Seletiva Juvenil de Ginástica Rítmica reúne jovens talentos em São Caetano

Camila Ferezin, coordenadora de Selecoes / Foto: Ricardo Bufolin/CBGCamila Ferezin, coordenadora de Selecoes / Foto: Ricardo Bufolin/CBG

São Paulo - A nova geração da ginástica rítmica brasileira vive um momento importante. A partir desta sexta-feira, dia 16 atésábado, dia 17, um grupo de atletas participa de uma seletiva que irá definir as representantes do País no Pan-Americano Juvenil, marcado para o início de maio, na Colômbia.
 
A competição internacional é classificatória para os Jogos Olímpicos da Juventude, que serão disputados em Buenos Aires, na Argentina, ainda este ano.
 
A seletiva está sendo realizada no CER Bochófilo São José, em São Caetano do Sul (SP), e ficará a cargo do Comitê Técnico de Ginástica Rítmica da Confederação Brasileira de Ginástica (CBG), da coordenação de Seleções de Ginástica Rítmica e dos árbitros internacionais que estão presentes. 
 
São dez ginastas individuais convidadas a participar e a expectativa é a melhor possível, já que se trata de um geração muito talentosa. "A expectativa é muito positiva, considerando que as ginastas da categoria juvenil terão um grande desafio, que é o de lutar pela conquista da vaga para os Jogos Olímpicos da Juventude em outubro", destacou Camila Ferezin, coordenadora de Seleções de Ginástica Rítmica.
 
Renata Teixeira, coordenadora do Comitê Técnico de Ginástica Rítmica da Confederação Brasileira de Ginástica (CBG), ressaltou a importância da preparação forte nessa categoria para a evolução da modalidade. "O Pan-Americano é um campeonato muito forte. Ele vale vaga para os Jogos Olímpicos da Juventude. Cada vez mais é importante que o Brasil se apresente bem desde o juvenil, já que o sistema de classificação olímpico para Tóquio mudou, quando as vagas virão também do campeonato continental em 2020." 
 
A seletiva irá selecionar três ginastas do individual e também avaliar o já classificado conjunto do SERC Santa Maria, atual campeão do brasileiro da categoria.
 
Um dos diferenciais do trabalho realizado durante estes dois dias é a parte de orientação da carreira de um atleta que será passada às participantes. Para complementar esse tema tão importante foi convidado Ronan Mairesse, coach esportivo e executivo, que trabalha com várias personalidades do esporte.
 
“É uma responsabilidade enorme trabalhar com uma geração nova. Quando falamos de formação de atletas campeões, não estamos falando exclusivamente em conquistar títulos, mas também em ter a conduta de um verdadeiro vencedor”, frisou o coach.
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook