Catarinenses de Saudades erguem a taça no vôlei feminino dos Jogos Escolares

Capitã Cristini Bulegon destaca união do time que parou a pequena cidade de 10 mil habitantes / Foto: Wander Roberto/Exemplus/COBCapitã Cristini Bulegon destaca união do time que parou a pequena cidade de 10 mil habitantes / Foto: Wander Roberto/Exemplus/COB

Curitiba - Com atuação irretocável das suas duas principais atacantes, a capitã e ponta Cristini Bulegon e a canhotinha Jaqueline Schmitz, a equipe feminina de vôlei da Escola Rodrigues Alves, de Saudades (SC), venceu a Escola Estadual Maria de Magalhães, de Araxá (MG), por 3 sets a 0, com parciais de 25/17, 25/19 e 25/14, e conquistou o título dos Jogos Escolares da Juventude Curitiba 2017.
 
Essa foi a segunda medalha de ouro catarinense consecutiva na competição para atletas de 12 a 14 anos. No ano passado, a Escola Estadual Sara Castelhano Kleinkauf, de Guaraciaba, sagrou-se campeã.
 
A final foi transmitida ao vivo pelo site Globoesporte.com e parou a pequena cidade de 10 mil habitantes. Segundo Cristini, os amigos colocaram um telão na única escola de Saudades. “Nossa turma organizou tudo. Reuniram a escola inteira no palco e botaram um telão para transmitir. A cidade é pequena, mas muito acolhedora. Não tem muito ginásio, mas a gente faz de tudo. Se é preciso treinar no domingo a gente vai caminhando, não é muito longe. Os habitantes são muito carinhosos. Eles lotam o ginásio quando jogamos”, disse.
 
Sobre o título, Cristini destacou a união da equipe, que perdeu apenas um set em toda a competição (para o CEL, do Rio de Janeiro, na semifinal). “Ganhar o Estadual já foi um sufoco. Vencemos o time de Guaraciaba e aqui conquistamos cinco vitórias em cinco jogos. Não foi fácil. Na final, fizemos um ótimo jogo”, afirmou Cristini, pouco antes de tirar uma foto com a bicampeã olímpica Sheilla Castro, Embaixadora dos Jogos Escolares da Juventude. “A Sheilla é um ídolo de todo mundo. É um orgulho para o time ter ela nos assistindo. Acredito que ela trouxe algo muito bom para nós”.
 
Com o título em Curitiba 2017, as meninas de Saudades vão defender as cores verde e amarela no Sul-americano de Cochabamba, na Bolívia, em dezembro. “Treinamos muito para conquistar esse título, que era muito esperado por todos. Em 2011 a nossa escola disputou o Campeonato Sul-americano escolar e ficou com o vice-campeonato. Agora vamos buscar esse título inédito para Saudades”, garantiu.
 
A ponta e oposta Jaqueline Schmitz, de 1,83m e apenas 13 anos, marcou o ponto final da partida. Ela estava tão emocionada que mal conseguia falar após a partida. “É muita emoção”, disse Jaqueline. "Não sei o que dizer. Estou muito feliz e agora eu só quero é comemorar".
 
Sheilla apontou a jovem como uma jogadora de muito futuro. “Essa é uma grande oportunidade para os jovens de todo o país. Eles começam a criar uma relação muito gostosa entre eles. Acho que o trabalho de renovação do voleibol brasileiro está muito bem feito e o trabalho dessa escola catarinense então nem se fala. Assisti algumas partidas e vi garotas com grande potencial, como a número 5 de Santa Catarina (Jaqueline), que é mais alta e tem muita facilidade para atacar. Vi duas garotas do Paraná e duas de Minas Gerais que também devem ir longe no esporte”, afirmou Sheilla.
 
Na arquibancada, 16 familiares das jovens atletas fizeram muito barulho e vibraram com o título. Até um bebê de 10 meses não parava de sorrir. Filha do técnico Rodrigo Bilibio, a pequena Alice parecia entender o momento especial que todos estavam vivendo.
 
Equipes catarinenses de pequenas cidades do interior do estado costumam subir no alto do pódio dos Jogos Escolares da Juventude, na categoria de 12 a 14 anos. Foi assim entre 2006 e 2008, quando uma equipe da cidade de Nota Trento e que contava com as pontas Rosamaria Montibeller, hoje na seleção adulta, e Karoline Tormena, na seleção sub-23, levantaram a taça de campeão.
 
Na preliminar, o CEL, do Rio de Janeiro (RJ) venceu o Colégio Estadual Cecília Meireles, de Curitiba (PR) por 2 sets a 1, de virada, com parciais de17/25, 25/13 e 15/5, e ficou com a medalha de bronze. Formada por uma verdadeira seleção carioca, a equipe contou com seis atletas do Fluminense, duas do Flamengo e uma do Botafogo. Todas as jogadoras de vôlei do CEL recebem bolsa integral para estuas na instituição.
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

CEO da CBDN

Pedro Cavazzoni fala sobre PyeongChang 2018

Esportes de Neve

Victor Santos fala sobre o Cross Country

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook