Paulista A de Rugby conhece semifinalistas e rebaixado nesse sábado

Band Saracens e Pasteur estão separados por apenas um ponto na tabela / Foto: Daniel Venturole / Portal do RugbyBand Saracens e Pasteur estão separados por apenas um ponto na tabela / Foto: Daniel Venturole / Portal do Rugby

São Paulo - Depois de quase três meses de jogos, a primeira divisão do Rugby paulista conhecerá as equipes que seguirão na vivos na briga pelo título desse ano, e quem deixará a elite estadual em 2019. Serão quatro jogos na capital paulista, onde SPAC, Band Saracens e Pasteur lutam pela última vaga nas semifinais, enquanto Rio Branco e Templários se enfrentam pela permanência.
 
No CERET, na zona leste da capital, é dia de rodada dupla. Band Saracens e Pasteur abrem o dia com o primeiro confronto decisivo às 11h30. As equipes estão separadas por apenas um ponto na tabela, e o Pasteur, atual quarto colocado, tem a vantagem do empate no confronto, mas para não depender de um tropeço do SPAC precisa de uma vitória simples. No histórico recente entre as equipes, predomina o equilíbrio, com 4 vitórias para o Saracens, incluindo o último confronto entre ambos na Arena Paulista (no Brasileiro de 2015), e 3 para os Galos.
 
Logo depois, é a vez de Rio Branco e Templários fazerem o jogo mais nervoso da divisão. As equipes só conheceram derrotas no ano até aqui e os números são muito semelhantes, com vantagem para os representantes de São Bernardo do Campo mostrando maior poder ofensivo, e os Pelicanos melhor defesa, ainda que o Templários venha de jogos melhores. Contra o Templários, também pesa um incômodo tabu: desde 2014 (Tornados, Wallys, União Rugby Alphaville e São Carlos), todas as equipes promovidas à Série A foram rebaixadas no ano seguinte, mas o retrospecto é favorável ao clube. Uma vitória e um empate, as duas partidas em 2017 pela Taça Tupi.
 
No SPAC, o alviceleste da casa em a missão mais dura do dia, recebendo o líder invicto São José, e precisa de uma vitória com ponto bônus e torcer por um empate entre Band e Pasteur. O decano do Rugby paulista celebrou seu aniversário nessa semana e terá inspiração da seleção brasileira, que joga logo em seguida por um título inédito, para buscar a vaga para as semis e repetir o feito de 2017, quando ficou entre os quatro melhores da competição. Além da campanha impecável com seis vitórias, terceiro melhor ataques e segunda melhor defesa, os joseenses somam oito vitórias nos últimos nove confrontos, mas o último encontro entre os dois foi justamente vencido pelo SPAC.
 
Por fim, Poli e Jacareí revivem a final do ano passado no mesmo cenário que viu o título inédito da então surpreendente Poli na prorrogação. As duas equipes já estão classificadas, mas lutam para jogar as semifinais em casa, um fator que pode ser determinante para as pretensões das equipes na sequência do campeonato, e os números provam.
 
Em casa, a Poli tem aproveitamento de 70% de vitórias, que caem para 25% fora de casa, enquanto os Jacarés veem seu desempenho cair de mais de 60% para cerca de 40%. No histórico recente de confrontos diretos, 4 vitórias a favor dos Jacarés, mas no CEPEUSP, a vantagem é Politécnica, com duas vitórias e somente uma derrota. Em campo as duas equipes mostraram campanhas muito semelhantes, mas a Poli detém o melhor ataque e defesa do Paulista até aqui.
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook