Bernardinho recebe o troféu Adhemar Ferreira da Silva no Prêmio Brasil Olímpico

Troféu Adhemar Ferreira da Silva tem como objetivo homenagear grandes nomes que representem os valores positivos do esporte / Foto: Alexandre Loureiro/Exemplus/COBTroféu Adhemar Ferreira da Silva tem como objetivo homenagear grandes nomes que representem os valores positivos do esporte / Foto: Alexandre Loureiro/Exemplus/COB

Rio de Janeiro - A vitoriosa carreira de Bernardo Rocha Rezende foi celebrada no Prêmio Brasil Olímpico. Detentor de sete medalhas olímpicas (seis como treinador e uma como atleta), Bernardinho recebeu do Comitê Olímpico do Brasil (COB) o Troféu Adhemar Ferreira da Silva, que homenageia grandes nomes e seus exemplos positivos no esporte. 
 
Criado em 2001 pelo COB, o Troféu Adhemar Ferreira da Silva tem como objetivo homenagear atletas e ex-atletas que representem os valores que marcaram a carreira e a vida de Adhemar, bicampeão olímpico no salto triplo, tais como ética, eficiência técnica e física, esportividade, respeito ao próximo, companheirismo e espírito coletivo.
 
“Tenho muito orgulho de ter levado Bernardinho para as seleções brasileiras quando presidi a Confederação Brasileira de Vôlei. Desde a época em que ele atuava como jogador percebi nele todas as características de um grande líder”, disse o presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman. “Bernardinho recebeu a justa homenagem por tudo o que construiu na carreira”, completou Nuzman. 
 
Carreira - Nascido em 25 de agosto de 1959, Bernardinho tem dedicado sua vida ao voleibol. Como atleta, entre 1979 e 1986, defendeu diversos clubes do Rio de Janeiro e a Seleção Brasileira, onde integrou a histórica Geração de Prata, que conquistou a primeira medalha olímpica da modalidade, em Los Angeles 84, além de diversos outros títulos. 
 
Sua liderança em quadra já era notada ainda na época de atleta. Após encerrar a carreira, juntou-se a Bebeto de Freitas para atuar como auxiliar-técnico da seleção masculina nos Jogos Olímpicos de Seul 88. Após alguns anos como treinador em times da Itália, foi convidado em 1994, pelo então presidente da Confederação Brasileira de Vôlei, Carlos Arthur Nuzman, para comandar a Seleção Brasileira feminina, onde ficou até 2000. Com as meninas Bernardinho foi bronze nos Jogos Olímpicos de Atlanta 96 e Sydney 2000, as primeiras medalhas do vôlei feminino na história olímpica. Também conquistou três títulos do Grand Prix (1994, 1996 e 1998), um ouro nos Jogos Pan-americanos de Winnipeg 99, uma Copa do Mundo (1995) e três Sul-americanos (1995, 1997 e 1999), além do vice-campeonato mundial (1994), no Brasil.
 
A partir de 2001, iniciou a mais vitoriosa era do voleibol brasileiro. À frente da Seleção Brasileira masculina, Bernardinho enfileirou pódios e elevou a modalidade a outro patamar. No total, somou mais de 30 conquistas à frente da equipe, transformando o Brasil na grande potência mundial do vôlei. Entre as maiores conquistas estão dois ouros olímpicos (Atenas 2004 e Rio 2016), duas pratas (Pequim 2008 e Londres 2012), três títulos mundiais (2002, 2006 e 2010), além de oito Ligas Mundiais e duas Copas do Mundo.
 
Bernardinho corou sua brilhante carreira à frente da seleção com o ouro olímpico no Rio 2016. A conquista no Maracanãzinho lotado, em sua cidade natal e com o filho Bruninho como levantador e capitão do time foi o desfecho perfeito para Bernardo, que em janeiro de 2017 anunciou que estava deixando o comando da equipe. No Prêmio Brasil Olímpico, Bernardinho foi escolhido o melhor treinador brasileiro em 2002, 2003, 2004, 2006 e 2010.
 
Confira todos os títulos de Bernardinho na Seleção Brasileira:
 
Como atleta:
4 Sul-americanos (1981, 1983, 1985 e 1986) 
1 Campeão do Mundialito (1981)
1 Vice-campeonato no Campeonato (1982)
1 Ouro nos Jogos Pan-americanos (Caracas 1983)
1 Prata nos Jogos Olímpicos (Los Angeles 1984)
 
Na Seleção Feminina, entre os anos de 1994 e 2000:
2 Bronzes em Jogos Olímpicos (Atlanta 96 e Sidney 2000)
1 Vice-Campeonato mundial (1994)
3 títulos de Grand Prix (1994,1996 e 1998)
1 Ouro em Jogos Pan-americanos (Winnipeg 99)
1 Copa do Mundo (1995)
3 Sul-americanos (1995, 1997 e 1999)
 
Na Seleção Masculina, entre 2001 e 2016:
2 Ouros em Jogos Olímpicos (Atenas 2004 e Rio 2016)
2 Pratas em Jogos Olímpicos (Pequim 2008 e Londres 2012)
3 Mundiais (2002, 2006 e 2010)
2 Copas do Mundo (2003 e 2007)
8 Ligas Mundiais (2001, 2003, 2004, 2005, 2006, 2007, 2009 e 2010)
3 Copas dos Campeões
1 Copa América (2001)
2 Jogos Pan-americanos (Rio 2007 e Guadalajara 2011)
8 Sul-Americanos (2001, 2003, 2005, 2007, 2009, 2011, 2013 e 2015)
1 Torneio Ponte di Legno (2001)
1 Torneio Consorzio Metano de Vellecamonica (2001)
1 Torneio Sei Nazioni (2002)
 
Os Homenageados com o Troféu Adhemar Ferreira da Silva até hoje:
2001 – Nelson Prudêncio - Atletismo
2002 – João Gonçalves Filho - Natação e Polo Aquático
2003 – Amaury Antonio Passos - Basquete
2004 – Maria Lenk - Natação
2005 – Agberto Guimarães - Atletismo
2006 – Aída dos Santos - Atletismo
2007 – André Gustavo Richer - Remo
2008 – João Havelange - Natação e Polo Aquático
2009 – Joaquim Cruz - Atletismo
2010 – Eder Jofre - Boxe
2011 – Bernard Rajzman - Vôlei
2012 – Hortência – Basquete
2013 – Torben Grael – Vela
2014 – Vanderlei Cordeiro de Lima – Atletismo
2015 – Gustavo Kuerten - Tênis
2016 – Bernardinho - Vôlei
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

CEO da CBDN

Pedro Cavazzoni fala sobre PyeongChang 2018

Esportes de Neve

Victor Santos fala sobre o Cross Country

 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook