Isadora Willians cai, mas faz história na patinação artística

Patinadora será a porta-bandeira da delegação brasileira na Cerimônia de Encerramento / Foto: Richard Heathcote/Getty ImagesPatinadora será a porta-bandeira da delegação brasileira na Cerimônia de Encerramento / Foto: Richard Heathcote/Getty Images

Coreia do Sul - Primeira e única atleta da América Latina a competir na patinação artística em Jogos Olímpicos de Inverno, a brasileira Isadora Williams encerrou sua participação em PyeongChang 2018 em 24º lugar na prova individual feminina.
 
Mesmo ficando em último, a brasileira, novamente, fez história. Esta foi a primeira vez que uma patinadora do continente se classificou para o Programa Longo dos Jogos, realizado nesta quinta-feira, dia 22, após ter alcançado a 17ª colocação com uma brilhante apresentação do Programa Curto, há dois dias.
 
Ao final da prova, em reconhecimento ao feito histórico, a brasileira foi anunciada como porta-bandeira da delegação na Cerimônia de Encerramento dos Jogos, marcada para o domingo, dia 25.
 
Durante a disputa do Programa Longo, Isadora Williams não conseguiu manter o nível de sua apresentação anterior, quando encantou o público presente na Gangneung Ice Arena e passou para a final da competição entre as 17 melhores atletas do mundo. Aparentando nervosismo, a brasileira não fez a apresentação limpa que planejou e alcançou 88,44 pontos, chegando aos 144,18 no total, após a soma com o Programa Curto (55,74). 
 
“Estou feliz por ter qualificado o Brasil para o Programa Longo pela primeira vez em uma Olimpíada. Mas eu tinha mais expectativas porque gosto muito da minha apresentação”, afirmou a brasileira, de 22 anos.
 
“Depois que errei o primeiro salto eu fiquei muito nervosa. Eu estava treinando muito bem e já realizei várias vezes o Programa Longo sem nenhum erro. Eu não sei porque não fiz uma apresentação limpa”, disse a patinadora, que irá disputar o Campeonato Mundial de Milão, na Itália, de 19 a 25 de março.
 
A medalha de ouro da competição foi para a atleta olímpica russa Alina Zagitova (238,57 pontos), de apenas 15 anos. A prata também foi para uma atleta olímpica russa, Evgenia Medvedeva (238,26). A canadense Kaetlyn Osmond conquistou o bronze (231,02).
 
Após a competição, o chefe da missão brasileira, Stefano Arnhold, anunciou a patinadora como porta-bandeira do Time Brasil no encerramento dos Jogos. “Isadora fez história ao ser a primeira sul-americana a chegar a uma final da patinação artística nos Jogos Olímpicos e encantou a todos com seu carisma e talento. Nada mais justo do que levar a Bandeira do Brasil na Cerimônia”, afirmou Stefano.
 
Mesmo já tendo sido a porta-bandeira da delegação brasileira nos Jogos Olímpicos de Sochi 2014, o anúncio de que repetiria a honraria em PyeongChang pegou a atleta de surpresa. “É uma honra muito grande carregar a Bandeira Brasileira mais uma vez”, concluiu a patinadora.
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook