Brasil luta, mas é superado por 3 a 2 em Barranquilla

Dupla Marcelo Demoliner e Marcelo Melo / Foto: Matheus Joffre/CBTDupla Marcelo Demoliner e Marcelo Melo / Foto: Matheus Joffre/CBT

Colômbia - O Time Correios Brasil lutou até o final, mas acabou superado por 3 a 2 pela Colômbia, em confronto válido pela segunda rodada do Zonal Americano da Copa Davis, disputado no piso duro em Barranquilla, e não conseguiu a vaga para o playoff do Grupo Mundial, em setembro.
Marcelo 
 
Após o duelo terminar empatado em 1 a 1, na sexta-feira, dia 6, com a grande vitória de Thiago Monteiro sobre Santiago Giraldo e o triunfo de Daniel Galán sobre Guilherme Clezar, a equipe brasileira passou à frente novamente com uma atuação impecável da dupla, que abriu o confronto no sábado, dia 7. O número 1 do mundo Marcelo Melo e Marcelo Demoliner não deram chances à forte parceria da casa, formada por Robert Farah e Juan Sebastian Cabal, e venceram por 7/6 (7-5) e 6/4, após 1h44 de partida.
 
O Brasil teve a oportunidade de definir o confronto no terceiro jogo de simples, mas Monteiro, que precisou de atendimento médico e do fisioterapeuta durante a partida, acabou superado por Galán, que estava em uma ótima semana, por duplo 6/3 em 1h23 de duelo. 
 
No quinto e decisivo jogo, João Sorgi tentou repetir a façanha de Santo Domingo em fevereiro, quando classificou o Brasil contra a República Dominicana também na negra, mas, desta vez, acabou superado pelo experiente Alejandro González por 6/3 e 7/6. 
 
O capitão João Zwetsch fez uma breve avaliação do confronto e da semana de preparação. "Derrota difícil, foi uma pena, acho que a equipe lutou do primeiro ao último ponto em todos os confrontos. O Galán estava em um final de semana inspirado, jogou muito bem, méritos da Colômbia", ponderou.
 
Zwetsch também explicou a opção por Sorgi no duelo decisivo. "O ponto fundamental para a mudança foi porque o Clezar no primeiro dia acabou o jogo bem cansado. Deu para ver pelo placar que ele baixou muito o rendimento no segundo e no terceiro set pelo cansaço. E a gente sabia que se tivesse um terceiro jogo, provavelmente seria o Alejo González que jogaria, que é um cara muito sólido, que seria um jogo muito longo, como foi, com pontos muito longos com o Sorgi e não quisemos arriscar e colocar um jogador já um pouco desgastado para jogar uma partida que seria emocionalmente e fisicamente muito desgastante", relatou.
 
"Agora é seguir em frente, cada um buscando melhorar e aperfeiçoar suas necessidades.Um agradecimento sempre especial à CBT pela estrutura e apoio que nos dá em semana de Copa Davis, agradecer a toda equipe, Daniel, Edu, Paulo, Dr. Ricardo, Frick e, principalmente aos jogadores, que sempre se doam com tudo. às vezes dá para ganhar e às vezes não é possível, o importante é levantar a cabeça e seguir em frente", finalizou o capitão do Time Correios Brasil.
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook