Thaís Fidelis lidera dois rankings da temporada de Challenge Cups

Ginasta de apenas 16 anos ocupa a primeira colocação do solo e da trave / Foto: Ricardo Bufolin/CBGGinasta de apenas 16 anos ocupa a primeira colocação do solo e da trave / Foto: Ricardo Bufolin/CBG

Canadá - A ginástica artística brasileira já conquistou importantes resultados e promete ainda muito mais para os próximos ciclos olímpicos. Um exemplo disso é a jovem Thais Fidelis, que com apenas 16 anos, ficou em primeiro lugar no ranking do solo e da trave na temporada 2017 de Challenge Cups. A jovem atleta do Cegin (PR) é a única entre todos os ginastas de vários países, do masculino ou feminino, a liderar mais de um aparelho.
 
A Federação Internacional de Ginástica (FIG) divulgou as listas baseadas nas cinco etapas da Copa do Mundo deste ano: Koper (Eslovênia), Osijek (Croácia), Varna (Bulgária), Szombathely (Hungria) e Paris (França). Os ginastas foram somando pontos de acordo com seus desempenhos, e os melhores três resultados em cada evento entraram na somatória. Cada primeiro lugar recebeu 30 pontos, seguido por 25 pontos para cada segundo lugar, 20 pontos para cada terceira posição e assim por diante.
 
Thaís somou 70 pontos no solo mesmo tendo participado de apenas três etapas. Ela ficou com o ouro em Osijek e em Varna e acabou na quarta posição em Koper. Já na trave, a ginasta natural de Ribeirão Preto (SP) terminou com 62 pontos ao ficar na primeira posição em Osijek, além do quarto lugar em Koper e da sexta posição em Varna.
 
"A Thaís vem há alguns anos mostrando resultados expressivos nacionais e internacionais nas categorias de base e isso foi um grande aprendizado para ela. Este ano, ela fez a estreia no adulto com muitas coisas novas nas séries, as quais precisam de tempo para ficarem consistentes e seguras. Mesmo assim, ela foi campeã brasileira adulta e vem nos surpreendendo com essas medalhas em Copa do Mundo", disse o técnico Roger Medina.
 
Ele conta que com os resultados obtidos até agora, as perspectivas para o futuro são bastante positivas. "É uma menina que promete chegar para ficar e fortalecer a equipe feminina para o Mundial de 2018 e, possivelmente, Jogos Olímpicos. Ela está comigo desde os nove anos e vê-la crescer assim é uma satisfação e orgulho. Estou muito satisfeito com o que ela vem apresentando", acrescentou o treinador.
 
Ainda entre os brasileiros, outro destaque é Arthur Zanetti. O duas vezes medalhista olímpico lidera o ranking das argolas com 60 pontos depois de conquistar o ouro nas duas etapas que disputou (Koper e Osijek). E Rebeca Andrade ocupa o segundo lugar no salto, com dois ouros (Koper e Varna) e 60 pontos, e também o quarto lugar das assimétricas, com 43 pontos (ouro em Varna, 11ª em Koper e décima em Osijek).
 
Os três ginastas agora estão em Montreal, no Canadá, fazendo aclimatação para o Mundial, que ocorre de 2 a 8 de outubro.
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook