COB reúne atletas e confederações para estreitar diálogo e compartilhar iniciativas

Presidente Carlos Arthur Nuzman ressaltou o momento histórico do encontro pela união da família olímpica / Foto: Divulgação/COBPresidente Carlos Arthur Nuzman ressaltou o momento histórico do encontro pela união da família olímpica / Foto: Divulgação/COB

Rio de Janeiro - Um momento histórico para o esporte brasileiro aconteceu nesta quinta-feira, dia 4, na sede do Comitê Olímpico do Brasil. O presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman, se reuniu com presidentes, representantes e atletas das Confederações Brasileiras Olímpicas e integrantes da Comissão de Atletas do COB para promover a troca de informações entre os atletas e as entidades, tendo como objetivo compartilhar iniciativas e colaborar para a melhoria da gestão do esporte no país.
 
Ex-atleta de vôlei com participação nos Jogos Olímpicos Tóquio 1964, Carlos Arthur Nuzman ficou muito satisfeito com a troca de ideias e a participação consistente de atletas da nova geração do esporte brasileiro na reunião. 
 
“Propus esse encontro porque acho que as Confederações devem estar mais próximas dos atletas. Desde que eu presidi a Confederação Brasileira de Vôlei, eu tenho essa experiência que é a de trazer os atletas mais para perto dos dirigentes. Estou muito contente. A reunião foi ótima e nós vamos repetir essa experiência”, afirmou Nuzman.
 
O encontro teve a presença de 25 Confederações, 21 atletas das Comissões das Confederações e nove integrantes da Comissão de Atletas do COB, entre eles o presidente Tiago Camilo (judô). Cada Confederação indicou até dois atletas de sua Comissão para o encontro. 
 
“Esta foi uma primeira conversa, com os atletas e presidentes se apresentando. O COB está inovando com essa reunião para poder abrir esse diálogo e poder entender realmente o que acontece em cada Confederação. Questões importantes como gestão e recursos financeiros terão grande relevância neste ciclo Tóquio 2020. Isso é uma realidade e uma direção no esporte mundial. O primeiro passo foi dado. Temos que mudar e adotar modelos modernos de gestão, porque só assim a gente vai conseguir brigar com os melhores do mundo”, considerou Tiago Camilo.
 
O presidente do COB ressaltou as dificuldades que serão enfrentadas pelas entidades no ciclo olímpico Tóquio 2020, mas lembrou que o COB pode e continuará ajudando atletas e Confederações a superar boa parte das dificuldades.
 
“O COB sempre ajudou os atletas com as viagens, com os recursos do Centro de Treinamento Time Brasil, no Parque Aquático Maria Lenk, e agora também com o Laboratório Olímpico. Como fazem os atletas que treinam todos os dias para melhorar suas marcas ,nós vamos trabalhar todos os dias para melhorar nossos processos e tornar nossa gestão ainda mais eficiente. Para isso, precisamos tomar decisões e fazer escolhas focadas na maximização dos nossos recursos”, finalizou Nuzman.
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook