Thomas Galindez busca boa performance no Mundial Ironman 70.3, nos EUA

A equipe de Osasco sofre segunda derrota no Paulista e busca reabilitação diante do Sesi na terça-feira (12) / Foto: DivulgaçãoA equipe de Osasco sofre segunda derrota no Paulista e busca reabilitação diante do Sesi na terça-feira (12) / Foto: Divulgação

EUA - Filho de um grande ícone do triathlon, Thomas Galindez quer fazer bonito neste domingo (10), no Campeonato Mundial de Ironman 70.3, nos Estados Unidos. O triatleta de Santos está confiante em uma boa performance para completar a prova em Chattanooga, no Tennessee, com 1.9 km de natação, 90 km de ciclismo e 21 km de corrida.
 
“As expectativas são boas, mas sempre tento colocar os pés no chão. Ficaria contente com um top 10 e mais ainda em ser campeão mundial”, afirma o triatleta de 21 anos, patrocinado por OG Design, Motorola Argentina, City Bikes Miami e Unimes, onde cursa Educação Física.
 
O pai, Oscar Galindez, já fez história na modalidade e entre tantas conquistas estão o tricampeonato do Ironman Brasil, o hepta no Troféu Brasil e também no Triathlon Internacional de Santos e o bronze no Pan de 1995. Experiente, com quase 30 anos na modalidade, ainda continua garantindo títulos importantes, como o Pan-Americano de Ironman 70.3, ano passado, no Panamá Agora, o filho busca o seu lugar ao sol e já vem abrindo caminho com vitórias.
 
No Mundial, ele largará na ‘age group’ 20 a 24 anos, confiante. “Não penso muito na colocação. Sabemos que em um mundial estão todos bem preparados. Quero dar meu melhor e aproveitar cada quilômetro como se fosse a última prova da minha vida”, avisa Thomy, como é conhecido, que garantiu a sua vaga ao ser campeão em sua faixa etária do City Bikes Ironman 70.3, em Miami, no ano passado.
 
Este será o seu segundo mundial e em 2016 ficou entre os top 25 na Austrália. Para esta edição, fez uma preparação de quatro meses. “Tentei somar o máximo de quilometragem por semana. Cheguei a fazer 22 km na natação, 800 km pedalando e 125 km correndo”, conta.
 
Assim como o pai, que foi eleito o melhor “pedal” do mundo no triathlon, Thomy se destaca no ciclismo. “É o que mais gosto de fazer. Mas ciclismo igual o do meu pai não existe (risos)”, ressalta o triatleta, enaltecendo a inspiração para ingressar e crescer no esporte. “Quando eu era pequeno, sempre acompanhava meu pai nas competições e presenciava a garra que tinha e isso sempre me inspirou. Ainda mais agora que faço o mesmo esporte que ele”, destaca. 
 
Independente da prova deste domingo, Thomy já tem traçado o seu futuro. “Primeiro quero finalizar a minha graduação de Educação Física na Unimes e continuar treinando como estou fazendo. Mais para frente quero mudar de país e ter experiências novas no esporte”, completa o competidor, que entre outros títulos foi campeão júnior do Troféu Brasil de Triathlon em 2014, campeão do Sesc Triathlon em Palmas, em 2015, campeão do Ironman 70.3 Buenos Aires e do Half Distance Concordia, ambos na categoria 18-24 anos.
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

CEO da CBDN

Pedro Cavazzoni fala sobre PyeongChang 2018

Esportes de Neve

Victor Santos fala sobre o Cross Country

 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook