Murillo Coura mostra animação com chance de seu primeiro título

Surfista de 10 anos é líder da sub10 e um dos destaques na decisão do Circuito Paulista no sábado e domingo na Praia do Tombo, em Guarujá / Foto: Munir El HageSurfista de 10 anos é líder da sub10 e um dos destaques na decisão do Circuito Paulista no sábado e domingo na Praia do Tombo, em Guarujá / Foto: Munir El Hage

São Paulo - Até o ano passado ele morava em São José dos Campos. O surf era mais uma recreação, mas em pouco tempo, Murillo Coura se tornou uma das grandes promessas do surf paulista. Sua primeira paixão foi o skate, até por morar longe da praia, e aos poucos tomou gosto pelas ondas, incentivado pelo pai, também surfista.
 
Nestes sábado e domingo (21 e 22), na Praia do Tombo, em Guarujá, o surfista de apenas 10 anos pode comemorar o seu primeiro título e logo no Nossolar apresenta Hang Loose Surf Attack, o mais tradicional circuito de categorias de base do País.
 
Ele chega na 4ª e última etapa do campeonato empatado com Daniel Duarte, de Bertioga, ambos com 2.556 pontos e tem “colado” na classificação, o paranaense Ryan Coelho, com 2.539 pontos, seu companheiro diário de treinos. “Dá um frio na barriga só de pensar. Será que vou ganhar? Vai ser muito boa a disputa”, afirma o sempre sorridente Murillo. 
Atualmente, o atleta faz parte do Instituto Gabriel Medina (IGM) e, por isso, mudou para Maresias. E foi nessa praia a sua primeira vitória, neste ano. Antes, chegou a morar em Ubatuba, depois que começou a se destacar justamente no Circuito Medina/ASM de Surf nesse mesmo pico de São Sebastião.
 
“Foi a primeira competição que fui querer ganhar. Fiquei em segundo, atrás do Ryan Kainalo. Daí, a gente mudou para Ubatuba e com a proposta do IGM fomos para Maresias”, conta o surfista. “Eu gostava mais de skate. Com o tempo, o meu pai foi me levando para a praia e tomei gosto. Aprendi a surfar com três anos. Ele me empurrava na onda e eu ia com boias nos braços”, lembra rindo, agradecendo os pais – Fabiano e Andresa – pelo total apoio nesse início de carreira.
 
No IGM, o surfista vem mostrando evolução nos treinos. “Meu surf está cada vez melhor. É muito legal tudo lá. A gente tem de levar a sério”, ressalta o competidor, que além de treinos de surf, conta com aulas de natação, apneia, core e também inglês, tecnologia, além de atendimento médico e odontológico.
 
A etapa final do Hang Loose Surf Attack tem início no sábado, às 8 horas. Além da petit, estarão em disputa as categorias estreante (sub12), iniciante (sub14), mirim (sub16) e júnior (sub18). Fora do mar, os participantes contam com diversas atrações na areia, para diversão quando não estão competindo, como pebolim, tênis de mesa, brincadeira e ginganas. As finais estão previstas para domingo, das 12h30 às 14 horas.
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

CEO da CBDN

Pedro Cavazzoni fala sobre PyeongChang 2018

Esportes de Neve

Victor Santos fala sobre o Cross Country

 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook