Sabrina Gobbo é campeã do triathlon no XTerra 2018

Sabrina Gobbo em Mangarativa / Foto: XTerra / DivulgaçãoSabrina Gobbo em Mangarativa / Foto: XTerra / Divulgação

Rio de janeiro - A centésima etapa do XTERRA no Brasil também foi a primeira da temporada 2018. Em dois dias ensolarados de competições em Mangaratiba, no Rio de Janeiro, o XTERRA Costa Verde contou com mais de 2.500 atletas amadores e profissionais.
 
O festival contou com a modalidade de Aquathlon (1 km de natação + 5 km de corrida) pela primeira vez na sua história e teve resultados inesperados, com favoritos sendo superados no Triathlon, na Trail Run 21 km e no Swim Challenge 1,5 km.
 
Triathlon - A principal modalidade do XTERRA teve sua primeira prova do ano lotada e com resultado surpreendente entre os homens. Na categoria feminina, a atual tetracampeã Sabrina Gobbo começou a nova jornada vencendo com facilidade, com mais de 9 minutos de diferença para a segunda colocada, Brisa Melcop.
 
"Não nadei tão bem, mas na bike consegui buscar as meninas. Abri uma vantagem boa no pedal, enquanto minha corrida não foi como esperava", contou Sabrina, ciclista que tem sua bike equipada com os componentes Shimano
 
Já o paranaense Felipe Moletta, que já ganhou o ranking em seis oportunidades (2011, 2012, 2014, 2015, 2016 e 2017), travou uma disputa acirrada com o paulista Fernando Toldi, que debutou no mundo off-road com uma vitória marcante e significativa.
 
"Foi divertido demais, adorei a prova e o clima do XTERRA. Agora eu vou tentar também competir pelo título, pois percebi que é possível. Obviamente não vou conseguir ir em todas as etapas porque tenho outro foco no momento, mas gostaria bastante de ser campeão", assume.
 
Aquathlon - A prova inédita de 2018, o Aquathlon, teve inscrições esgotadas, com 200 atletas competindo na praia particular do Portobello. A competição foi dominada pelo carioca Eduardo Gonzalez e pela paulista Clarissa Brito, que entraram para a história do XTERRA como os primeiros vencedores. Nadadores há mais de 20 anos, Dudu e Clarissa abriram vantagem no trecho da natação e aceleraram na corrida, que teve o caminho bem escorregadio devido à quantidade de lama oriunda das chuvas em dias anteriores.
 
"O percurso estava muito difícil, choveu bastante nessa semana e a distância de 5 km pareceu ser 10 km na verdade. Estava bem deslizante e tive que explorar bastante a técnica. Mas foi tudo excelente, o XTERRA está de parabéns e é sempre uma viagem maravilhosa por evento. Não são 100 etapas à toa", explicou Dudu Gonzalez, aproveitando para elogiar o formato XTERRA.
 
Trail Runs (10 km e 21 km) - Nas Trails Runs o percurso estava extremamente desafiador, um dos mais difíceis até hoje segundo depoimento de vários corredores, que contavam aos risos a quantidade de escorregões. E o inesperado aconteceu. O atual campeão do ranking Antônio Gonçalves perdeu os 100% de aproveitamento na história do XTERRA Trail Run 21 km.
 
Agora com 8 vitórias em 9 participações, o mineiro natural de Piau correu no sacrífico, com uma lesão por estresse na coxa direita e um tratamento prévio à base de muita injeção. Apesar da contusão, ele chegou atrás somente de Raphael Valverde. Entre as mulheres nada mudou, Geisla dos Santos, campeã de 2017, venceu com sobras e permanece sendo a candidata ao título de 2018.
 
Na menor distância, a Trail Run 10 km, os destaques foram Nilton dos Santos e Solange Mariano, que dominaram do início ao fim. O XTERRA Kids contou com mais de 150 crianças de até 13 anos de idade correndo em pequenos percursos de 50m a 1km. A prova finalizou o XTERRA Costa Verde num clima descontraído e familiar.
 
 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook