Sesi-SP aposta na virada de bola para ficar com o título da Superliga

Equipe da indústria paulista precisa de vitória neste domingo / Foto: DivulgaçãoEquipe da indústria paulista precisa de vitória neste domingo / Foto: Divulgação

Minas Gerais - O segundo jogo da final da Superliga masculina de vôlei 2017/2018, entre Sesi-SP e Sada Cruzeiro, promete ser recheado de emoções. O time da capital paulista, que perdeu o primeiro jogo da final, no Ginásio do Ibirapuera, por 3 sets a 2, precisa vencer a partida deste domingo, dia 6, às 9h10, com transmissão pela Globo e pelo SporTV, para igualar a série e forçar o Golden set.
 
Para isso, o grupo comandado pelo técnico Rubinho sabe o que é preciso fazer dentro das quatro linhas para ter a chance de seguir na briga pelo título. "A nossa virada de bola no primeiro jogo foi muito abaixo do que apresentamos durante a Superliga, então acredito que temos que focar muito nesse ponto. Tentar fazer uma rotação mais rápida para conseguir dar um suporte ainda maior para o bloqueio e defesa pode fazer a diferença a nosso favor", declarou o central Lucão.
 
Acostumado com momentos decisivos, tanto no Sesi-SP como na seleção brasileira, o central ressalta o foco 100% no jogo. Com a disputa marcada para 9h10, mais cedo do que os outros jogos da temporada e com a decisão em dois jogos, podendo ser desempatada com um golden set (set extra de 25 pontos), Lucão confirma a mudança na rotina, porém não se sente muito incomodado.
 
"Mudamos nossos horários de treinos, passamos a saltar logo pela manhã, o que é mais difícil no voleibol, geralmente essa parte fica para o treino da tarde, mas em uma final não tem horário e não tem número de sets, até porque depois desse jogo acabou. Então nosso foco principal está em vencer três sets, não importa se for 3 a 0 ou 3 a 2 e depois o golden set, que será um tiro, quem começar melhor provavelmente leva", completou o camisa 16, atacante mais eficiente da competição com 64% de excelência no fundamento.
 
Na quarta decisão do time paulista no torneio nacional, curiosamente todas contra o Cruzeiro, com vitória do Sesi-SP na edição 2010/11, o grupo da capital paulista conta com mais dois destaques. Entre os maiores pontuadores, o jovem oposto Alan Souza aparece como o terceiro atleta mais eficiente, com 4,30 e 434 pontos marcados, atrás dos jogadores do time rival deste domingo Leal (438) e Wallace/Taubaté (467). Na recepção, o ponteiro Renato aparece em segundo lugar com 71% de eficiência. Alan Domingues, líbero do Montes Claros, é o primeiro colocado, com os mesmos 71%.
 
No retrospecto da temporada, o time do técnico Rubinho chega para a decisão final com histórico positivo nos playoffs. Após fechar a fase classificatória na terceira colocação com 49 pontos, o Sesi-SP foi melhor na série melhor de três das quartas de final e superou o Corinthians/Guarulhos com dois resultados de 3 sets a 0. Nas semifinais encontrou o Sesc-RJ e mais uma vez impôs respeito. Depois de um 3 a 2 em casa, a equipe paulista seguiu para o Rio de Janeiro e fechou a série ganhando por 3 a 0 duas vezes.
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook