Restam poucas vagas para a 2ª etapa do Circuito Medina/ASM 2017

Surfistas podem se inscrever nas categorias sub13 masculina e sub15 feminina / Foto: Aleko StergiouSurfistas podem se inscrever nas categorias sub13 masculina e sub15 feminina / Foto: Aleko Stergiou

São Paulo - Três das cinco categorias do Circuito Medina/ASM de Surf 2017 já têm suas vagas esgotadas para a 2ª etapa, nos próximos dias 1º e 2 de julho. A competição apresentada por Armarinhos Fernando será realizada novamente na Praia de Maresias, em São Sebastião, em frente à sede do Instituto Gabriel Medina (IGM). Os surfistas ainda podem se inscrever na sub13 masculina e sub15 feminina.
 
Já a sub11 e sub15 masculinas e a sub13 feminina alcançaram a lotação. A inscrição é feita via e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo., aos cuidados de Alex Leco, que responderá, autorizando o pagamento da taxa de adesão, de R$ 90,00, por depósito bancário - Banco Bradesco, agência 2965-3, cc 16000-8, em nome de Instituto Gabriel Medina – CNPJ 23.686.783/0001-04.
 
O campeonato serve como seletiva para os atletas ingressarem no IGM a partir de 2018, com o convite feito aos campeões e vices de cada faixa etária. Criado por Gabriel Medina, o Instituto oferece uma estrutura completa de preparação para os novos valores do surf (com limite de 16 anos), com treinos específicos de surf, físicos, natação, atendimento médico e odontológico, alimentação, além de atividades extras como apneia e media training, visando a carreira profissional.
 
Fabrício Rocha - Na etapa inicial, um dos destaques foi o potiguar Fabrício Rocha, que apesar de não vencer, garantiu a melhor performance, com a maior nota, 9,83, para levar a Coppertone Best Wave. O surfista é um dos integrantes da primeira turma do IGM e se mudou com os pais – Alexandre e Patrícia - para Maresias, após ser um dos selecionados no Circuito de 2016.
 
“É muito bom fazer parte daqui. Eu aprendo, melhoro com todos os treinos, estou evoluindo muito com a ajuda dos técnicos. Quando eu treinava com o meu pai, não tinha isso de baterias com juízes, funcional, natação”, fala. “Eles estão se dedicando ao meu sonho, deixaram os trabalhos deles lá em Natal para vir para São Paulo e hoje eu sou grato. Meus pais são muito bons por fazerem isso por mim e vou me dedicar ao máximo para chegar ao CT”, complementa Fabrício, que  completa 13 anos no próximo dia 16.
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

CEO da CBDN

Pedro Cavazzoni fala sobre PyeongChang 2018

Esportes de Neve

Victor Santos fala sobre o Cross Country

 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook