Sesc RJ e Valinhos entram em quadra nesta quinta-feira (26) pela Superliga

Time do técnico Bernardinho enfrenta o time paulista em Valinhos, com transmissão pela Sportv / Foto: Erbs Jr./Sesc RJTime do técnico Bernardinho enfrenta o time paulista em Valinhos, com transmissão pela Sportv / Foto: Erbs Jr./Sesc RJ

São Paulo - O time de vôlei feminino do Sesc RJ enfrenta o Renata Valinhos/Country pela Superliga 2017.2018 nesta quinta-feira (26.10) às 21h30, no ginásio Pedro Ezequiel da Silva, em Valinhos (SP). A partida terá transmissão ao vivo pela Sportv.
 
Ao contrário do que aconteceu em temporadas passadas, o equilíbrio entre as equipes tem sido uma marca da competição deste ano, segundo a líbero Fabi. Exemplo disso é que, em sua última partida pela Superliga, o Valinhos perdeu por 3 sets a 2, não sem antes dar bastante trabalho para o Osasco.
 
“Foi um início de Superliga muito equilibrado. As duas primeiras rodadas mostraram a tônica dessa Superliga: não haverá jogos fáceis. Para isso, o Sesc RJ tem que buscar o equilíbrio e a superação e jogar para vencer. O Valinhos perdeu em um jogo bem jogado contra o Osasco. No ano passado, jogamos na casa delas e vimos que é uma torcida que comparece, que lota o ginásio e isso faz a diferença. Saímos de um 3 a 2 aqui no Rio em que, mesmo perdendo os dois primeiros sets, lutamos para buscar o resultado. E nosso compromisso é esse: jogar melhor a cada rodada para marcar pontos importantes a despeito desse equilíbrio entre as equipes”, afirma.
 
No último jogo (20.10) pela competição, a equipe do técnico Bernardinho venceu o Hinode Barueri por 3 sets a 2. A partida foi difícil para o Sesc RJ e culminou com a lesão da ponteira Gabriella Guimarães no final do tie break. Gabi será submetida a tratamento cirúrgico e deverá ter um período estimado de recuperação de 6 a 8 meses. A equipe do Sesc RJ busca alternativas para minimizar a ausência da atleta.
 
“Foi algo que abalou todo mundo. A gente sempre torce para que todo mundo esteja apto do ponto de vista físico, mas quando a lesão acontece com uma menina que a gente conhece desde muito nova, o time todo sente pela contusão dela. É um momento difícil, mas faz parte da vida do atleta. O campeonato continua e temos que dar ainda mais de nós devido à ausência de uma jogadora importante. Vamos fazer o melhor para o Sesc RJ e para a Gabi, também, para ela se sentir menos triste por não estar em quadra. A ideia é nos superarmos dentro da quadra para seguirmos firmes na luta pela Superliga”, diz Fabi.
 
Atual campeã da Superliga, a equipe do Sesc RJ conquistou o título por 12 vezes, vencendo as últimas cinco temporadas de forma consecutiva. Este ano a equipe do técnico Bernardinho já conquistou o Campeonato Carioca vencendo o Fluminense e a Supercopa, torneio que abriu a temporada nacional, com a vitória sobre o Camponesa/Minas por 3x2. 
 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

CEO da CBDN

Pedro Cavazzoni fala sobre PyeongChang 2018

Esportes de Neve

Victor Santos fala sobre o Cross Country

 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook