Sesc RJ vence o Sada Cruzeiro e mantém a liderança da Superliga

O equilíbrio foi a tônica do jogo que confrontou líder e vice-líder da competição / Foto: SESC-RJ/DivulgaçãoO equilíbrio foi a tônica do jogo que confrontou líder e vice-líder da competição / Foto: SESC-RJ/Divulgação

Em uma partida com fortes emoções para ambas as torcidas, o Sesc RJ venceu o Sada Cruzeiro no último sábado, dia 13 de janeiro, por 3 sets 2, no tie break, com parciais de 28/26, 20/25, 25/23, 19/25 e 20/18. O público de mais de 2 mil pessoas que compareceu ao Tijuca Tênis Clube assistiu a uma partida muita equilibrada, disputada ponto a ponto ao longo de 2 horas e 44 minutos.
 
Com o resultado, o Sesc RJ alcança 33 pontos, mantém a liderança da Superliga, abre dois pontos do segundo colocado e segue invicto dentro de casa na competição.
 
Pelo lado mineiro, os destaques foram Simon, Isac, Filipe e Leal. Já do lado carioca, quem fez a diferença na partida foi Renan, João Rafael, Maurício Souza e Maurício Borges. Depois de receber o prêmio Viva Vôlei CIMED por ter sido eleito o melhor em quadra em votação no site da CBV, João Rafael passou a distinção ao colega Maurício Borges, que falou sobre a entrega do time na partida e no cotidiano.
 
"Nosso trunfo é o que a gente faz dia a dia no treinamento, ralando todos os dias de manhã e de tarde. O que a gente deixa aqui é o que a gente faz no dia a dia. Sacamos muito bem, passamos muito bem, fizemos tudo direitinho para entrar no jogo muito forte e no nível que a Superliga exige, como a gente pode ver nesse jogo", disse o ponteiro.
 
O técnico Giovane Gávio, reconhecendo a qualidade do adversário, fez alusão ao personagem do cinema "Rocky Balboa" para avaliar a partida entre líder e vice-líder da competição.
 
"A gente jogou de igual para igual com uma das melhores equipes do mundo, que foi terceira colocada no mundial. É muito difícil jogar contra eles. Eles tem um poder de fogo, de saque e ataque, que, na minha opinião, é um dos mais fortes. A gente precisou ter tranquilidade para suportar. É um pouco como a luta do Stallone, que apanha, apanha, mas, no final, ele ganha. Hoje foi assim: a gente suportou a pressão, e nos momentos importantes como esse, no quinto set, a gente conseguiu buscar umas três bolas ali que fizeram a diferença", observou o treinador 
 
O próximo compromisso da equipe de Giovane Gávio pela Superliga é no dia 20 de janeiro, contra o Corinthians-Guarulhos (SP), fora de casa, no ginásio da Ponte Grande.
 
O jogo - O Sesc RJ começou o jogo em ritmo intenso. Chegou a abrir quatro pontos de vantagem, com destaque para Renan, conseguindo furar o bloqueio do Sada Cruzeiro.  A partir dos 9/5, o time carioca começou a ceder à pressão do time mineiro, que se recuperou e buscou o empate nos 13/13. A partir daí a disputa ficou acirrada e o set passou a ser disputado ponto a ponto, fechando de forma eletrizante em 28x26.
 
O início do segundo set também foi de predomínio do Sesc RJ, que abriu 4/1. A reação mineira, porém, não tardou a chegar, com virada para 7/10 comandada por Simon, Leal e Filipe. E assim foi até o fim do set, com o Sada Cruzeiro sempre à frente do placar até fechá-lo em 20/25.
 
No terceiro set uma disputa ponto a ponto se arrastou até o Sesc RJ marcar, com dois pontos de saque de Maurício Borges, 10/7 no placar, antes disso as duas equipes não conseguiam abrir mais de um ponto de diferença. Depois de tempo pedido por Marcelo Mendez, o time mineiro reagiu e encostou em 12/11 e seguiu colado no marcador até 15/14. Foi quando o time carioca aumentou a intensidade no jogo chegando a 20/16 e, em seguida, 22/18. No final do set, o Sesc RJ suportou a pressão do Sada (que encostou em 23/22) e acabou fechando em 25/23.
 
No quarto set, o Sesc RJ teve a chance de fechar a partida em 3 x 1, mas encontrou um adversário obstinado em buscar o resultado e que abriu 5/0 com o oposto Alemão. Foi quando o Sesc RJ acordou na partida e começou a pontuar com Mauricio Borges, Renan e Tiago Barth: 3/5. Ainda que empurrado por sua torcida, que não parou de cantor ao longo de toda a partida, o Sesc RJ passou o set inteiro tentando esboçar reação e não conseguindo encostar no placar. O Sada Cruzeiro abriu seis pontos de diferença do time carioca aos 14/20 e se manteve a uma distância relativamente confortável no marcador até os 19/25.
 
No tie break, a partida pegou fogo. O time da casa saiu na frente, mas levou a virada aos 2/3. A equipe visitante ganhou confiança e abriu três pontos em 5/8. A reação carioca veio com o oposto PV, que, com uma largadinha, diminuiu para 8/9. O Sada Cruzeiro, porém, segurou as investidas do Sesc RJ e se manteve à frente do placar até o empate em 13/13 com Maurício Souza, que transformou a partida em um teste para cardíaco. A partir do empate em 15/15, as duas equipes tiveram diversas chances de fechar a partida, mas sem êxito, sempre cedendo ao adversário. Resultado: o último e decisivo set se arrastou, ponto a ponto, até o 20/18, com o Sesc RJ fechando a partida em 3 sets a 2.
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

CEO da CBDN

Pedro Cavazzoni fala sobre PyeongChang 2018

Esportes de Neve

Victor Santos fala sobre o Cross Country

 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook