Em jogo sem torcida, Sesc RJ perde Camponesa/Minas dentro de casa

Time carioca não conseguiu suportar a força ofensiva da equipe mineira / Foto: Gisa AlvesTime carioca não conseguiu suportar a força ofensiva da equipe mineira / Foto: Gisa Alves

Rio de Janeiro - Sem contar com o apoio da sua torcida, o Sesc RJ foi superado pelo Camponesa/Minas na tarde deste sábado, dia 17 de fevereiro,  por 3 set a 0 em jogo com portões fechados no Tijuca Tênis Clube, no Rio. A partida, que aconteceria na Jeunesse Arena, teve de ser transferida em razão dos danos na cobertura do ginásio causados pela forte chuva que atingiu o Rio de Janeiro na madrugada da última quinta-feira, dia 15.
 
Dos 20 jogos disputados pelo Sesc RJ até agora na competição, esta é a segunda derrota. Com o resultado, o time carioca mantém a segunda posição e os 52 pontos, cinco atrás do líder Dentil/Praia Clube, que venceu o Vôlei Nestlé. E vê o Camponesa/Minas, em terceiro lugar, reduzir a diferença de 10 para sete pontos.
 
Agora, o Sesc RJ dá uma pausa na Superliga e parte para o Sul-Americano de Clubes, que será disputado em Belo Horizonte de 20 a 24 de fevereiro. Para o grupo, é hora de analisar e corrigir os erros deste sábado para entrar com tudo na competição continental, que dá vaga para o Mundial de Clubes.
 
"Elas jogaram muito bem, fizeram uma grande partida. A Carol Gattaz foi bem acionada, a Hooker e a Rosamaria também jogaram muito bem, e nós não conseguimos pressioná-las. Nós não sacamos bem, nosso passe e a nossa defesa não funcionaram. Enfim, a gente não conseguiu mostrar nosso voleibol", disse a ponteira Gabi, logo após a partida.
 
O JOGO O Sesc RJ começou o jogo bem, abrindo 6 a 3 no placar, com destaque para Drussyla, no ataque e no bloqueio, porém cedeu o empate em 6 a 6, após cometer uma série de erros de recepção. O Camponesa/Minas passou a frente com uma sequência de pontos de Carol Gattaz e abriu 5 pontos de diferença, em 6 a 11.
 
Em seguida, o Sesc RJ esboçou reação, mas esbarrou na potência de ataque das adversárias que chegaram a abrir 10 pontos no placar, em 11 a 21. O Sesc RJ reduziu a diferença para 20 a 24, obrigando o técnico Stefano Lavarini a pedir tempo. No retorno, o time mineiro fechou o set em 21 a 25.
 
O segundo set começou equilibrado com disputa ponto a ponto até os 3 a 3. O Camponesa/Minas passou a frente no placar com 3 a 6, mas cedeu o empate novamente no 7 a 7. Foi então que o time mineiro reagiu e passou a frente no placar em definitivo tendo como destaque Rosamaria e Hooker. E abriu 6 pontos de vantagem em 13 a 19. O Sesc RJ voltou a encostar no placar explorando a força de ataque da dominicana Peña, chegando a 20 a 21. Porém, não alcançou mais o Minas, que encerrou em 22 a 25.
 
O equilíbrio marcou também o início do terceiro set até os 3 a 3. A partir daí o Camponesa/Minas voltou a mostrar toda a sua força ofensiva abrindo sete pontos de vantagem (5 a 12), forçando o técnico Bernardinho a pedir tempo.
 
Na volta à quadra, o time não conseguiu corrigir os erros. O Camponesa/Minas abriu então 9 pontos de diferença, em 7 a 16. O Sesc RJ reagiu e reduziu a diferença para 19 a 22, mas já era tarde para buscar uma virada. Resultado: o Camponesa/Minas alcança os 20 a 25 e fecha a partida em 3 sets a 0.
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook