Sul-Americano será próximo desafio das Seleções Brasileiras

Ginastas do Conjunto e do Individual disputam a competição na Bolívia a partir de quarta-feira (27) / Foto: Ricardo Bufolin/CBGGinastas do Conjunto e do Individual disputam a competição na Bolívia a partir de quarta-feira (27) / Foto: Ricardo Bufolin/CBG

Bolívia - A agenda de competições das Seleções Brasileiras de Ginástica Ritmica continua agitada. Depois da participação no Campeonato Mundial de Pesaro, na Itália, que terminou no início do mês, as equipes voltam a buscar bons resultados, desta vez no Sul-Americano, em Cochabamba, na Bolívia.
 
As atletas do individual e do conjunto embarcaram neste sábado (23) e as disputas começam na próxima quarta-feira (27). Todas as apresentações serão realizadas no Coliseo Polifuncional da Universidad del Valle Unidad Académica Cochabamba.
 
O conjunto é formado por Alanis Ávila, Francielly Pereira, Gabrielle Silva, Heloísa Bornal, Jéssica Maier e Marine Vieira, sob coordenação da técnica Camila Ferezin. As representantes do individual são Karine Walter, Mariany Miyamoto e Natália Gaudio, acompanhadas das treinadoras Mônika Queiroz, Gracieli Morais e Vanessa Hagemann. 
 
A delegação brasileira chega com antecedência à Bolívia para fazer os últimos treinamentos antes do início do torneio. As expectativas são as melhores possíveis, já que, com excessão de Mariany Miyamoto, todas vêm de um longo período na Europa, onde participaram da Copa do Mundo de Kazan, na Rússia, fizeram treinamentos na Bulgária e, depois, seguiram para o Mundial na Itália. 
 
"Nossa expectativa é trazer o maior número de medalhas possível. O Brasil vai bem forte e com muita vontade de conquistar resultados sólidos e significativos para a ginástica brasileira", destacou a técnica do conjunto e coordenadora das Seleções, Camila Ferezin.
 
"É importante lembrar que o Sul-Americano é uma importante competição e também serve como preparação para o Pan-Americano de Daytona, em outubro. Além disso, neste ciclo olímpico, a grande chance do Brasil conquistar uma vaga para Tóquio no conjunto é garantir o primeiro lugar no Pan em 2019. Por isso, temos que chegar neste campeonato continental, que é o primeiro do ciclo, desde já muito bem preparadas", acrescentou Camila. 
 
Para a técnica Monika Queiroz, as atletas precisam estar bem preparadas para essa sequência forte de competições. "O calendário mais extenso para nós ficou para o segundo semestre. Então, estamos emendando várias competições, porque temos ainda as nacionais e continentais. Isso requer uma preparação forte para que possamos buscar os melhores resultados possíveis. No Sul-Americano sempre temos que estar bem preparadas para ir em busca de medalhas, mesmo o Brasil sendo uma potência no continente, pois todos os países estão crescendo. Hoje há muitos treinadores estrangeiros trabalhando na América do Sul e isso faz com que tenhamos mais competitividade."
 
A programação começa na segunda-feira (25) com o treinamento escalonado das equipes. No dia seguinte, ocorre o treinamento de pódio, enquanto as disputas começam na quarta e vão até sexta-feira.
 
Programação
 
Quarta-feira (27)
Qualificatórias e Finais arco e bola
Conjunto cinco arcos
 
Quinta-feira (28) 
Qualificatórias e Finais maças e fita
Conjunto três bolas e duas cordas
 
Sexta-feira (29)
Final individual geral
Finais conjunto
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook