Sidney/2000) na classe Laser, mais uma prata e um bronze na Star (Pequim/2008 e Londres/2012). Ao todo, são 11 títulos mundiais na Laser e três na Star. Na Rio/2106, terminou na quarta colocação. Scheidt tem patrocínio do Banco do Brasil e Rolex e apoio do COB e CBVela.
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

CEO da CBDN

Pedro Cavazzoni fala sobre PyeongChang 2018

Esportes de Neve

Victor Santos fala sobre o Cross Country

 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook