Scheidt e Borges estão no top 40 após o primeiro dia do Mundial de 49er

Competição na cidade do Porto, em Portugal, começou com ventos fracos e 81 barcos. Dupla formada pelo campeão olímpico e seu proeiro velejou com consistência. Classificação mudou após as regatas em função do julgamento de protestos / Foto: DivulgaçãoCompetição na cidade do Porto, em Portugal, começou com ventos fracos e 81 barcos. Dupla formada pelo campeão olímpico e seu proeiro velejou com consistência. Classificação mudou após as regatas em função do julgamento de protestos / Foto: Divulgação

Portugal - Após dois dias à espera do vento, o Campeonato Mundial de 49er finalmente começou nesta quarta-feira (30), na cidade do Porto, em Portugal.
 
Ao todo, 81 barcos largaram e, após três regatas, o estreante na maior competição da classe, Robert Scheidt, e o proeiro Gabriel Borges cruzaram a linha de chegada 8º, 24º e 9º lugares e aparecem na 38ª posição na classificação geral. O Mundial segue nesta quinta-feira (31), com expectativa de vento forte.
 
“Finalmente o campeonato começou. Após uma longa espera de dois dias e do período da manhã desta quarta, fomos para a água por volta das 14h. Começou com vento fraco, entre 5 e 6 nós, e terminou, na última regata, por volta dos 10 nós. Largamos bem nas três provas. Na primeira chegamos a estar em terceiro, mas cometemos alguns erros e terminamos em oitavo. Na segunda também tivemos boas chances, contudo não soubemos ler bem o vento e tomamos decisões equivocadas. Na última corrida novamente conseguimos velejar bem. Estamos felizes e vamos com tudo”, disse o bicampeão olímpico, patrocinado pelo Banco do Brasil e Rolex, com os apoios do COB e CBVela.
 
Juntamente com a expectativa da sequência de bons desempenhos, Scheidt e Borges devem subir na classificação geral do Mundial com a entrada dos descartes dos piores resultados. Após o primeiro dia, a dupla tem 41 pontos perdidos. A ordem dos barcos sofreu alterações depois do julgamento de protestos. Os novos líderes são os ingleses James Peters e Fynn Sterrit, com 9 pontos perdidos. Entre os demais brasileiros em Portugal, Carlos Robles/Marco Grael e Dante Bianchi/Thomas Low-Beer aparecem em 34º e 53º lugares, respectivamente. No feminino, Martine Grael com Kahena Kunze, dupla campeã olímpica nos Jogos Rio 2016, ocupa a 6ª colocação.
 
Tóquio 2020 - Bicampeão, maior medalhista olímpico do Brasil e considerado uma lenda viva nas classes Star e Laser, Robert Scheidt disputa sua primeira temporada na 49er aos 44 anos. Em Portugal, estreia em um Mundial na nova classe. Consciente dos desafios, busca experiência ao velejar em um barco maior, mais veloz e com estratégias diferentes a fim de iniciar um novo ciclo olímpico, visando os Jogos de Tóquio, em 2020.
 
Recentemente, Scheidt e Borges disputaram o Campeonato Europeu. Em 15 regatas, conquistaram duas vitórias e encerraram a participação em 31º lugar, com 103 pontos perdidos, entre 92 barcos. “Aprendemos muito e deixamos o Europeu um pouco melhor do que chegamos. Estreamos um novo barco e sabemos que tudo faz parte do nosso aprendizado na 49er”, completou o atleta sobre a disputa em Kiel, na Alemanha.
 
Crescimento - A evolução de Robert na 49er pode ser comprovada pelo seu desempenho. Na Copa Brasil, no início de março, em Porto Alegre, venceu quatro regatas, as primeiras na nova categoria, conquistando a medalha de prata. Antes de competir em águas brasileiras, disputou a etapa de Miami da Copa do Mundo de Vela, em janeiro. E conseguiu o 16º lugar na disputa que reuniu 26 barcos com os melhores iatistas do planeta. Na Miami Mid Winters, também no início de 2017, obteve o 11º lugar no campeonato que envolveu 17 competidores. No final de março, correu o Troféu Princesa Sofia e novamente fez um 11º lugar. 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

CEO da CBDN

Pedro Cavazzoni fala sobre PyeongChang 2018

Esportes de Neve

Victor Santos fala sobre o Cross Country

 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook