Vôlei Nestlé não terá descanso entre a final do Paulista e a estreia na Superliga

Equipe de Osasco luta pelo sexto título estadual consecutivo nesta sexta-feira (13) e na próxima terça-feira (17) faz a primeira partida na competição nacional / Foto: João Pires/FotojumpEquipe de Osasco luta pelo sexto título estadual consecutivo nesta sexta-feira (13) e na próxima terça-feira (17) faz a primeira partida na competição nacional / Foto: João Pires/Fotojump

São Paulo - O Vôlei Nestlé decide o título paulista nesta sexta-feira (13) contra o Hinode Barueri, às 18h30, no José Liberatti. Uma vitória garante a sexta conquista estadual para a equipe de Osasco. Se levantar o troféu, jogadoras e comissão técnica terão pouco tempo para comemorar. Isso porque, quatro dias depois voltarão à quadra para a estreia na Superliga 2017/18. O adversário será o mesmo da final, o Hinode, na terça-feira (17), a partir das 19h30, em Barueri (SP).
 
A primeira partida do Vôlei Nestlé em casa pela Superliga será na sexta-feira (20), quando recebe o Renata Valinhos/Country, às 19h30, no José Liberatti. Promovida pela Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), a edição 2017/18 do campeonato brasileiro de vôlei teve lançamento em São Paulo, no início da semana. A equipe de Osasco foi representada no evento pelas jogadoras Tandara, Ninkovic, Mari Paraíba e Fabíola.
 
Apesar do foco na final do Campeonato Paulista, as atletas do Vôlei Nestlé sabem da responsabilidade de representar um dos times mais tradicionais da modalidade na competição mais importante do país. “A Superliga é sempre muito forte, com grandes equipes. Estamos trabalhando em busca do nosso sexto título estadual e manteremos essa pegada para o nacional. Vamos dar o nosso máximo e lutar para subir ao degrau mais alto do pódio também na Superliga”, afirma Tandara.
 
Mari Paraíba concorda. “Sabemos que a Superliga não será fácil, pois nunca é, mas somos uma equipe de tradição, que sempre monta grandes elencos e nosso objetivo é disputar o título. Estamos unidas e dispostas a trabalhar muito para atingir essa meta”, explica a ponteira, formada nas categorias de base de Osasco e que retorna ao Vôlei Nestlé após uma temporada no Volero, da Suíça.
 
Além de Mari Paraíba, as principais contratações do Vôlei Nestlé para a Superliga são a levantadora Fabíola e a sérvia Nadja Ninkovic. A central Ju Mello, a oposta Lorenne e a líbero Kika também chegam para reforçar o elenco. O clube de Osasco renovou os contratos das centrais Bia e Nati Martins, das ponteiras Tandara e Bruna Neri, da oposta Paula Borgo, das levantadoras Carol Albuquerque e Zeni e das líberos Camila Brait e Tássia.
 
Novidades na competição - A Superliga 2017/18 traz novidades. As principais serão nos playoffs. As quartas de final serão disputadas em série de melhor de três jogos, as semifinais em melhor de cinco e a decisão em duas partidas, com a possibilidade de realização do golden set, em caso de empate. A fórmula de disputa da fase regular continua com 12 times se enfrentando entre si em dois turnos. Os oito melhores avançam para a fase seguinte. O sistema de desafio será utilizado, mas a partir das semifinais.
 
Nutrindo os Sonhos dos Jovens - De olho no futuro e na nova geração do vôlei brasileiro, o Vôlei Nestlé reforçou o DNA de seu projeto ao firmar parceria com o Programa Global "Nutrindo os Sonhos dos Jovens", lançado pela Nestlé na Europa em 2013, e que chegou ao Brasil no final de 2015. A equipe para a temporada 2017/18 deve manter a filosofia de mesclar atletas experientes com jovens, que buscam espaço em um clube tradicional como o Osasco. O programa está voltado para a capacitação de jovens para qualificá-los profissionalmente.
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

CEO da CBDN

Pedro Cavazzoni fala sobre PyeongChang 2018

Esportes de Neve

Victor Santos fala sobre o Cross Country

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook