Ana Marcela Cunha vence pela segunda vez a travessia Capri-Nápoles

Apesar das mudanças na prova, devido às condições do mar, a atleta chegou quase 11 minutos antes da segunda colocada / Foto: Divulgação NissanApesar das mudanças na prova, devido às condições do mar, a atleta chegou quase 11 minutos antes da segunda colocada / Foto: Divulgação Nissan

Itália - A ilha de Capri, na Itália, está entre os mais belos destinos do Mediterrâneo. Sem aeroporto, a única ligação com o continente é por meio de balsas. Mas somente para pessoas comuns.
 
Para outros poucos, como a brasileira Ana Marcela Cunha, as braçadas são a melhor opção. A atleta do Time Nissan 2.0 conquistou, neste domingo (03) o bicampeonato da tradicional travessia Capri-Nápoles. A prova sofreu algumas alterações, devido às condições do mar, mas a baiana manteve o foco e cruzou a linha de chegada com 10m33s de vantagem para a segunda colocada.
 
Esta foi a segunda vez que Ana Marcela Cunha disputou a travessia. Na primeira, em 2014, a atleta do Time Nissan também conquistou o lugar mais alto do pódio. A prova, tradicionalmente, tem 36 quilômetros de extensão. No entanto, neste ano, o mar agitado fez com que todos os competidores fossem transportados de volta para Nápoles, onde um novo circuito foi montado. Os atletas fizeram oito voltas de dois quilômetros cada, no Golfo de Nápoles. Ana Marcela concluiu em 3h58m43s, enquanto a italiana Alice Franco cruzou a linha de chegada com 4h09m16s. O terceiro lugar ficou com a também italiana Ilaria Raimondi, que chegou 4m15s depois da compatriota.
 
Ana Marcela contou com o apoio da Nissan Itália, em parceria com a Nissan do Brasil, durante sua estada no país europeu. A atleta do Time Nissan 2.0, que em território nacional dirige um Kicks SL, teve um Nissan X-Trail à sua disposição enquanto esteve em solo italiano.
 
O resultado da 52ª edição da Capri-Nápoles se junta a outros importantes resultados alcançados por Ana Marcela nos últimos meses. Em julho, a nadadora conquistou o ouro nos 10 km de maratona aquática do Mundial de Esportes Aquáticos de Budapeste, tornando-se a única no mundo a conquistar três vezes o título da categoria. Já no mês passado, garantiu o ouro, também nos 10 km, na etapa canadense do Circuito Mundial de Maratona Aquática, disputada em Lac Mégantic, e se tornou a maior vencedora de etapas da competição, com 17 títulos.
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

CEO da CBDN

Pedro Cavazzoni fala sobre PyeongChang 2018

Esportes de Neve

Victor Santos fala sobre o Cross Country

 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook