A nova era da CBDG

Presidente Matheus Figueiredo e Seleção Masculina de Bobsled / Foto: Divulgação/CBDGPresidente Matheus Figueiredo e Seleção Masculina de Bobsled / Foto: Divulgação/CBDG

São Paulo - Superintendente Técnico na CBDG entre os anos de 2013 e 2017, Matheus Figueiredo assumiu a presidência da CBDG após ser eleito de forma unânime por aclamação na Assembleia realizada em 20 de junho de 2017.
 
Sucessor do agora ex-presidente Emílio Strapasson, Matheus foi um dos pilares na gestão passada, que ficou marcada por implementar um modelo de gestão profissional, cumprindo os calendários esportivos e realizando os investimentos necessários para o fomento e desenvolvimento contínuo dos desportos no gelo, nos âmbitos nacional e internacional. A CBDG já possui seu primeiro mapa estratégico, que é o pilar norteador da tomada de decisão e desenvolvimento de projetos.
 
Tais conceitos colocaram a Entidade em evidência no cenário nacional, sendo que hoje a CBDG possui excelente reputação entre as organizações esportivas olímpicas do Brasil. Amparando-se nos princípios do olimpismo e da gestão profissional, a nova administração da CBDG visa: melhorar ainda mais o nível técnico dos atletas, mantendo o foco no alto rendimento, otimizar os recursos utilizados e possibilitar a inclusão de mais pessoas capacitadas para contribuir na gestão da Confederação. “Queremos deixar as regras do jogo mais claras e desenvolver processos de comunicação que possibilitem que ainda mais pessoas possam participar dos modelos de gestão, algo que já começamos a trilhar”, explica Figueiredo.
 
Com modernos conceitos de planejamento, de estratégia e de gestão, resta clara a meta de continuar uma administração que preza por responsabilidade, realiza os ajustes que se fizerem necessários e assume o compromisso de alcançar um modelo de excelência na governança da CBDG.
 
Foco da gestão: governança
Processos e métodos usados para auxiliar a implementação deste foco:
• Conselho Consultivo
• Diretorias Técnicas
• Gestão Executiva
• Comunicação
 
Missão principal:
Desenvolvimento de projetos olímpicos
Fase 1: Jogos Olímpicos de 2018, com ênfase no bobsled e patinação, que possuem grandes chances de classificação.
Fase 2: Jogos Olímpicos de 2022, com dedicação ainda mais abrangente e atenção ampliada a modalidades como curling, skeleton e patinação de velocidade
 
Metas
1 - Aumentar participação olímpica e obter mais resultados relevantes
2 - Desenvolver parcerias e estruturas no Brasil e Exterior
 
Projetos Esportivos
 
• Campeonato Brasileiro de Patinação
Clínicas de Desenvolvimento Esportivo de patinação no Brasil
Regulamentação da modalidade e parcerias com rinks de patinação
 
• Curling
Campeonato Brasileiro de Curling Clínicas para o desenvolvimento de novos atletas
Participação em pré-mundiais e mundiais Street Curling no Brasil
Gelo de Curling no Brasil
 
• Bobsled e Skeleton
Projeto Olímpico: a equipe viaja para os EUA em setembro
Pista de Push
Parceria NARSP
 
• Hóquei no gelo
Clínicas de iniciação básica
Pan-americano de Hóquei no Gelo (ocorrido em junho de 2017)
 
• Patinação de Velocidade
Atletas na Alemanha e Japão
 
• Street Luge
 
• Lake Placid
Escritório em Lake Placid, a fim de desenvolver novas oportunidades para os brasileiros
 
Uniformes e Lojas - Potencial novo fornecedor de uniformes para o Brasil
 
Sonho de resultado - Medalha olímpica ou medalha em campeonato
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

CEO da CBDN

Pedro Cavazzoni fala sobre PyeongChang 2018

Esportes de Neve

Victor Santos fala sobre o Cross Country

 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook