Treinamento termina e mostra potencial da nova geração

Nova geração da GAF / Foto: Ricardo Bufolin/CBGNova geração da GAF / Foto: Ricardo Bufolin/CBG

São Paulo - A ginástica artística brasileira é conhecida por ídolos como Diego e Daniele Hypolito, Arthur Zanetti, Arthur Nory e Jade Barbosa, entre outros, além de grandes nomes que já deixaram as competições, mas uma jovem e talentosa nova geração vem ganhando destaque e já deixou de ser promessa para se tornar realidade. Prova disso é o grande número de jovens atletas que mostrou qualidade e disposição durante o primeiro estágio de treinamento realizado no Centro de Treinamento Time Brasil, no Rio de Janeiro (RJ), até o último sábado, dia 27 de janeiro.
 
Foram 12 dias de concentração e troca de conhecimento, que contribuíram para o desenvolvimento da modalidade e dessa nova geração. Alguns desses atletas já têm garantindo resultados expressivos em competições nacionais e internacionais das categorias de base. Isso demonstra o trabalho contínuo que tem sido feito para manter os grandes feitos já conquistados até hoje.
 
Para esses novos representantes do País, foi uma oportunidade de ouro por vários fatores: estar ao lado de atletas experientes e consagrados, treinar com profissionais do mais alto nível técnico e poder usufruir de uma estrutura de ponta como a do CT.
 
Diogo Brajão é um dos representantes dessa nova geração e disse que aproveitou cada segundo a oportunidade de estar ao lado de atletas consagrados e experientes. "Os treinos começaram bem no início do ano e já chegaram fortes. Tivemos a presença de técnicos de todo o Brasil e atletas experientes que são até medalhistas olímpicos. É muito bom poder estar junto com eles, concentrado. Aprende-se muita coisa com eles", disse o atleta que no ano passado disputou o International Junior Gymnastics Competition, em Yokohama, no Japão, e conquistou a medalha de bronze na barra fixa, além de terminar em sétimo no all around.
 
"Voltamos mais cedo aos treinos e espero evoluir ainda mais para as competições que vêm pela frente. O camping foi muito forte e acrescentou muito na nossa preparação", disse Thaís Fidelis, uma das "novas caras" da Seleção, que já integrou a equipe brasileira no Mundial de Montreal, no Canadá, no ano passado, e chegou às finais do individual geral.
 
Fabiane Valentim também integra esse "time dos novos talentos", e destaca a chance de estar ao lado de ginastas com muita bagagem. "Esta foi uma oportunidade boa para mim. Ajuda bastante ter atletas como a Flávia (Saraiva), a Dani (Hypolito) e a Jade (Barbosa). Isso ajuda bastante porque elas são muito profissionais e nos ajudam em tudo que precisamos. Essa troca de experiência é muito boa. Qualquer ajuda é sempre bem-vinda."
 
O camping teve o comando do coordenador de Seleções Marcos Goto e a presença de de técnicos de vários clubes, que também tiveram um grande aprendizado. "O camping foi uma oportunidade maravilhosa de aquisição de novas informações e conhecimentos técnicos em diversas áreas. Proporcionou uma incrível troca de experiência entre todos os segmentos: treinadores, ginastas e toda a equipe multidisciplinar. Isso, sem dúvida, contribuirá para uma melhor e mais completa formação dos ginastas para o nosso País", pontuou Carlos Bezerra, treinador da APAM, de Brasília (DF), que participou do estágio.
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook