Primeiro barco brasileiro a vencer a Buenos Aires Rio será homenageado

O atual Cairu II / Foto: Divulgação / CairuO atual Cairu II / Foto: Divulgação / Cairu

São Paulo - Atenta à importância dos barcos que marcaram história na vela oceânica mundial, a organização da Ilhabela Sailing Week 2015, de 3 a 11 de julho no Yacht Club de Ilhabela, homenageará neste ano o veleiro catarinense Cairu II, primeira embarcação brasileira a conquistar um título internacional, ao vencer terceira edição da Regata Buenos Aires - Rio em 1953.
A ação tem sido frequente nos últimos anos. Em 2014, a homenagem foi destinada ao Pen Duick II, barco que levou o navegador francês Éric Tabarly à vitória na Ostar em 1964, velejada em solitário entre Plymouth (ING) e Newport (EUA).
 
A história do Cairu II começa muito antes de sua construção em 1949. Com o fim da Segunda Guerra Mundial, mesmo na América do Sul, distante do palco central dos conflitos, a integração entre os povos se fazia necessária. Assim, um grupo de velejadores, personagens relevantes da sociedade brasileira, juntou-se aos representantes da vela argentina e idealizaram a Regata Buenos Aires - Rio de Janeiro. A primeira edição foi disputada em 1947. Ainda hoje, o percurso é um dos mais longos em regatas costeiras, com 1.200 milhas náuticas e largadas a cada três anos.
 
Apesar do espírito de confraternização, a derrota para os argentinos na primeira edição, por apenas um minuto, acelerou a execução do projeto de um veleiro oceânico competitivo, identificado pelo escritório americano Sparkman & Stephens, como "Class Brazil". Com as dificuldades do pós-guerra, enfrentadas principalmente no hemisfério norte, os veleiros vieram a ser fabricados no estaleiro do Arataca, localizado abaixo da ponte Hercílio Luz, em Florianópolis (SC).
 
Nascido para vencer - "Os Classe Brasil foram construídos com um único objetivo, vencer a regata Buenos Aires - Rio", afirma o atual proprietário do Cairu II, o engenheiro civil Eduardo Hamond Regua. Em 1950, segunda edição da regata, o Brasil sofreu nova derrota. Porém, em 1953 com o projeto concluído, os Classe Brasil finalmente partiram para o desafio. "O genuíno catarinense Cairu II, lavou a honra dos brasileiros vencendo a prova e se tornando um dos veleiros mais famosos do Brasil", conta o comandante Eduardo.
 
"É um orgulho ser proprietário de um barco que carrega tanta historia e receberá uma homenagem em evento tão importante. Gostaria de estender a honra a todos que contribuem para que os veleiros clássicos ressurjam. Permitindo, assim, que suas histórias sejam mantidas. Os esforços solitários, a ABVO que abraçou a classe e o Yacht Club de Ilhabela também merecem a homenagem", considera o comandante do Cairu II, que na língua tupi significa árvore de folhas escuras. 
 
Além dos prêmios que recebeu pela histórica vitória de 1953, o barco ainda foi homenageado pelos presidentes do Brasil e da Argentina, Getúlio Vargas e Juan Peron, respectivamente e ganhou destaque nas mídias nacional e estrangeira. "A Ilhabela Sailing Week é o maior evento de vela no Brasil, motiva a disputa entre os melhores velejadores, sendo assim, um evento de pura emoção. É um privilégio competir em um paraíso como Ilhabela", finaliza Eduardo que estará a bordo do também catarinense Viva Extraordinário, enquanto o Cairu II passa por merecida reforma em Florianópolis.
 
O barco - O Cairu II é um Classe Brasil de 40 pés, projetado pelo escritório norte-americano Sparkman & Stephens e construído no estaleiro Arataca, de Florianópolis (SC), a partir de 1949. O casco é de madeira e o peso da embarcação é de 10 toneladas, medindo 12,80m de comprimento (linha d’água de 8,42m), com boca de 3,06m. Possui calado de 1,80m; área vélica de 64,10m² e motorização Gray Marine de 25hp. 
 
Primeira etapa de descontos acaba nesta segunda (15/6) - As tripulações interessadas em participar da 42ª Ilhabela Sailing Week podem aproveitar o primeiro período com descontos, prorrogado até a próxima segunda-feira, dia 15, e antecipar a inscrição de seus barcos pelo site: http://www.ilhabelasw.com.br/2015/. As regatas serão disputadas de 3 a 11 de julho, com sede no Yacht Club de Ilhabela. As inscrições seguirão até 1º de julho, porém, sem os benefícios oferecidos no primeiro prazo de descontos.
 
Estão convidadas as classes: ORC, IRC, BRA-RGS, RGS Cruiser, S40, Star, HPE 25, C30, Mini e Clássicos, além do retorno da Bico de Proa e da estreia da HPE 30. A primeira regata da Ilhabela Sailing Week será a Alcatrazes por Boreste Marinha do Brasil, a mais longa do campeonato, com 60 milhas (110 km), em homenagem aos 150 anos da Batalha do Riachuela. As largadas em todos os dias estão previstas para meio-dia.
 
Campeões da 41a. edição:
 
S40 - Pajero (Sérgio Rocha) 
C30 - Zeus (Inacio Vandresen) 
HPE - Ginga (Breno Chvaicer) 
ORC A - Seu Tatá (Paulo Cesar Haddad)
ORC B - Lucky V (Ralph de Vasconcellos Rosa)
ORC C - Bravísismo 4 (Ian Muniz)
ORC Geral - Seu Tatá (Paulo Cesar Haddad)
IRC - Rudá (Guilherme Hernandes)
RGS A - Montecristo (Julio Cechetto) 
RGS B - Total Balance (Sérgio Klepacz)
RGS C - Azulão (Marcelo Polonio) 
RGS Cruiser - BL3 (Clauberto Andrade)
RGS Geral - Azulão (Marcelo Polonio)
Por equipes - Escola Naval (Bijupirá/Breklé/Dourado/Quiricomba)
Sul-Americano de Star - Lars Grael/Samuel Gonçalves
Sul-Americano de ORC 500 - Seu Tatá (Paulo César Haddad)
Sul-Americano de ORC 600 - Orson (Carlos Eduardo Souza e Silva)
 
Veja Também: 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook