Nadadores depõem novamente, desmentem assalto e são hostilizados na rua

Nadadores foram hostilizados ao deixarem delegacia no Rio / Foto: Chris McGrath / Getty ImagesNadadores foram hostilizados ao deixarem delegacia no Rio / Foto: Chris McGrath / Getty Images

Rio de Janeiro - Depois de forçarem uma situação de constrangimento do Brasil perante o mundo, ao dizerem que teriam sido assaltados e ameaçados com uma arma, os nadadores americanos tiveram sua história desmentida pelas autoridades brasileiras nesta quinta-feira, numa reviravolta surpreendente do caso. 

O Comitê Olímpico da Rio 2016, que chegou a se desculpar publicamente pelo que teria ocorrido com Ryan Lochte, Jimmy Feigen, Gunnas Bentz e Jack Conger, disse que abre mão de receber um pedido de desculpas por parte dos nadadores pelo papelão. 

Mario Andrada, diretor de comunicação, disse não ter se arrependido de ter se desculpado com os americanos. "A gente não espera nenhuma reação, nenhuma resposta disso, nada. O fato de a história ter virado, dos atletas terem usado uma desculpa que não era verdadeira e depois a polícia conseguiu provar que, de fato, acabaram mentindo, é eloquente o suficiente. A gente nem se arrepende pela desculpa. Estamos pedindo a todos os atletas que podem ter tido algum problema", explicou Andrada, em entrevista coletiva concedida à imprensa nesta quinta-feira.

Eles depuseram novamente nesta quinta e um deles teria voltado atrás da história / Foto: Chris McGrath / Getty ImagesEles depuseram novamente nesta quinta e um deles teria voltado atrás da história / Foto: Chris McGrath / Getty Images

"Eles agiram mal e acabaram batendo no muro. São jovens e cometem erros. O fato de os atletas passarem por uma vergonha pública dessa magnitude é suficiente para que eles aprendam uma lição, e eu espero que eles aprendam", emendou o diretor. 

Nova reviravolta

As autoridades brasileiras já demonstravam estarem desconfiadas de que os nadadores teriam inventado a história do assalto. Nesta quinta-feira, o chefe da Polícia Civil, Fernando Veloso, disse que dois dos quatro nadadores depuseram novamente e voltaram atrás na história, dizendo que o assalto na verdade não ocorreu e que foi tudo inventado por Lochte.

Posto de gasolina em que Lochte e outros nadadores teriam entrado em confusão / Foto: Mario Tama / Getty ImagesPosto de gasolina em que Lochte e outros nadadores teriam entrado em confusão / Foto: Mario Tama / Getty Images

Os novos depoimentos foram colhidos nesta quinta-feira à noite, na sede da Deat (Delegacia Especial de Atendimento ao Turista), no Leblon, zona sul do Rio. Bentz e Conger foram, inclusive, hostilizados pela população que aguardava do lado de fora do local ao deixarem o posto policial. Um deles teve até sua orelha puxada em determinado momento.

"Em tese, eles podem vir a responder por falsa comunicação de crime e dano ao patrimônio. O carioca viu o nome da cidade manchado por essa versão fantasiosa. Seria nobre e digno pedir desculpas. Por hora, não houve [o pedido]", declarou Fernando. 

As investigações ainda não foram concluídas mas os nadadores devem voltar aos Estados Unidos nos próximos dias. 

Entenda a história

O suposto assalto sofrido pelos quatro nadadores americanos foi reportado pelos atletas à emissora NBC, dos EUA. Depois de Ryan revelar que eles foram assaltados quando voltavam de uma festa, ele alterou sua versão, dizendo que o ocorrido aconteceu num posto de gasolina. 

A rede americana ABC, porém, publicou depois uma outra história, que conta com um relato de uma fonte próxima aos policiais que participam da investigação. Segundo a emissora, imagens de câmera de segurança teriam flagrado um dos nadadores depredando a porta de um banheiro em um posto de gasolina, o que acabou em uma briga com o dono do estabelecimento. 

Veja Também: 

 

 

 
1

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Curta - EA no Facebook