Geração Paris 2024 se apresenta nos Jogos Sul-americanos da Juventude

Competição para atletas de 14 a 17 anos é preparatória para os Jogos Olímpicos da Juventude Buenos Aires 2018 / Foto: Wander Roberto/Exemplus/COBCompetição para atletas de 14 a 17 anos é preparatória para os Jogos Olímpicos da Juventude Buenos Aires 2018 / Foto: Wander Roberto/Exemplus/COB

Chile - Quando o Comitê Olímpico Internacional anunciou que Paris seria a sede dos Jogos Olímpicos de 2024, uma nova geração de atletas passou a sonhar mais concretamente em chegar lá. E é essa geração de 14 a 17 anos que começa, a partir deste sábado, dia 30, a mostrar suas credenciais nos II Jogos Sul-americanos da Juventude Santiago 2017.
 
Para o Time Brasil, representado por 149 atletas em todas as 21 modalidades em disputa, o caminho até a capital francesa passa antes por Buenos Aires, onde, em 2018, acontecerão os Jogos Olímpicos da Juventude. A partir desta sexta-feira, dia 29, quando acontece a Cerimônia de Abertura, às 20hs, no Estádio Nacional, até o dia 8 de outubro, os jovens talentos do esporte nacional terão a chance de vivenciar sua primeira competição multiesportiva e sentir um pouco do gostinho olímpico. Os primeiros atletas a competirem serão os do boxe, ciclismo mountain bike, esgrima, natação, remo, tênis e triatlo.
 
Para o Comitê Olímpico do Brasil (COB), além de ser a primeira missão após o Rio 2016, os Jogos Sul-americanos da Juventude têm grande importância estratégica no planejamento esportivo. “Nós valorizamos demais essa competição. Nessa faixa etária, o atleta começa a decidir se realmente quer seguir e acreditar que pode chegar no alto rendimento. Por isso, o COB dará toda a estrutura e os melhores serviços para que eles possam ter excelente desempenho nos jogos e, principalmente, aproveitarem essa experiência da melhor forma possível. Acreditamos que, assim, essa faixa etária possa chegar a Paris 2024 melhor preparada. Queremos também que vários destes 149 atletas estejam ano que vem nos Jogos Olímpicos da Juventude de Buenos Aires. Esse é o objetivo a curto prazo”, destacou Sebástian Pereira, chefe da missão brasileira em Santiago e gerente de identificação e Desenvolvimento de Talentos do COB.
 
Comprovando a eficácia dos Jogos Escolares da Juventude na detecção de talentos para o esporte de alto rendimento do país, a delegação nacional terá 53 atletas provenientes do evento organizado pelo COB desde 2005. Isso em um universo de 89 atletas, considerando apenas as oito modalidades presentes no programa dos Jogos Escolares que estarão em disputa em Santiago. “O COB trabalha desde 2005 na organização das fases nacionais dos Jogos Escolares da Juventude, que reúnem por ano mais de 8 mil atletas de duas faixas etárias. Em conjunto com as confederações, começamos a identificar e trabalhar esses jovens em treinamentos de campo. Assim, conseguimos entender a realidade deles de forma mais encorpada e dar um suporte melhor ao seu desenvolvimento. O que queremos é que esses jovens tenham acesso à prática esportiva e, consequentemente, possam optar pelo alto rendimento”, comentou o ex-judoca Sebástian Pereira, campeão mundial em 1999.
 
O Time Brasil dos Jogos Sul-americanos da Juventude Santiago 2017 é um retrato da diversidade brasileira. A equipe de atletismo, por exemplo, tem atletas de todas as regiões do país. No basquete 3x3, nova modalidade olímpica, predomínio dos cariocas, que compõem 100% dos times masculino e feminino. O badminton mostra a força do Piauí, grande polo da modalidade. Enquanto a esgrima tem em sua equipe uma atleta filha de uma carioca e de um italiano, nascida nos Estados Unidos, mas que vive na Alemanha.
 
Na primeira edição da competição, em 2013, na capital peruana, Lima, o Time Brasil teve um desempenho excelente, quando conquistou 142 medalhas, mais do que o dobro do segundo colocado. O evento também serviu para apresentar talentos como as ginastas Flavia Saraiva e Rebeca Andrade, finalistas nos Jogos Olímpicos Rio 2016, e Ygor Coelho, do badminton, que também esteve no Rio 2016 e hoje é Top 30 do mundo. “Temos exemplos de sucesso do evento passado e que depois conquistaram medalhas nos Jogos Olímpicos da Juventude e conseguiram chegar no Rio 2016. Se vamos conseguir o mesmo sucesso agora é difícil prever, mas o certo é que vamos prepará-los da melhor forma para isso. O foco é 2024”, afirma Sebastian.
 
Apesar de não haver um quadro de medalhas oficial do evento, o objetivo do COB para essa edição é manter a liderança continental. “O Brasil é um dos ícones esportivos do nosso continente, então acreditamos que conseguiremos ganhar novamente os Jogos. É difícil apontar um número de medalhas, porque é o primeiro momento em que estamos com esses atletas. Junto com as confederações, estamos começando a dar oportunidades para que eles consigam confirmar se querem seguir nesse sonho olímpico. Isso é o mais importante”, avaliou Sebástian.
 
A área de atuação de Sebástian no COB está integrada à gerencia de Juventude da entidade e atua diretamente na identificação e confirmação de talentos para o esporte nacional. A oportunidade de um contato com esses jovens em Santiago será um importante laboratório. “Hoje, o COB desenvolveu um sistema de identificação e confirmação de talentos. Queremos sistematizar todo esse processo, desde a escola até o alto rendimento. Nosso objetivo é utilizar as ferramentas necessárias de identificação para minimizar essas perdas pelo caminho, que acontecem por diversas razões. Temos que conseguir integrar todos os agentes que já trabalham nesse sistema para realizarmos um trabalho contínuo com os jovens talentos do esporte nacional”, explicou.
 
Em Santiago, o COB oferece todo o suporte aos jovens atletas. A entidade montou um centro de convivência no hotel da delegação, com diversas atividades de lazer, e ainda contará com estrutura de médicos, fisioterapeutas, massoterapeutas, nutricionista e psicóloga para atender os novatos do Time Brasil.
 
Assim como ocorre nos Jogos Olímpicos da Juventude, em Santiago haverá uma programação educativa e cultural paralela às competições para os atletas. Todos os jovens atletas permanecerão no Chile durante todo o período de competição para participar das atividades. Cada país terá ainda um Jovem Embaixador, responsável pelo engajamento da participação dos atletas. Também serão oferecidas palestras educativas sobre temas relacionados ao esporte e à carreira do atleta pela equipe do COB.
 
O Time Brasil será representado em 21 modalidades (atletismo, badminton, basquete 3x3, boxe, canoagem, caratê, ciclismo, esgrima, ginástica artística, golfe, judô, levantamento de peso, lutas, natação, remo, saltos ornamentais, taekwondo, tênis, tênis de mesa, triatlo e vôlei de praia). Serão 76 meninos e 73 meninas entre 14 e 17 anos na competição continental.
 
A segunda edição dos Jogos Sul-americanos da Juventude terá a participação de mais de 1400 atletas de 14 países.
 
Mais informações sobre a competição, neste link
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

CEO da CBDN

Pedro Cavazzoni fala sobre PyeongChang 2018

Esportes de Neve

Victor Santos fala sobre o Cross Country

 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook