Evento-teste do polo aprofunda avaliações no Estádio Olímpico

Até a temperatura da água da piscina, que deve estar entre 25 e 26 graus, será testada / Foto: Gabriel Heusi/brasil2016.gov.brAté a temperatura da água da piscina, que deve estar entre 25 e 26 graus, será testada / Foto: Gabriel Heusi/brasil2016.gov.br

Rio de Janeiro - Avaliado durante os eventos-teste da natação e natação paralímpica, nas duas últimas semanas, o Estádio Olímpico de Esportes Aquáticos, no Parque Olímpico da Barrada Tijuca, Rio de Janeiro, agora vai passar por ajustes finos para receber os Jogos Rio 2016. Até sexta-feira (29.04), a instalação será palco do evento-teste do pólo aquático.
 
No total, 32 áreas funcionais estarão em operação, sendo 16 nos moldes dos Jogos OlímpicosNo total, 32 áreas funcionais estarão em operação, sendo 16 nos moldes dos Jogos Olímpicos: competição esportiva, transporte, limpeza e lixo, apresentação esportiva, gerenciamento operacional de instalações, segurança, resultados, serviço de alimentação, desenvolvimento de legado de instalação de legado e temporárias, comunicação, força de trabalho, logística, serviços médicos, operações de imprensa, energia e tecnologia.
 
Quatro times do Rio de Janeiro vão entrar em ação para ajudar a testar a estrutura: Botafogo, Tijuca, Flamengo e Escola Naval. A equipe de esportes do Comitê Rio 2016 vai aproveitar o torneio entre equipes das categorias de base para testar principalmente quatro áreas: voluntários específicos do esporte, árbitros nacionais, apresentação do esporte e resultados. De acordo com a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA), competição de caráter amistoso servirá para testar também arbitragem, cerimônia de premiação e placar.
 
Embora não seja aberto ao público em geral, o evento servirá para colocar a equipe que vai trabalhar nas Olimpíadas em ação. “Todo time precisa treinar para fazer uma boa entrega. É assim entre os atletas e não é diferente para nós - coordenadores, supervisores e staff - que estamos preparando tudo para os Jogos”, disse o gerente de competição do polo aquático do Rio 2016, Paulo Cezar Fernandes, ao site do comitê organizador.
 
Detalhes essenciais para o perfeito funcionamento da instalação, o conforto dos atletas,torcedores e profissionais, além das normas técnicas da modalidade serão observados com especial atenção. “Duas coisas fundamentais são a profundidade da piscina e a temperatura da água, que deve ficar entre 25°C e 26°C”, explicou ao site do Rio 2016 o técnico Raul Amaya, da Escola Naval, que é árbitro internacional. De acordo com ele, detalhes desse tipo são levados tão a sério no esporte que no Mundial de Barcelona 2013 a competição só começou depois de acrescentarem gelo à água, que estava com temperatura acima do ideal.
 
Programação - O torneio será disputado em cinco dias, desta segunda (25.04) até a próxima sexta-feira (29). Serão dois jogos por noite, sempre nos mesmos horários: a primeira partida começa às 18h20 e termina 19h20, e o segundo jogo será iniciado às 19h40, com término marcado para 20h40. Nesta segunda, as partidas são Botafogo x Flamengo e Escola Naval x Tijuca. Na terça, enfrentam-se Flamengo x Tijuca e Escola Naval x Botafogo. No dia 27, os jogos serão Botafogo x Tijuca e Flamengo x Escola Naval. Os resultados vão definir o emparelhamento e, na quinta-feira (28.04) serão disputadas as semifinais.
 
No último dia da competição, na sexta-feira (29), os perdedores das semifinais disputam a medalha de bronze a partir das 18h20. Depois, com início às 19h40, entram na piscina os vencedores das semifinais, que definirão o campeão do torneio. Após os jogos, será feita uma cerimônia de premiação para entrega das medalhas.
 
Investimentos - Sessenta atletas participam da disputa. Como são da categoria júnior, os jogadores não compõem a seleçao brasileira que vai disputar os Jogos Rio 2016. Mesmo assim, cinco desses atletas são contemplados com o Programa Bolsa Atleta, do Ministério do Esporte. No total, 211 atletas do polo aquático em todo o país foram beneficiados com o programa no exercício de 2015, totalizando um investimento de R$ 2,7 milhões por ano. 
 
O  Ministério do Esporte também apoia os esportes aquáticos por meio de convênios com a CBDA. Entre 2010 e 2015, oito convênios para as  modalidades de natação, maratonas aquáticas, nado sincronizado, saltos ornamentais e polo aquático foram firmados, em um total de R$ 14 milhões em recursos federais. 
 
O polo aquático foi contemplado especificamente em dois desses convênios, num aporte de R$ 6,2 milhões. Os recursos foram aplicados na preparação das seleções masculina e feminina para os Jogos Rio 2016, incluindo treinamentos e participação em competições internacionais. 
 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Curta - EA no Facebook