Rexona-Sesc vence e se garante na 13ª final seguida da Superliga

Equipe comandada por Bernardinho fez 3 sets a 1 no Minas e disputará o título contra Osasco / Foto: Marcello Dias/Inovafoto/CBVEquipe comandada por Bernardinho fez 3 sets a 1 no Minas e disputará o título contra Osasco / Foto: Marcello Dias/Inovafoto/CBV

Rio de Janeiro - Foram precisos cinco jogos para que o Rexona-Sesc conseguisse carimbar seu passaporte para a final da Superliga, a 13ª seguida. Melhor equipe na fase de classificação, o time carioca acabou perdendo dois confrontos para o Minas, ambos em casa, mas se superou e fechou a série melhor de cinco partidas em 3/2, numa bela atuação nesta sexta (14.04), na Jeunesse Arena, na Barra.
 
Empurradas por quase cinco mil pessoas, as cariocas fizeram 3 sets a 1 (25-15, 26-24, 21-25 e 25-20) e, agora, enfrentarão Osasco pelo título. A decisão será dia 23 de abril (domingo), às 10h, também na Jeunesse Arena.
 
Carioca, a oposta Monique já teve a oportunidade de jogar e ser campeã numa final em casa. No entanto, após retornar ao Rexona-Sesc, na última temporada, não havia tido essa oportunidade. Motivo para uma vibração ainda maior na vitória desta sexta.
 
“É uma felicidade muito grande, foi um adversário muito grande, muito experiente, mas a gente soube ter ritmo e volume de jogo. Tivemos paciência e agressividade nos momentos certos. Estamos muito felizes, lutamos muito por isso. Vou ter a oportunidade de disputar uma final aqui no Rio, na minha casa, e isso me traz lembranças maravilhosas de 2008/09, quando pude ajudar o Rexona a ser campeão também. Enfrentaremos o Osasco novamente, nosso grande rival, um time muito forte, mas eu espero ajudar de novo da melhor maneira possível para que a gente saia daqui com esse título”, afirmou Monique.
 
A outra carioca da equipe, a líbero Fabi, fará sua 12ª final seguida. E no meio de toda a comemoração, aproveitou para enaltecer o adversário e para lembrar de momentos marcantes já vividos na Arena.
 
“Primeiro eu quero enaltecer o time do Minas, que fez essa semifinal ser gigantesca. Um adversário duríssimo e de muito valor. Poderia estar na final tanto quanto o Rexona-Sesc. Mas eu estou muito orgulhosa da nossa capacidade de reverter uma situação difícil, resistimos a toda pressão dessa série e vamos disputar mais uma final. Dá um orgulho imenso ver como essas meninas se comportaram e conseguiram com a força do grupo vencer. Agora vamos disputar uma final nessa Arena, que só nos traz lembranças maravilhosas. Foi uma sequência muito importante de vitórias aqui, que nos embalou para essa semifinal, além de toda atmosfera olímpica. Me lembra também a despedida da Fofão, mas, enfim, faz parte da nossa história. Guardamos com carinho, mas agora é a hora de escrever uma novo capítulo, de fazer história novamente. Vamos agarrar essa chance e tentar uma boa atuação no domingo, diante de um adversário tradicionalíssimo”, prometeu Fabi.
 
Ingressos para a final - Os ingressos para a final, que será realizada na Jeunesse Arena, no dia 23 de abril (domingo), às 10h, já está à venda desde o final de março. Desta maneira, restam apenas entradas para o setor 3. A compra pode ser feita pelo link https://www.tudus.com.br/evento/jeunesse-arena-superliga-feminina-de-volei. O preço é R$ 60 (inteira).
 
O jogo - Avassalador, o Rexona-Sesc não deu chances do Minas respirar no primeiro set. Assim como na última terça-feira, o time carioca abriu uma grande vantagem logo de cara. Quando Juciely colocou uma bola de china no chão e fez 4/1, o técnico das visitantes, Paulo Coco, parou a partida pela primeira vez. Mas não surtiu efeito e a vantagem continuou aumentando. Após bloqueio de Juciely, as donas da casa fizeram 12/7 e as mineiras tiveram seu segundo tempo pedido. Só que as comandas de Bernardinho continuaram jogando com muita consistência e fecharam tranquilamente em um bloqueio de Gabi: 25/15.
 
A segunda parcial mostrou mais equilíbrio. O Rexona-Sesc chegou a abrir uma boa vantagem em um erro de Rosamaria (9/5), mas o Minas conseguiu buscar e virou após marcar quatro pontos seguidos (16/14). A partir daí a partida ganhou emoção e, com o apoio da torcida, as cariocas conseguiram novamente tomar a frente do placar em uma bola de segunda de Roberta (20/19). As visitantes chegaram a empatar novamente, em 23/23, num ataque de Rosamaria pela entrada de rede, mas não teve jeito: 26/24 para as comandas de Bernardinho, após um bloqueio.
 
Pressionado, o Minas jogou tudo o que podia no terceiro set. Conseguiram reverter uma pequena vantagem obtida pelo Rexona-Sesc no início da parcial e viraram, em um ace de Carol Gattaz, para 10/9. Em um bloqueio de Carol, as cariocas ainda empataram (17/17), mas a parcial era das visitantes: 25/21.
 
Mostrando tranquilidade, o Rexona-Sesc não se abateu com a parcial perdida e dominou o quarto set. Numa china de Juciely fez 10/7  e garantiu sempre uma vantagem confortável no marcador até fechar em 25/20.
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

CEO da CBDN

Pedro Cavazzoni fala sobre PyeongChang 2018

Esportes de Neve

Victor Santos fala sobre o Cross Country

 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook