Disputa envolvendo Pais e Filhos é atração no Fico Surf Festival

Evento termina neste domingo, na praia do tombo, em Guarujá / Foto: Silvia WinikEvento termina neste domingo, na praia do tombo, em Guarujá / Foto: Silvia Winik

São Paulo - O clima de confraternização continuou sendo o destaque no segundo dia do Fico Surf Festival 2018, apresentado por Grupo Lunelli, neste sábado, dia 31, na Praia do Tombo, em Guarujá. A categoria envolvendo pais e filhos evidenciou ainda mais o encontro de gerações, principal objetivo na nova edição do evento, que terá as finais neste domingo, a partir das 8 horas.
 
Pais e filhos competiram em duplas, cada um entrava uma vez no mar para somar uma nota. Jojó de Olivença e Kaipo de Jesus garantiram a melhor performance. O surfista baiano, radicado em Guarujá, é um dos grandes ícones do evento e com total ligação com o antigo Fico Surf Festival, da década de 80 (foi campeão brasileiro em 1988 e teve entre seus resultados o segundo lugar nesta disputa).
 
“Foi muito bom competir junto com o meu filho. É algo diferente, que demonstra bem o espírito deste campeonato, de confraternização. Sempre quis estar junto com o Kaipo”, falou Jojó, de 51 anos. Outra dupla forte foi formada por Alexandre Miranda e Ryan Kainalo, hoje um dos principais nomes da nova geração de São Paulo. “É uma emoção muito boa competir com o meu pai e a gente fica nervoso, porque vai bem e fica esperando ver se o pai também vai surfar bem”, falou Ryan.
 
“Mas é uma disputa irada. Se tivesse isso em todos os campeonatos ia ser uma vibe muito mais legal”, complementou o atleta de 12 anos. “Foi uma atitude muito legal do Fico de colocar essa categoria. É um sentimento diferente, é família, bem a proposta do evento. Foi bem gostoso. Não só por estar com meu filho, mas por ver os pais que estão sempre com a gente. Uma categoria muito especial. É um show à parte”, destacou Alex Miranda, de 47 anos.
 
Amaro em 2 finais – Amaro Matos, competindo em casa, mostrou estar no rip ainda, chegando a duas finais, master e longboard, ambas para atletas dos 40 anos em diante. Além disso, ainda teve fôlego para disputar a Pais e Filhos e quase chegou à terceira decisão ao lado de Derek Matos.
 
Nas pranchinhas, Jair de Oliveira, de Santos, garantiu a melhor performance do dia e também está na final, com outro ícone, Jojó de Olivença e também o maranhense Alvaro Bacana, que tem a maior somatória do evento (feita na sexta-feira).
 
Já nos pranchões, Jaime Viúdes, que mora em Guarujá, fez a melhor apresentação da categoria mais uma vez, garantindo lugar na decisão junto com Márcio Vilela e Beto Garcia. Na final petit (sub10), estarão em ação João Victor, Kalani Robles, Kailani Rennó e Vitor Prado.
 
Além das disputas no mar, o evento vem sendo marcado pelo clima de confraternização e reencontros de velhos rivais nas ondas. Na areia, muitas atividades acontecendo como clínicas de futevôlei, com o jogador Tang, Muay Thai, com o mestro Tato Barros e ainda a apresentação do escultor e artista plástico Jair Damasceno, com esculturas de areia.
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook