Melo e Kubot estão nas semifinais do Masters 1000 de Xangai

Brasileiro e polonês venceram nesta sexta-feira (13) o mexicano Santiago Gonzalez e o chileno Julio Peralta e agora terão pela frente os atuais campeões do US Open, o holandês Jean-Julien Rojer e o romeno Horia Tecau / Foto: Gerry Weber Open_KetBrasileiro e polonês venceram nesta sexta-feira (13) o mexicano Santiago Gonzalez e o chileno Julio Peralta e agora terão pela frente os atuais campeões do US Open, o holandês Jean-Julien Rojer e o romeno Horia Tecau / Foto: Gerry Weber Open_Ket

China - Marcelo Melo e Lukasz Kubot entram na quadra na madrugada deste sábado (14) em busca de uma vaga na decisão do Masters 1000 de Xangai, na cidade de Xangai, na China. Nesta sexta-feira (13), eles chegaram às semifinais do torneio com a vitória diante do mexicano Santiago Gonzalez e do chileno Julio Peralta.
 
Cabeças de chave 2, ganharam por 2 sets a 0, parciais de 7/6 (7-1) e 6/4, em 1h25min. Agora enfrentam o holandês Jean-Julien Rojer e o romeno Horia Tecau, cabeças 3, por volta das 3h (horário de Brasília).
 
A partida promete muito equilíbrio, reunindo as duplas campeãs dos dois últimos Grand Slam da temporada e duas das principais cabeças de chave na China. O mineiro Melo e o polonês Kubot comemoraram em Wimbledon. Rojer e Tecau ficaram com o título do US Open. Nesta sexta, pelas quartas de final em Xangai, Rojer e Tecau venceram Oliver Marach, da Áustria, e Mate Pavic, da Croácia, por 7/6 (8-6) e 6/4.
 
O primeiro set do jogo desta sexta, pelas quartas de final, diante de Gonzalez e Peralta, teve uma quebra para cada lado. Melo e Kubot conseguiram o break no terceiro game, fazendo 2/1, mas os adversários devolveram, na sequência, deixando tudo empatado. A definição da série ficou para o tie break, quando o domínio foi todo de Melo e Kubot, que não deram qualquer chance, marcando 7-1, para sair na frente na partida, com 7/6 (7-1).
 
O segundo set foi bastante equilibrado, com as duas duplas mantendo os seus serviços até o décimo game. Aí Melo e Kubot não desperdiçaram a chance que tiveram com três match-points, quebraram o serviço de Gonzalez e marcaram 6/4 para comemorar a vitória e a vaga nas semifinais. 
 
"Mais um jogo duro. Foi importante termos conseguido aproveitar as chances. As condições estavam bem diferentes das do dia anterior, quando jogamos praticamente indoor. Desta vez tinha bastante vento na quadra aberta. Foi bom passar por essa partida, aproveitando já de cara os match-points que tivemos. Isso dá muita confiança para o próximo jogo contra uma dupla muito experiente, que sempre esteve muito bem e este ano ganhou mais um Grand Slam na carreira, o US Open. Com certeza vai ser bem duro. Vamos ter de jogar no mais alto nível para ter chance de ganhar. Mas temos atuado bem, estamos confiantes. Fizemos tudo que podíamos para estar aqui, agora. Então vamos elaborar bem o plano de jogo para entrar com força total nessa semifinal", explicou Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro, BMG e Itambé, com apoio da Confederação Brasileira de Tênis.
 
Este é o terceiro torneio que Melo joga na China, o primeiro Masters 1000. Antes, ele entrou na quadra no ATP 250 de Shenzhen e no ATP 500 de Pequim. No ranking mundial individual de duplas, Melo ocupa o terceiro lugar, enquanto Kubot é o quarto. Juntos, Melo e Kubot lideram o ATP Doubles Team Race to London, já classificados para o ATP Finals, que reúne as oito melhores parcerias do ano, em novembro, em Londres, na Inglaterra. 
 
Na temporada, cinco títulos e 42 vitórias – O brasileiro Marcelo Melo, 34 anos, e o polonês Lukasz Kubot, 35 anos, estão jogando juntos desde o início da temporada. Antes, formaram parceria em torneios como o ATP de Viena, onde foram campeões em 2015 e 2016. Em 2017, a dupla Melo e Kubot venceu 42 jogos, com apenas 14 derrotas. Entre essas vitórias está a 400ª da carreira do brasileiro, obtida na estreia em Roland Garros.
 
Das 27 conquistas de Marcelo na carreira, recordista brasileiro em títulos, cinco foram nesta temporada. O primeiro em torneios ATP foi em 2007, no Estoril, em Portugal. Agora, tem dois Grand Slam - Roland Garros 2015 e Wimbledon 2017 -, além de um vice em Londres (2013) e duas semifinais no US Open. Marcelo também lidera no número de títulos em Masters 1000. Em Madri chegou ao sétimo, depois de ganhar Shangai (2013 e 2015), Paris (2015), Toronto (2016), Cincinnati (2016) e Miami (2017).
 
Este ano, Melo e Kubot comemoraram os títulos de dois Masters 1000 - Miami (Quadra Rápida) e Madri (Saibro) –, o ATP 250 de ‘s’Hertogenbosch, na Holanda (Grama), o ATP 500 de Halle, na Alemanha (Grama), e na grama de Wimbledon, em Londres, na Inglaterra.  Foram, assim, campeões em três diferentes pisos.
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

CEO da CBDN

Pedro Cavazzoni fala sobre PyeongChang 2018

Esportes de Neve

Victor Santos fala sobre o Cross Country

 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook