Vôlei Nestlé conquista terceira vitória na Superliga na estreia oficial de Angela Leyva

Equipe de Osasco derrotou o o São Cristóvão Saúde/São Caetano por 3 sets a 1, em noite brilhante de Paula e Bia / Foto: João Neto/FotojumpEquipe de Osasco derrotou o o São Cristóvão Saúde/São Caetano por 3 sets a 1, em noite brilhante de Paula e Bia / Foto: João Neto/Fotojump

São Paulo - Na estreia oficial da peruana Angela Leyva, o Vôlei Nestlé conquistou a terceira vitória consecutiva na Superliga 2017/18. Na noite desta terça-feira (31), bateu o São Cristóvão Saúde/São Caetano, no ginásio Lauro Gomes, em jogo válido pelo encerramento da terceira rodada.
 
A vitória veio por 3 sets a 1, parciais de 27/25, 20/25, 25/16 e 26/24, em 1h45min. A maior pontuadora foi Paula, com 21 acertos, e o troféu VivaVôlei, da melhor em quadra, foi entregue a Bia, que marcou 17 pontos, sendo 11 de bloqueio.
 
Angela Leyva confessou ter sentido a estreia. “Estava muito ansiosa e um pouco nervosa, mas estou feliz com a nossa vitória. Quero agradecer a Deus, porque essa vitória é dele, pois é ele quem me dá forças para jogar. Realmente estou contente, mas sei que preciso seguir trabalhando, porque tenho muito que melhorar”, afirmou a ponteira peruana, que na verdade fez sua segunda partida pelo Vôlei Nestlé. Ela entrou em quadra na vitória por 3 sets a 0 no amistoso contra o Londrina Adeps/Positivo, na quinta-feira (26), no ginásio Moringão, na cidade paranaense, quando marcou 11 pontos.
 
Considerada a melhor em quadra, Bia também esperava dificuldades em São Caetano. “Sabíamos que aqui elas vem com tudo e forçam o saque. Mas o importante são os três pontos. Estamos felizes, claro, mas precisamos evoluir, ser mais eficientes, pois temos muito a crescer. Apresentamos bons momentos, mas vamos melhorar”, avaliou a central. Sobre o grande desempenho nos bloqueios, manteve o bom humor de sempre. “Foi muito legal acertar aqueles dois bloqueios no final e decidir o quarto set.”
 
O técnico Luizomar analisou a partida. “Sabia que ia ser difícil, que elas arriscariam o saque e acabaram tendo sucesso em uma passagem no segundo set, o que gerou uma certa insegurança na nossa equipe, pois nesse início de trabalho ainda estamos montando nossa linha de passe. Mas foi válido enfrentar essa situação, pois depois de um Campeonato Paulista desgastante, elas precisam se localizar que estão na Superliga”, analisou o treinador, que completou. “Não foi uma partida brilhante, mas foi importante, porque temos muita coisa para crescer. A Angela fez uma boa estreia, entrando em uma situação adversa. Além dela, usamos várias peças do elenco. E se tem uma coisa que me deixou satisfeito foi isso. Não pudemos contar com a Ninkovic, com uma lesão no dedo, mas colocamos 11 atletas em quadra e todas corresponderam”.
 
A equipe de Osasco vem de resultados positivos sobre Hinode Barueri e Renata Country/Valinhos e garantiu a invencibilidade no campeonato nacional. E após mais três pontos conquistado em São Caetano, o Vôlei Nestlé volta à quadra na próxima sexta-feira (3), às 21h30, no José Liberatti, contra o Pinheiros. O Sportv vai transmitir a partida.
 
O jogo - Vôlei Nestlé e São Cristóvão Saúde fizeram um primeiro set equilibrado. A equipe de Osasco comandou o placar, mas sempre com o adversário na cola. Tanto que chegaram ao empate no 20/20. A partir desse ponto, os dois times se alternaram na frente até que São Caetano teve o set point no 24/23. Mas as comandadas de Luizomar não se entregaram e conseguiram virar o placar para fechar em 27/25, após um bloqueio de Bia.
 
Embalado, o Vôlei Nestlé fez 6/3 no início do segundo set. Porém, o saque de São Caetano começou a entrar e castigou a recepção das visitantes. Com o passe comprometido, a equipe de Osasco não conseguiu fazer valer sua força ofensiva e o São Cristóvão empatou, virou e abriu vantagem. Quando Angela Leyva entrou em quadra pela primeira vez, o placar apontava 21/16 para as donas da casa. A ponteira peruana fez seu primeiro ponto no 23/19 a favor do rival, que conquistou a vitória por 25/20.
 
“Mordidas”, as jogadoras do Vôlei Nestlé voltaram com tudo para o terceiro set. Sem dar chances para as donas da casa, fecharam a parcial em um tranquilo 25/16, em 25 minutos. Tandara foi o destaque. A ponteira desceu o braço na entrada e saída de rede, mostrou visão de quadra em largadinhas do fundo e ajudou no bloqueio. Mais solta em quadra, Angela Leyva também começou a mostrar força no ataque. O ponto final da parcial, contudo, foi da oposta Lorenne, de ace.
 
O quarto set foi para cardíaco. Assim como na segunda parcial o saque de São Caetano voltou a quebrar o passe da equipe de Osasco. Tanto que abriu 9/4. Mas o time de Luizomar se equilibrou e entrou no jogo, especialmente com ataques certeiros de Paula. Com Mari Paraíba de volta (ele saiu no segundo set para a entrada de Leyva), a linha de passe voltou a funcionar. E foram da peruana os dois pontos que garantiram o empate em 18/18 e a virada no 19/18. A partida seguiu dura até o final, quando Bia, com dois pontos seguidos de bloqueio, definiu o set em 26/24 e a vitória por 3 sets a 1.
 
O Vôlei Nestlé entrou em quadra com Fabíola (1), Paula (21), Tandara (16), Bia (17), Nati Martins (6), Mari Paraíba (4) e a Líbero Tássia. Entraram: Carol Albuquerque (1), Lorenne (3), Angela Leyva (8) e Kika.Técnico: Luizomar de Moura.
 
O São Cristóvão Saúde/São Caetano entrou em quadra com Sabrina (15), Fernanda Tomé (15), Lyara (5), Mimi Sosa (10), Camila (11), Sonaly (13) e a líbero Andressa. Entraram: Talia (1) e Ana Flávia. Técnico: Hairton Cabral.
 
Nutrindo os Sonhos dos Jovens - De olho no futuro e na nova geração do vôlei brasileiro, o Vôlei Nestlé reforçou o DNA de seu projeto ao firmar parceria com o Programa Global "Nutrindo os Sonhos dos Jovens", lançado pela Nestlé na Europa em 2013, e que chegou ao Brasil no final de 2015. A equipe para a temporada 2017/18 deve manter a filosofia de mesclar atletas experientes com jovens, que buscam espaço em um clube tradicional como o Osasco. O programa está voltado para a capacitação de jovens para qualificá-los profissionalmente.
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

CEO da CBDN

Pedro Cavazzoni fala sobre PyeongChang 2018

Esportes de Neve

Victor Santos fala sobre o Cross Country

 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook