Melo e Soares se enfrentam nas semifinais de Cincinnati

Os dois tenistas mineiros - Marcelo, ao lado do polonês Lukasz Kubot, e Bruno, com o inglês Jamie Murray - disputam neste sábado (19) um lugar na decisão do Masters 1000 nos Estados Unidos / Foto: DivulgaçãoOs dois tenistas mineiros - Marcelo, ao lado do polonês Lukasz Kubot, e Bruno, com o inglês Jamie Murray - disputam neste sábado (19) um lugar na decisão do Masters 1000 nos Estados Unidos / Foto: Divulgação

São Paulo - A semifinal de duplas do Masters 1000 de Cincinnati terá um duelo entre dois tenistas brasileiros neste sábado (19), nos Estados Unidos. Os mineiros Marcelo Melo e Bruno Soares se enfrentam em busca de um lugar na decisão do torneio.
 
Nesta sexta-feira (18), em partida válida pelas quartas de final, Melo levou a melhor diante de seu ex-parceiro, o croata Ivan Dodig. Ele e o polonês Lukasz Kubot derrotaram Dodig e o indiano Rohan Bopanna por 2 sets a 1, com parciais de 6/1, 6/7 (5-7) e 10/7, em 1h35min.
 
Melo e Kubot – cabeças de chave número 2 - disputam agora a semifinal diante de Soares e do inglês Jamie Murray – cabeças 3 -, que nesta sexta venceram Jean-Julien Roger (HOL) e Horia Tecau (ROM), por 2 sets a 0, parciais de 7/6 (8-6) e 6/4.
 
As duplas já jogaram duas vezes este ano, com duas vitórias de Melo e Kubot, nas quartas de final de Miami – quando foram campeões - e nas semifinais de Indian Wells - vices. Melo defende o título de Cincinnati – conquistou o Masters 1000 no ano passado com Dodig.
 
Na partida das quartas de final, Melo e Kubot não deram qualquer chance aos adversários no primeiro set. Quebraram o serviço de Dodig no quarto game, fazendo 3/1 e conseguiram mais um break, no saque de Bopanna, para abrir 5/1 e fechar em 6/1.
 
O segundo set foi bem mais equilibrado, sem quebras, com a definição indo para o tie break. Mais equilíbrio e a vitória de Dodig e Bopanna por 7/6 (7-5), empatando a partida e levando a definição para o match tie break.
 
Aí, a dupla Melo e Kubot voltou a comandar o jogo, abrindo vantagem no match tie break, até chegar a dois match points e fechar em 10/7, para comemorar a vaga na semifinal.
 
"Foi mais um belo jogo que conseguimos fazer, uma bela vitória. Jogamos muito bem, do começo ao fim. O segundo set foi bem duro e eles acabaram levando no tie break. Importante é que começamos dominando, como deveria e, aí, depois, mantivemos o controle, especialmente no match tie break, quando jogamos muito bem de novo”, afirmou Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro, BMG e Itambé, com apoio da Confederação Brasileira de Tênis.
 
“É difícil, também, jogar contra o Ivan, que foi um grande parceiro durante cinco anos. Fizemos muitas coisas juntos, mas sabemos que cada um tem de buscar o seu melhor. E, agora, mais um jogo atípico, contra o Bruno. Já nos enfrentamos inúmeras vezes, todo mundo sabe. Importante manter o ritmo e entrar bem focado, em mais uma difícil partida para nós. Estamos bem felizes com a maneira como temos jogado”, completou Melo.
 
Na temporada, cinco títulos e 39 vitórias – O brasileiro Marcelo Melo, 33 anos, e o polonês Lukasz Kubot, 35 anos, estão jogando juntos desde o início da temporada. Antes, formaram parceria em torneios como o ATP de Viena, onde foram campeões em 2015 e 2016.
 
Melo é o número um do ranking mundial individual de duplas e, Kubot, o quarto do mundo. Esta é a segunda vez que Melo ocupa a liderança do ranking mundial individual de duplas. A primeira foi em novembro de 2015, permanecendo como número um por 26 semanas.
 
Eles lideram o ATP Doubles Team Race to London, única dupla já classificada para o ATP Finals, que reúne as oito melhores parcerias do ano, em novembro, em Londres, na Inglaterra. Será a quinta participação seguida de Marcelo, que jogou em Londres em 2013, 2014, 2015 e 2016, todas com seu parceiro anterior, o croata Ivan Dodig.
 
Em 2017, a dupla Melo e Kubot já venceu 39 jogos, com apenas 11 derrotas. Entre essas vitórias está a 400ª da carreira do brasileiro, obtida na estreia em Roland Garros.
 
Das 27 conquistas de Marcelo na carreira, recordista brasileiro em títulos, cinco foram nesta temporada. O primeiro em torneios ATP foi em 2007, no Estoril, em Portugal. Agora, tem dois Grand Slam - Roland Garros 2015 e Wimbledon 2017 -, além de um vice em Londres (2013) e duas semifinais no US Open. Marcelo também lidera no número de títulos em Masters 1000. Em Madri chegou ao sétimo, depois de ganhar Shangai (2013 e 2015), Paris (2015), Toronto (2016), Cincinnati (2016) e Miami (2017).
 
Este ano, Melo e Kubot comemoraram os títulos de dois Masters 1000 - Miami (Quadra Rápida) e Madri (Saibro) –, o ATP 250 de ‘s’Hertogenbosch, na Holanda (Grama), o ATP 500 de Halle, na Alemanha (Grama), e na grama de Wimbledon, em Londres, na Inglaterra.  Foram, assim, campeões em três diferentes pisos.
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

CEO da CBDN

Pedro Cavazzoni fala sobre PyeongChang 2018

Esportes de Neve

Victor Santos fala sobre o Cross Country

 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook