Wrestling nacional conhece campeões e promete disputa vagas em Tóquio-2020

Joílson Júnior aplica suplex em Diego Romanelli e leva ouro na categoria até 67kg / Foto: Ruiva Fight /CBWJoílson Júnior aplica suplex em Diego Romanelli e leva ouro na categoria até 67kg / Foto: Ruiva Fight /CBW

Rio de Janeiro - O Campeonato Brasileiro de Wrestling 2018 disputado no último sábado, dia 17 de fevereiro, na Ilha do Governador, consagrou novos campeões nacionais e promete acirrar a disputa por uma vaga na equipe nacional que busca a partir de 2019, vagas para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020.
 
Com novo sistemas de pesagem, realizada agora no mesmo dia e novas categorias olímpicas nos estilos greco-romano e wrestling feminino, lutadores mudaram de peso e fizeram combates de alto nível técnico e em alguns casos decididos nos segundos finais.
 
"Foi o campeonato mais equilibrado de todos e não teve luta fácil para ninguém. Na semifinal, ganhei do Kenedy Pedrosa, campeão em 2014 e, na final, o Diego Romanelli medalhista pan-americano e campeão Brasileiro da categoria até 59kg antes de mudar para 67kg. Isso mostra que nós atletas estamos evoluindo, um força o outro a melhorar. O wrestling brasileiro é que sai vencedor", comentou Joílson Júnior, campeão da categoria até 67kg que arrancou aplausos dos presentes e uma das promessas para os Jogos Olímpicos de Tóquio- 2020.
 
Além de Joílson, outro destaque do estilo greco-romano foi André Pinto que superou Ronisson Brandão, dominante na categoria no último ciclo olímpico. Já no wrestling feminino, Kamila Barbosa superou a medalhista pan-americana, Caroline Soares, e ficou com o ouro na divisão até 50kg.
 
A fluminense de Niterói Gracyenne Helena, categoria até 53kg, encontrou o golpe da vitória a três segundos do fim contra a potiguar Rosemary Brito, quando perdia a três segundos do fim do combate e ficou com o primeiro lugar. Mesmo sem a medalhista mundial Aline Silva, em fase final de recuperação em virtude de uma trombose, a equipe feminina de São Paulo terminou empatada com a do Rio de Janeiro em ouros, quatro para cada estado. 
 
No estilo livre mais uma luta decidida no último golpe. O carioca Wellington Silva, na categoria até 57kg do estilo livre. A promessa amazonense Daniel Nascimento, 19 anos, vencia por 5 a 4 até o segundo final, quando Wellington conseguiu empatar e vencer no critério de desempate do último golpe aplicado. O Desafio foi pedido e os árbitros, depois de assistir o vídeo, confirmaram a vitória de Wellington, que completa 40 anos em março.
 
"Deixei minha família passando férias na Região dos Lagos do Rio para treinar e buscar o título. Não importa a idade, se você faz o que ama e se dedica para isso, uma hora você é recompensado, enquanto tiver forças, vou seguir lutando. Acreditei até o final e no último ataque deu certo", explicou o experiente Wellington. .
 
Na classificação geral por equipes São Paulo ficou em primeiro lugar, Rio de Janeiro em segundo e Minas Gerais em terceiro. O wrestling nacional volta a se reunir em março para disputa do Campeonato Brasileiro Cadete 2018, para atletas de 15 a 17 anos, dia 23 de março, também no Iate Clube Jequiá, Rio de Janeiro. 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Curta - EA no Facebook