Pesquisa aponta Tandara como jogadora mais valorizada da Superliga

Ponteira do Vôlei Nestlé aparece em primeiro lugar na lista de blog especializado na modalidade com atletas que os clubes participantes da competição nacional gostariam de contratar / Foto: João Pires/FotojumpPonteira do Vôlei Nestlé aparece em primeiro lugar na lista de blog especializado na modalidade com atletas que os clubes participantes da competição nacional gostariam de contratar / Foto: João Pires/Fotojump

São Paulo - Tandara é admirada pelos fãs e temida por adversários. Os motivos são os mesmos para ambos: potência ofensiva, qualidade técnica, garra, espírito de liderança e poder de decisão. Contudo, pesquisa divulgada pelo blog especializado em vôlei Saída de Rede revela outro ângulo para o olhar dos times que disputam a Superliga 2017/18 em relação à ponteira do Vôlei Nestlé, o desejo. Segundo os dados, 28,6% dos rivais da equipe de Osasco contratariam a camisa 16, o maior índice entre todas as atletas citadas.
 
A pesquisa é inspirada na NBA. Anualmente, a liga norte-americana profissional de basquete colhe a opinião dos general managers das franquias para fazer um balanço das expectativas e da visão de quem está na disputa. Na coleta de dados entre os técnicos e capitãs dos 12 clubes da Superliga Feminina 2017/18, Tandara aparece como a ´jogadora mais desejada´ para vestir a camisa de outro clube além do Vôlei Nestlé.
 
A jogadora recebeu o resultado da pesquisa com serenidade. “Fico feliz, pois comprova que o trabalho está sendo bem feito. Também traz uma responsabilidade extra, claro, mas sei lidar com isso. Nos últimos anos, tenho assumido o papel de definição pelos clubes onde passei. No Vôlei Nestlé são duas temporadas e vou usar esses números para me motivar e treinar ainda mais em busca da perfeição dentro de quadra, sempre tentando errar menos em todos os fundamentos”, avaliou a ponteira.
 
Na temporada passada, Tandara foi a atleta mais premiada da Superliga - maior pontuadora, melhor saque e craque da galera. Versátil, a ponteira do Vôlei Nestlé atuou na posição de oposta no início do novo ciclo olímpico. Além de ajudar a seleção brasileira a conquistar os títulos do Grand Prix, sul-americano e a medalha de prata na Copa dos Campeões, também faturou prêmios individuais, sendo eleita a jogadora mais valiosa (MVP) do sul-americano e a melhor oposta da Copa dos Campeões. De volta ao Vôlei Nestlé, a campeã olímpica foi decisiva na conquista do hexacampeonato paulista.
 
Peruana chega com moral - A pesquisa do blog Saída de Rede também trouxe alegria para outra jogadora do Vôlei Nestlé. Recém chegada ao Brasil, a peruana Angela Leyva sequer fez sua estreia pela equipe de Osasco. Mas, segundo a opinião dos participantes da Superliga, a ponteira figura entre as candidatas à revelação na temporada, com 7,1% dos votos dos treinadores e capitãs das equipes.
 
“Recebo está notícia surpresa e feliz. Significa o reconhecimento pelo trabalho feito no Peru, tanto em clube como pela seleção, e espero corresponder às expectativas. Vim para o Brasil defender o Vôlei Nestlé a fim de colaborar com a conquista de títulos, especialmente da Superliga. E vou lutar muito ao lado de minhas novas companheiras para isso”, afirmou a ponteira, que chegou ao país na sexta-feira (20), vestiu o novo uniforme para ser apresentada à imprensa e assistiu a vitória de seu novo time sobre o Renata Valinhos/Country.
 
Nesta terça-feira, Angela acompanha a equipe de Osasco até Londrina, onde disputa amistoso contra o Adeps/Positivo (que pretende disputar a Superliga B), na próxima quinta-feira (26), às 19h30, no ginásio Moringão, na cidade paranaense. Ainda à espera da documentação de transferência, será a primeira oportunidade para a peruana entrar em quadra pela primeira vez com a camisa do Vôlei Nestlé.
 
Nutrindo os Sonhos dos Jovens - De olho no futuro e na nova geração do vôlei brasileiro, o Vôlei Nestlé reforçou o DNA de seu projeto ao firmar parceria com o Programa Global "Nutrindo os Sonhos dos Jovens", lançado pela Nestlé na Europa em 2013, e que chegou ao Brasil no final de 2015. A equipe para a temporada 2017/18 deve manter a filosofia de mesclar atletas experientes com jovens, que buscam espaço em um clube tradicional como o Osasco. O programa está voltado para a capacitação de jovens para qualificá-los profissionalmente.
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

CEO da CBDN

Pedro Cavazzoni fala sobre PyeongChang 2018

Esportes de Neve

Victor Santos fala sobre o Cross Country

 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook