Na última subdivisão, Brasil faz classificatórias masculinas do Mundial

Brasileiros terão a oportunidade de observar concorrentes antes de entrar em cena, já que muitos países de tradição na modalidade competem ainda hoje / Foto: Ricardo Bufolin/CBGBrasileiros terão a oportunidade de observar concorrentes antes de entrar em cena, já que muitos países de tradição na modalidade competem ainda hoje / Foto: Ricardo Bufolin/CBG

Canadá - Chegou a hora da Seleção de Ginástica Artística Masculina colocar à prova toda a preparação feita este ano. Depois de muitos treinamentos, avaliações, controles e muito mais, Arthur Nory, Arthur Zanetti e Caio Suza estão prontos para a estreia no Mundial de Montreal, no Canadá. Integrantes da quarta e última subdivisão eles competem nas classificatórias nesta terça-feira (3), a partir das 10h30 (horário de Brasília), no Estádio Olímpico.
 
A primeira, segunda e terceira subdivisões, que competem hoje, contam com a presença de atletas de países tradicionais na modalidade, como Alemanha, China, Rússia, Estados Unidos e Japão, entre outros. Na subdivisão do Brasil estão também Nova Zelândia, Holanda, Sri Lanka, Irlanda, Turquia, Itália, Chile, Áustria, Colômbia, Eslováquia, Coreia, Lituânia, Jordânia, Finlândia, Peru e República Tcheca.
 
Caio será o único dos três que estará na disputa de todos os aparelhos, em busca de uma vaga nas finais do individual geral. Já Zanetti compete na maior especialidade dele, as argolas, aparelho em que foi campeão olímpico em 2012, vice em 2016, e três vezes medalhista em Mundiais. Para completar, Nory busca resultado no solo, no qual foi bronze na Rio 2016, e na barra fixa, aparelho que chegou à final no Mundial de 2015, em Glasgow.
 
A contar pela experiência dos ginastas nas especialidades que irão competir as perspectivas são muito boas. Pôde-se ao menos dizer que os três estão pisando em terreno seguro, pois além dos resultados, fizeram uma ótima preparação, mesmo sabendo que a concorrência é grande. Por se apresentar na quarta subdivisão, o Brasil terá a 'vantagem' de poder observar grande parte dos adversários antes de entrar em cena e, a partir daí, guiar melhor a série. As outras três subdivisões masculinas passam pelas qualificatórias hoje.
 
No entanto, apesar de alguns fatores positivos, como o fato de competir mais tarde, eles acreditam que independentemente disso, precisam colocar em prática o que sabem para obter resultados para o País. "Treinamos para fazer a nossa parte, independentemente de estarmos na primeira, segunda ou última subdivisão. O bom é que vamos poder ver todas as notas e como a arbitragem está julgando. Então, vamos jogar com isso também. Vamos poder ver se muita gente errou tal aparelho, se acertou, se vale a pena dificultar a série ou fazer uma série mais limpa. Isso é bom por um lado, mas estamos preparados para o que vier", declarou Nory.
 
Ele lembra a aclimatação que o Brasil fez em Montreal desde o dia 17 de setembro, quando teve a oportunidade de se acostumar com o clima, com os aparelhos e com toda a estrutura da competição. "O campeonato está muito bem estruturado. O ginásio é incrível, tanto de competição quanto de treinamento, aparelhagem, organização. Isso é muito bom para a nossa preparação. Estamos aqui em Montreal há um tempo já, fizemos uma boa aclimatação no centro deles é, antes disso, no CT Time Brasil, no Rio, então, tudo faz parte. Tudo nos ajuda a entrar bem, confiantes e confortáveis para fazer o que fazemos no treino", acrescentou.
 
Zanetti também destaca o trabalho pré-Mundial. "A preparação até aqui foi boa. Fizemos uma aclimatação importante antes do campeonato. Hoje treinamos de manhã, tranquilos. Estamos prontos. Nunca devemos pensar no resultado e sim em fazer o nosso melhor e deixar a competição rolar", comentou Zanetti, com a experiência de um grande medalhista.
 
Caio comentou sobre a última oportunidade que tiveram hoje pela manhã de colocar todos os pontos em ordem. No sábado, eles passaram pelo treino de pódio, na arena de competição e, tiveram mais estes dois dias para fazer ajustes. "O treino de hoje foi bem tranquilo, foi só para ajudar algumas coisas na preparação para amanhã. Fiquei feliz com meu treino de pódio e a expectativa para amanhã é poder competir da melhor forma possível. O bom de competir na última subdivisão porque já se sabe os resultados anteriores, mas não muda muito", concluiu.
 
As finais masculinas têm início na quinta-feira (5) com o individual geral (transmissão SporTV 4), a decisão por aparelhos será no sábado (7) (SporTV 3) e domingo (8) (SporTV 4). 
 
Enquanto o masculino está prestes a entrar em cena, o feminino ainda tem mais um tempinho antes de competir. Na quinta e última subdivisão feminina, o Brasil faz as classificatórias somente na quarta-feira (4). Thaís Fidelis passou pelo treino de pódio ontem. Já Rebeca Andrade, que sentiu um incômodo no joelho direito foi poupada e passará por avaliação.
 
Programação 
*Horário de Brasília
 
Terça-feira (3)
Qualificatória masculina
10h30 - subdivisão 4 (Brasil) 
Qualificatória feminina
17h - subdivisão 1
20h - subdivisão 2
 
Quarta-feira (4)
Qualificatória feminina
14h - subdivisão 3
17h - subdivisão 4
20h - subdivisão 5 (Brasil)
 
Quinta-feira (5)
19h20 - Apresentação Cirque du soleil
20h - Final individual masculino
 
Sexta-feira (6)
19h20 - Apresentação Cirque du soleil
20h - Final individual geral feminino
 
Sábado (7) 
14h - Final por aparelhos 
Masculino - solo, cavalo com alças e argolas
Feminino - salto e barras assimétricas
 
Domingo (8)
14h - Final por aparelhos
Masculino - salto, paralelas e barra fixa
Feminino - trave e solo
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

CEO da CBDN

Pedro Cavazzoni fala sobre PyeongChang 2018

Esportes de Neve

Victor Santos fala sobre o Cross Country

 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook