Tatiana Weston-Webb passa a integrar equipe brasileira de surfe

Nascida em Porto Alegre, surfista ocupa a 4ª posição no ranking da 1ª divisão da WSL / Foto: Arquivo Pessoal/Facebook/@brentbielmannNascida em Porto Alegre, surfista ocupa a 4ª posição no ranking da 1ª divisão da WSL / Foto: Arquivo Pessoal/Facebook/@brentbielmann

São Paulo - O Time Brasil ganhou um reforço de peso para a disputa da vaga olímpica para Tóquio 2020. Gaúcha de nascimento e criada do Havaí, a surfista Tatiana Weston-Webb passa a integrar a equipe brasileira de surfe. A definição foi feita pela Federação Internacional de Surf (ISA), após tratativas com a Confederação Brasileira de Surf (CBSurf), o Comitê Olímpico do Brasil (COB) e a World Surf League (WSL).
 
O processo vinha sendo elaborado em conjunto pela CBSurf e o COB desde janeiro de 2018. Como Tatiana já havia disputado o Campeonato Mundial Junior pelo Havaí, era necessário que a ISA autorizasse a mudança de nacionalidade esportiva para que a surfista passasse a defender o Brasil nas competições mundiais.
 
Aos 21 anos, Tatiana ocupa a 4ª posição no ranking da primeira divisão da WSL, o circuito mundial de surfe profissional (WCT), tendo sido vice-campeã da etapa de Bells Beach, na Austrália, em março. Filha da ex-bodyboarder gaúcha Tanira Guimarães e do surfista inglês radicado no Havaí, Doug Weston-Webb, Tatiana nasceu em Porto Alegre, mas com dois meses de idade seus pais se mudaram para o Havaí, onde se radicou. Tatiana namora o surfista brasileiro Jesse Mendes, que também disputa o WCT. 
 
Para Tatiana, a chance de disputar os Jogos Olímpicos é a realização de um sonho. “A maioria de vocês não sabe que meu pai é originalmente da Inglaterra e que minha mãe é brasileira. Nasci no Brasil e fui abençoada por ter sido criada na bela ilha de Kauai. Fui recentemente convidada pela Confederação Brasileira de Surf para passar a representar a bandeira brasileira. Sempre foi um sonho meu desde a infância competir nas Olimpíadas. Quando o surfe foi anunciado como um esporte olímpico, eu sabia que meu sonho tinha uma chance de se tornar realidade”, afirmou.
 
Na etapa do Circuito Mundial em Saquarema, a partir de 11 de maio, Tatiana já estará usando a camiseta de lycra com a bandeira do Brasil. “O surfe brasileiro só tem a se beneficiar com a decisão da Tatiana em representar o Brasil. Ela traz seu talento e a experiência que adquiriu disputando o circuito mundial para a nossa caminhada até Tóquio 2020”, comemorou Adalvo Argolo, presidente da CBSurf. “Porém, no final das contas, ela, como qualquer outra surfista brasileira, terá que conquistar sua vaga dentro d’água, competindo nas provas classificatórias para os próximos Jogos Olímpicos”, ressaltou.
 
Para o COB, o reforço da surfista endossa o projeto olímpico para Tóquio 2020. “A entrada da Tatiana Weston-Webb na equipe brasileira nasceu de um encontro de vontades. A atleta revelou o sonho de disputar os Jogos Olímpicos competindo pelo Brasil, da mesma forma que o COB e a CBSurf têm todo o interesse na participação dela no processo de classificação para os Jogos Olímpicos”, disse Jorge Bichara, Diretor de Esportes do COB. “O surfe é uma modalidade nova no Programa Olímpico com grande importância para o Brasil. Temos dois campeões mundiais no masculino, Gabriel Medina e Adriano de Souza, e excelentes atletas também no feminino, o que nos dá a certeza de uma boa performance nos Jogos Olímpicos de Tóquio, contribuindo para o resultado geral do Time Brasil no evento”, completou Bichara.
 
No próximo dia 8 de maio, antes da etapa do WCT em Saquarema, COB e CBSurf anunciarão o projeto do surfe para os Jogos Olímpicos Tóquio 2020.
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook